RSS FACEBOOK TWITTER

A Língua em Pedaços: duelo de ideias entre Teresa d’Ávila e a Igreja


Peça: A Língua em Pedaços, foto 1

Ana Cecília Costa e Marco Antônio Pâmio vivem santa Teresa d’Ávila e o inquisidor

Mesmo tendo como referência uma personalidade que viveu no século XVI — Teresa de Cepeda y Ahumada, conhecida como Teresa d’Ávila e que neste ano comemora-se cinco séculos de seu nascimento —, o espetáculo A Língua em Pedaços, de Juan Mayorga, dirigida por Elias Andreato, que acaba de estrear no CCBB-SP, é atual, com indagações pertinentes ao nosso século XXI.
Se a princípio o uso da segunda pessoa do singular (tu) e a do plural (vós), pouco comuns no linguajar de hoje, pode dificultar o entendimento, graças ao conteúdo questionador contra os dogmas conservadores da Igreja Católica faz com que o espectador logo se conecte com o duelo de ideias e convicções travado entre a monja, interpretada por Ana Cecília Costa, e o inquisidor, vivido por Marco Antônio Pâmio.

Peça: A Língua em Pedaços, foto 2

Pâmio e Ana são dirigidos por Elias Andreaato

O texto, inédito no Brasil, é baseado na autobiografia de Teresa d’Ávila, Livro da Vida, e traz o encontro fictício entre a religiosa e o inquisidor, que acontece na cozinha do primeiro convento das Carmelitas Descalças, ordem fundada por Teresa. Num cenário, assinado por Fabio Namatame, de poucos elementos, e uma profusão de gelo seco que intensifica o clima nebuloso e tenso do duelo entre os personagens, o espetáculo tem início com as indagações incisivas do representante da Igreja para a freira, que responde a tudo com sinceridade e destemor, atitudes incomuns para a época por se tratar de uma mulher. Além de sua coragem e devoção aos mais necessitados, Teresa tinha uma forte e íntima ligação com o divino, que fica evidente em seus poemas:

“A atitude dela era um escândalo para a época. No entanto, Teresa é santa mulher que fala de amor no seu desatino. É assim que a palavra e a fé se perpetuam em Teresa! É preciso abrir nossos corações para a poesia de Teresa D’Ávila”, argumenta Elias Andreato.

 

Peça A Língua em Pedaços, foto 3

Ana Cecília produz a peça com Rosí Fer

 

Com temporada prevista até final de junho, A Língua em Pedaços cativa e prende a atenção do espectador graças ao texto contundente do dramaturgo espanhol Juan Mayorga. O conflito entre os personagens ganha ainda mais força pelo desempenho de Ana Cecília e Pâmio, que defendem com garra as convicções da freira, que 40 anos após a morte foi canonizada, e do representante da instituição religiosa. A direção sensível de Elias Andreato e André Acioli voltada ao ator, a iluminação de Wagner Freire e a trilha de Daniel Maia complementam a comovente montagem sobre o ideário de santa Teresa d’Ávila. Um dos grandes espetáculos em cartaz na cidade.

 

Fotos: Laércio Luz

, , , , ,

Maurício Mellone

Como jornalista — tendo atuado em rádio, TV, jornal, revistas e assessoria de imprensa —, a palavra sempre foi minha matéria prima. No entanto, desde 2000 venho cultivando o plano B, ou seja, mantenho no meu velho PC um arquivo com meus escritos, que na verdade já era um pré-blog. Lá, deixo fluir a imaginação para que a linguagem inclusive ganhe novos contornos.


Ver todos os posts de Maurício Mellone »

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta