Filme: Deslembro, foto 1

Deslembro: sob olhar da garota, filme mostra o país logo após anistia

De em junho 26, 2019

Filme: Deslembro, foto 1

A jovem atriz Jeanne Boudier conduz a trama dirigida por Flávia Castro

Depois de percorrer festivais de cinema no Brasil e no mundo — premiado do Festival do Rio/18 e no Biarritz América Latina), Deslembro acaba de estrear no circuito comercial.

Com roteiro e direção de Flávia Castro, a trama é conduzida pela adolescente Joana, interpretada por Jeanne Boudier, que mora com a família na França, país escolhido pela mãe (vivida por Sara Antunes) e pelo padrasto (o ator chileno Julián Marras) para viverem no exílio. Com a decretação da Anistia no Brasil (agosto de 1979), a família se prepara para voltar e Joana não se conforma de ter de ir morar num país que pratica ‘tortura e mata as pessoas’. Já instalada no Rio, a garota tenta reconstruir sua vida no país que deixou ainda criança e quer resgatar a história do pai (Jesuíta Barbosa), tido como desaparecido político.

Filme: Deslembro, foto 2

Eliane Giardini, premiada no Festival do Rio, é a vó de Joana (Jeanne)

 

As cenas iniciais são em Paris com a família se preparando para voltar ao Brasil e Joana indignada, preferia permanecer na França.  A partir daí o filme é conduzido pelo olhar da garota, que não entende o que acontece, desde a recepção no aeroporto — a família desembarca ao lado de outros anistiados — até o silêncio dos adultos sobre o desaparecimento de seu pai; Joana quer descobrir o que aconteceu com ele, se morreu, se foi assassinado ou se está vivo já que o corpo dele nunca foi encontrado. Ela precisa se adaptar a este novo país, mas necessita resgatar a própria história (era muito pequena quando partiram para o exílio, primeiro no Chile e depois para a Europa).

 

As memórias de Joana são esparsas, sua mãe se recusa a falar do passado e a avó paterna, vivida com brilhantismo por Eliane Giardini, é a única com quem ela consegue o mínimo de informação sobre o pai. Ao lado desta busca pelo passado, Joana também dá apoio aos garotos — Leon (Hugo Abranches) seu meio-irmão e Paco (Arhur Raynaud), filho do padrasto — e começa a criar vínculos, na escola com os novos amigos e com o primeiro namorado.

 

 

Assim como a memória da personagem, a diretora construiu o filme com fragmentos e o espectador é obrigado a juntar as peças como num quebra cabeça. O roteiro é inspirado na própria história de Flávia Castro, que também viveu com a família no exílio, com o pai (o jornalista Celso Castro) tendo sido assassinado de forma misteriosa. Parte desta história está retratada em seu documentário Diário de uma busca/2010.

 

Filme: Deslembro, foto 3

Arhur Raynaud, Jeanne e Hugo Abranches: filhos da família

 

Deslembro é um filme sensível e comovente, com destaque para a interpretação da jovem atriz Jeanne Boudier e de Eliane Giardini, merecidamente premiada no Festival do Rio como melhor atriz coadjuvante.
Fique com Caetano Veloso interpretando sua canção Cajuína (que recebeu uma versão delicada no filme), lançada no álbum Cinema Transcendental, em 1979, mesmo ano em que a trama se passa:

 

 

 

 

Fotos: divulgação

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Marcos Zaccharias Publicitário

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: