Filme: Bacurau, foto 1

Bacurau: chega ao Brasil filme premiado em festivais internacionais

De em setembro 4, 2019

 

Filme: Bacurau, foto 1

Sonia Braga vive a médica do povoado, que sofre uma invasão e todos se revoltam

Depois de percorrer festivais de cinema pelo mundo e ser premiado — recebeu o Prêmio do Júri no Festival de Cannes/19, melhor filme em Munique/Alemanha e três premiações em Lima/Peru — o esperado Bacurau, dos diretores Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, acaba de chegar aos cinemas do país.

 

 

Com roteiro dos próprios diretores, a trama mistura vários gêneros, como faroeste, ficção científica e suspense, para contar a história da invasão de um grupo de norte-americanos a um pequeno povoado do sertão nordestino. O personagem central é o próprio lugarejo, não há protagonistas e todos os moradores assumem a defesa do local. Com Bárbara Colen, Sônia Braga, Silvero Pereira, Wilson Rabelo, Thomas Aquino, Karine Teles e Udo Kier.

 

Filme: Bacurau, foto 2

Os moradores são os protagonistas da trama

 

 

O filme começa com a chegada de Teresa (Bárbara) a Bacurau para o velório de sua avó Carmelita (Lia de Itamaracá). O professor Plínio (Rabelo), pai de Teresa, a recepciona e em seguida faz um discurso enaltecendo os feitos de sua mãe. Ao poucos o espectador vai sendo apresentado tanto aos moradores (o professor e seus alunos, o entregador de água, a médica, o guerrilheiro, a prostituta, os donos do bar e o político corrupto) como ao modo de vida daquele povoado. No entanto tudo começa a se modificar com a chegada de um casal de motoqueiros, que alega estar de passagem; eles questionam o porquê da cidade não constar dos mapas e nem ter sinal de celular na região.

 

 

 

A partir deste momento a trama toma novo rumo: os moradores constatam que Bacurau realmente não está no mapa, acontecem os primeiros assassinatos e todos percebem que estão sendo atacados — há drones sobrevoando o local e as mortes acontecem de forma incontrolável! Corte e a ação se transfere para um grupo de estrangeiros, liderados por Michael (interpretado pelo ator alemão Udo Kier), que com armamentos poderosos invadem o povoado, destruindo tudo o que encontram pela frente. As cenas são tão violentas e macabras que até parece que o filme passou a ser um grande vídeo game. Do outro lado, sem que o espectador saiba, os moradores sobreviventes articulam uma reação e promovem uma guerra contra os invasores. Nova matança, só que desta vez os alvos e os atingidos mudam de lado.

 

 

 

Filme: Bacurau, foto 3

A médica se contrapõe ao forasteiro (Udo Kier)

O que os diretores evidenciam é o fato da população se unir e se organizar para combater o que aflige a vida de cada um dos moradores. Inclusive o político reaparece e a sua verdadeira face é desmascarada em praça pública. Com os prêmios, Bacurau chega ao país com reconhecimento internacional e deve agradar a uma grande parcela do público. Entretanto, a matança é de tal ordem que o espectador tem a impressão que a violência fica banalizada na tela, tudo não passa de uma partida de vídeo game. A crítica a um sistema de poder arcaico, corrupto e submisso à interferência estrangeira perde força, tornando-se inócua.

 

 

 

Mesmo assim, o filme provoca reflexão, causa impacto, tanto que na sessão a que assisti a plateia aplaudiu ao final. Vá conferir para tirar as próprias conclusões. Destaque para as interpretações de Silvero Pereira, Wilson Rabelo, Thomas Aquino, Barbara Colen e Sônia Braga, que mais uma vez tem uma atuação marcante em obra de Kleber Mendonça (foi a grande estrela de Aquarius). Fique com Gal Costa interpretando Não Identificado, de Caetano Veloso, canção que abre o filme:

 

Fotos: divulgação

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Uba

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: