RSS FACEBOOK TWITTER

Discurso do Coração Infartado: só, ator revê a vida em noite de insônia


Peça: Discurso do Coração Infartado, foto 1

Silvana Stein interpreta um velho ator cômico que se debate com a existência humana

Depois de ter estreado em Belo Horizonte/MG, o monólogo Discurso do Coração Infartado acaba de chegar a São Paulo — está na sala 2 do CIT Ecum— para uma temporada até 3 de julho. Numa parceria de direção e dramaturgia, o cineasta mineiro Ricardo Alves Jr e a atriz gaúcha (radicada na capital mineira há 12 anos) Silvana Stein criaram o espetáculo em que o foco é um ator de comédia que sempre sonhou em atuar em dramas. Velho, cardiopata e sozinho em seu apartamento numa noite de insônia, Horácio tem dores no coração e, ao mesmo tempo, repensa sua existência por meio do dilema vivido pelo príncipe Hamlet (de William Shakespeare) quando descobre pelo fantasma do pai que seu tio usurpou o trono real. A única ligação com a realidade deste velho ator é quando a vizinha do andar de cima chega em casa: ao caminhar e desenvolver suas tarefas corriqueiras, ele é sobressaltado e é obrigado a lidar com o cotidiano e suas limitações físicas e existenciais.
A concepção da montagem induz o espectador ao clima solitário e sombrio vivenciado por Horácio: ao entrar numa pequena plateia disposta num canto do espaço cênico, o público fica de frente para um grande quadrado delimitado no chão em que está somente uma cadeira e uma geladeira. O velho ator, numa composição primorosa e rica em detalhes de Silvana Stein, começa a discorrer sobre seu drama e suas inquietações.

 

“Me empenho na feitura de personagens masculinos, no estudo do homem como gênero e suas manifestações emocionais e sensoriais; neste espetáculo, dei ênfase à percepção da velhice no corpo. Na parceria com o Ricardo, não tivemos pressa, queríamos o justo necessário para que a personagem pudesse viver suas fragilidades e maravilhas. A solidão é um fato”, esclarece a atriz.

 

 

Peça: Discurso do Coração Infartado, foto 2

Silvana divide direção e dramaturgia com o cineasta Ricardo Alves Jr

Hamlet serve como suporte dramatúrgico do espetáculo: o questionamento existencial por que passa o personagem clássico propicia que Horácio reflita sobre sua experiência de vida, em contraposição à vizinha do andar superior. Segundo o diretor, Hamlet ajuda a construir novo texto sobre o nosso tempo: a oposição entre o isolamento de Horácio e os afazeres de sua vizinha traz à tona uma relação que fala sobre existência humana nos dias atuais.
Destaco em Discurso do Coração Infartado a iluminação, assinada por Leonardo Pavanello, e o cenário, criado pelo diretor Ricardo Alves Jr, que funcionam em perfeita sintonia com a proposta da montagem. No entanto, o realce da peça é para Silvana Stein, que com maestria compõe o velho ator; sua desenvoltura em cena, com sutis trejeitos, emociona e dá o real contorno da solidão por que vive aquele personagem, assim como tantos de nós cidadãos das megalópoles contemporâneas.

Fotos: Guto Muniz

, , , ,

Maurício Mellone

Como jornalista — tendo atuado em rádio, TV, jornal, revistas e assessoria de imprensa —, a palavra sempre foi minha matéria prima. No entanto, desde 2000 venho cultivando o plano B, ou seja, mantenho no meu velho PC um arquivo com meus escritos, que na verdade já era um pré-blog. Lá, deixo fluir a imaginação para que a linguagem inclusive ganhe novos contornos.


Ver todos os posts de Maurício Mellone »

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta