Filme: Casa Grande, foto 1

Casa Grande: sob o olhar de um garoto, um retrato da sociedade de hoje

De em abril 20, 2015

Filme: Casa Grande, foto 1

Thales Cavalcanti, em seu primeiro trabalho como ator, vive o garoto de classe alta Jean

Em plena crise econômica por que passa o país atualmente, Casa Grande, filme do estreante diretor carioca Fellipe Barbosa (primeiro longa da carreira) é providencial. Sob o ponto de vista de um garoto de 17 anos, Jean, interpretado por Thales Cavalcanti, a trama faz uma radiografia de uma família da alta sociedade carioca que, com o desemprego de Hugo, vivido por Marcello Novaes, entra em falência. No entanto, o casal Hugo e Sônia (Suzana Pires) insiste em viver de aparências e omite até dos filhos a real situação econômica familiar.

Filme: Casa Grande, foto 2

Suzana Pires e Marcello Novaes interpretam os pais superprotetores de Jean

A abertura do filme é sintomática e funciona como prólogo. Com a câmera parada tendo como foco central a imensa mansão toda iluminada, Hugo sai da jacuzzi de sua piscina e se dirige ao quarto do casal. No trajeto, vai apagando todas as luzes da casa, numa referência ao declínio financeiro da família.
Ao amanhecer, os empregados chegam para trabalhar, Hugo acorda Jean pra ir para a escola e em seguida todos estão reunidos na farta mesa do café da manhã. Tudo parece normal na vida desta família abastada, que vive no badalado bairro da Barra da Tijuca. No entanto, aos poucos o público percebe que o provedor está desempregado, a dona da casa precisa dar aulas de francês e vender bugigangas às amigas para manter o padrão. Tudo em vão: as dívidas começam a aparecer e o casal resolve demitir Severino (Gentil Cordeiro) o motorista. Mas eles não contam a verdade aos filhos e Jean, achando que o motorista está de férias, passa a ir de ônibus para a escola. O que poderia ser desagradável torna-se atraente: é na volta para casa, no ônibus, que ele conhece Luiza (Bruna Amaya), uma menina que estuda em escola pública e mora num bairro modesto, o contraponto de sua realidade. O namoro entre eles é inevitável.

Filme: Casa Grande, foto 3

Jean e Luiza (Bruna Amaya) iniciam um namoro

Até então vivendo numa redoma mantida pelos pais superprotetores, Jean aos poucos vai se inteirando da realidade (as dívidas do pai, as diferenças de classes sociais) e se colocando na vida. Primeiro enfrenta Hugo para defender sua privacidade e seu namoro, depois desiste do vestibular idealizado pelos pais e procura aqueles com quem realmente mantém fortes vínculos afetivos: Severino e a empregada, vivida por Clarissa Pinheiro.
Com roteiro bem articulado e despretensioso (assinado pelo diretor e pela montadora do filme Karen Sztajnberg), Casa Grande propõe uma reflexão sobre o atual momento do país e joga uma luz sobre as relações sociais no Brasil. Vale conferir; o filme recebeu quatro prêmios no Festival de Paulínia/14 (roteiro, atores coadjuvantes parta Marcello Novais e Clarissa Pinheiro e especial do júri para o diretor), além dos prêmios de público e crítica no Festival de Toulouse, na França.

 

Fotos: divulgação


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento