Aos Nossos Filhos: peça de Laura Castro disseca relação mãe e filha

De em agosto 12, 2013

Peça: Aos Nossos Filhos, foto 1

Laura Castro vive a filha da ex-guerrilheira Vera, interpretada por Maria de Medeiros

Duas mulheres, mãe e filha, travam uma discussão que extrapola a relação afetiva entre elas e o mero conflito de gerações: os conceitos e princípios fundamentais de vida são postos em cheque exatamente quando a filha, interpretada por Laura Castro, comunica que vai ter um bebê com sua companheira. A mãe, vivida pela atriz portuguesa Maria de Medeiros, sempre muito liberal e desprendida — foi guerrilheira e viveu em diversos países — entra em crise e ambas remexem e reviram seus sentimentos mais íntimos. Com direção de João das Neves, Aos Nossos Filhos acaba de reestrear no TUCA para uma curta temporada, em cartaz só até 1º de setembro.

Peça: Aos Nossos Filhos, foto 2

As atrizes cantam a música tema em trechos cruciais da peça

A música tema não poderia ser outra: com Iuri Salvagnini ao piano, Maria de Medeiros inicia a peça cantando em francês Aos Nossos Filhos, a bela canção de Ivan Lins e Vitor Martins que dá nome ao espetáculo. Logo em seguida, ela, no papel de Vera, uma psiquiatra que lutou contra a ditadura militar, foi exilada e morou em vários países, recepciona a filha, que aos poucos revela a verdadeira razão de sua visita. Mais do que um encontro cordial entre mãe e filha, Tania vem comunicar que ela e sua companheira irão ter um bebê.
A reação inicial de Vera foi de felicidade e alegria, mas a partir do momento que fica sabendo que elas optaram por inseminação artificial e que o feto foi introduzido no útero da namorada de Tania, ela entra em pânico e parte para o ataque. Não concorda com as decisões da filha — preferia que Tânia optasse pelo método tradicional — e na discussão, mágoas antigas, ressentimentos e, principalmente, preconceitos vêm à tona.
Num momento de ebulição da sociedade brasileira, em que de um lado temos avanço nos costumes, com conquistas dos direitos da comunidade LGBT, e de outro lado há o retrocesso, com segmentos conservadores tentando desvirtuar e propor projetos insanos, como o de cura da homossexualidade, Aos Nossos Filhos vem contribuir para esta discussão. A personagem da mãe, por mais que tenha lutado junto aos movimentos de esquerda e ser uma intelectual de prestígio, quando é a sua filha que levanta e se rebela contra atitudes comportamentais conservadores, Vera se desestrutura. Já a filha, por mais que tenha crescido num ambiente libertário e ter convivido com os vários casamentos da mãe, quer na verdade um casamento estável, com filhos de uma única relação afetiva — ela namora há 15 anos e só agora resolveram engravidar.
O embate de ideias envolve o espectador graças à interpretação visceral das duas atrizes. Destaque ainda para o cenário de Rodrigo Cohen — escadas estilizadas que propicia que mãe e filha fiquem em posições antagônicas — e a iluminação sensível de Paulo César Medeiros. Como aperitivo para aguçar a vontade de assistir a peça, fique com a música tema interpretada pela saudosa Elis Regina.

http://www.youtube.com/watch?v=jWWOMrrtNfw&hd=1

 

 Fotos: Irene Nóbrega

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Marcos Zaccharias Publicitário

2 Comentários

Jefferson Calli

agosto 12, 2013 @ 19:58

Resposta

Maaurício queridão valeu a dica!

beijo grande.

Maurício Mellone

agosto 13, 2013 @ 13:12

Resposta

Jeff:
Se vc puder assistir, tenho certeza q irá curtir!
A discussão de uma mãe até então de esquerda que sabe que a filha
vai ter um filho com sua namorada a deixa perturbada.
Inversão de papéis (liberal passa a ser conservadora) e
os preconceitos sendo questionados!
Estou com saudades!
Bjs

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: