Filme: Chico - Artista Brasileiro, foto 1

Chico – Artista Brasileiro: passeio pela vida e obra de Chico Buarque

De em dezembro 8, 2015

Filme: Chico - Artista Brasileiro, foto 1

O compositor e escritor faz um grande retrospecto de sua vida e da carreira

Por ser muito amigo de Chico Buarque, o diretor Miguel Faria Jr. conseguiu convencê-lo a dar um extenso depoimento — ele é avesso a entrevistas. Assim, o documentário Chico – Artista Brasileiro é um grande painel sobre a vida e a obra do compositor e escritor carioca.
Em seu apartamento no Rio, Chico fala abertamente sobre sua vida pessoal, desde a infância passada em São Paulo, sua relação com o pai, o historiador Sérgio Buarque de Holanda, seu início de carreira quando fez imenso sucesso com a canção A Banda, seu retorno ao Rio e o convívio com Vinícius de Moraes e Tom Jobim, o casamento de 30 anos com Marieta Severo, o exílio na Itália, os inúmeros problemas com a censura durante a ditadura militar e sua íntima relação com a literatura e seus livros, que fazem muito sucesso pelo mundo. Paralelamente ao depoimento de Chico, o diretor (que assina o roteiro em parceria com Diana Vasconcellos) montou um palco nos estúdios de filmagem em que vários intérpretes cantam sucessos de Chico.

Filme: Chico - Artista Brasileiro, foto 2

Chico interpreta duas canções, Sinhá e Paratodos

A abertura do filme é com a entrada dos músicos no palco e Chico cantando Sinhá; ele só volta a cantar no final, interpretando Paratodos. As demais canções são interpretadas por diversos artistas e intercaladas pelos depoimentos. Dentre as participações, destaque para Ney Matogrosso com As Vitrines, Milton Nascimento e a cantora portuguesa Carminho com Sobre todas as coisas, além de Mônica Salmaso (Mar e lua), Pércicles (Estação derradeira) e o duo de Adriana Calcanhoto e Mart’nália com Biscate.
Chico relata as principais passagens de sua vida de maneira cronológica enquanto imagens de arquivo ilustram sua fala. Com seu humor característico, ele relembra alguns fatos e ri de si mesmo — é hilário o depoimento dele sobre um show que fez com Toquinho num castelo na Itália para uma pequena e apática plateia. Em outras passagens, mostra sua visão poética da vida e revela seu método de trabalho, confessando as crises de criação. Quando fala do casamento, abre o coração e diz que Marieta Severo foi sua companheira de 30 anos, que esteve ao lado dele nos momentos mais difíceis. Mostra-se também um avô coruja e orgulhoso dos sete netos (a cena que canta com os netos é emocionante!).
Outras passagens marcantes do filme são quando Chico fala de solidão, a importância de estar só para criar, de sua relação com a literatura (sente-se mais à vontade como escritor do que como compositor) e do irmão alemão (tema de seu último livro); Chico volta a Berlim para buscar mais pistas do irmão Sergio Günther e descobre que em função do sucesso de A Banda, o irmão o conheceu (o que ele ignorava até então!).
Um filme delicado e sensível em que Chico Buarque faz uma retrospectiva da própria vida; há poucos depoimentos sobre ele, exceção para pequenas falas da irmã Miúcha e de Maria Bethânia. Em imagens de arquivos, Tom e Vinícius também falam do talento do parceiro. Com Chico – Artista Brasileiro, Miguel Faria Jr.— que dirigiu em 2005 Vinícius, documentário sobre o poetinha — apresenta a visão madura de Chico sobre si mesmo. Fiquei emocionado diversas vezes; como aperitivo fique com Paratodos, uma síntese do compositor e do filme:

 

Fotos: divulgação


6 Comentários

Laila Guilherme

dezembro 15, 2015 @ 19:33

Resposta

Também adorei o filme. Chico faz revelações inesperadas e maduras, os números musicais são preciosos. Adorei Carminho, que não conhecia. Vale a pena ver e rever!!

Maurício Mellone

dezembro 16, 2015 @ 12:44

Resposta

Laila,
Temos a mesma opinião sobre o belo filme de Miguel Faria Jr. sobre Chico
Buarque, que a visão madura do artista para a própria vida e carreira.
Obrigado por seu comentário, volte mais vezes, terei o maior prazer
em recebê-la por aqui.
bjs

Imad Nasser

dezembro 10, 2015 @ 12:40

Resposta

Assisti na segunda passada e me emocionei em várias passagens. A neta dele canta bonito. Boa resenha, como sempre, Mau! bjs

Maurício Mellone

dezembro 10, 2015 @ 14:21

Resposta

Imad,
acho q todos se emocionam; ontem assisti a uma entrevista do Miguel Faria Jr.
no programa Roberto Dávila, e ele disse que fez o filme para emocionar
o público e não se preocupou com cronologias. Não é um documentário nos moldes
tradicionais, é realmente a visão madura do Chico para os acontecimentos da
própria vida e da carreira. Um registro para a história!
Obrigado por sua presença constante por aqui; sempre um incentivo e uma força!
bjs, querido!

Nanete Neves

dezembro 9, 2015 @ 08:48

Resposta

Com essa tua sinopse tão completa, fiquei com mais vontade ainda de assistir a esse filme. Adoro teu blog e os teus textos. Brigadão por ser o meu radar cultural…rs

Maurício Mellone

dezembro 9, 2015 @ 18:08

Resposta

Nanete,
não perca mesmo!
Nós q temos algumas décadas nas costas, então,
o filme cala ainda mais!
Ouvir o Chico discorrer sobre sua vida e a visão
sobre sua criação é o máximo!
As músicas apresentadas são de um cuidado!!!!
Bjs e obrigado por estar sempre presente por aqui!

Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento