Filme: Dor e Glória, foto 1

Dor e Glória: o mais novo (e emocionante) filme de Pedro Almodóvar

De em junho 19, 2019

Filme: Dor e Glória, foto 1

Antonio Banderas, protagonista do filme, foi premiado no Festival de Cannes como melhor ator

 

Aclamado no último Festival de Cannes — Antonio Banderas foi escolhido o melhor ator —, o mais recente filme do cineasta espanhol Pedro Almodóvar, Dor e Glória, acaba de estrear no país. Considerada a produção mais pessoal do diretor, a trama é centrada na vida do consagrado cineasta Salvador Mallo (Banderas), que vive mergulhado numa profunda depressão existencial (não escreve mais roteiros e muito menos dirige suas películas).

No entanto, o passado vem lhe assombrar e ele revive sua infância num vilarejo, ao lado da mãe — interpretada por duas atrizes sempre presentes na obra de Almodóvar, Penélope Cruz na fase da infância do diretor e Julieta Serrano na velhice —, além de relembrar seus amores e desilusões afetivas e sua inesgotável ligação com a escrita e o cinema. Impossível não se emocionar com mais uma pungente história deste grande cineasta.

 

 

Filme: Dor e Glória, foto 2

Penélope Cruz é Jacinta, mãe do personagem central da trama

 

A cena inicial, Salvador submerso numa piscina vindo à tona, funciona como prólogo e também como síntese do filme. Aquele homem que, até então não sofrera de problemas físicos, se encontra em depressão e com diversas dores que o imobilizam (física e psiquicamente). O passado vem à tona e pode tanto agravar a crise emocional como elucidar passagens de sua vida para que possa superar a inércia em que se encontra e voltar à vida novamente.

Como num sonho, Salvador volta à infância, nos anos 1960, no processo de imigração da família para a Espanha; com o pai sempre viajando, o garoto passa os dias ao lado da mãe e revela sua curiosidade pela vida e interesse pela leitura. É neste momento que aflora o primeiro desejo sexual (mesmo inconsciente) pelo pintor de parede que ele passou a ensinar a ler e escrever.

 

 

Num vai e vem (do passado ao presente), a trama conduz o espectador pelos momentos mais marcantes da vida de Salvador Mallo, que é surpreendido também com o convite para participar do lançamento de um de seus filmes de maior sucesso que acabara de ser restaurado. Ele é obrigado a visitar o ator que protagonizou o filme, Alberto, vivido por Asier Etxeandia, com quem havia brigado na época das filmagens. Este reencontro vai propiciar mudanças importantes: Salvador experimenta pela primeira vez a heroína (identificada como cavalo, gíria para a droga em referência à letra H, de horse) e Alberto também tem acesso a um novo texto do amigo. De tanto insistir, o ator obtém a autorização para levar ao palco este monólogo, que retrata o romance entre Salvador e Federico, vivido por Leonardo Sbaraglia. De passagem por Madrid, Federico assiste à peça e consegue reencontrar o velho amigo e amante da juventude. Depois de uma calorosa conversa em que repassam suas vidas, eles têm uma delicada e comovente despedida, que provoca o início da recuperação de Salvador.

 

 

Filme: Dor e Glória, foto 3

Salvadcor (Banderas) e Federico (Leonardo Sbaraglia): reencontro comovente

Além da delicadeza ao conduzir a trama, Almodóvar se mostra pleno neste novo trabalho, não só por suas sacadas que surpreendem o público (a cena final é reveladora do estilo do cineasta) assim como pela forma de revelar suas intimidades e seus amores, pela mãe, pelos homens de sua vida e principalmente pela profissão. Antonio Banderas, como alter ego do cineasta, tem uma das mais marcantes atuações da carreira (merecidamente reconhecido em Cannes); destaque também para Penélope Cruz e Julieta Serrano e Leonardo Sbaraglia, que passa toda a emoção pelo olhar.
Sem dúvida um filme arrebatador! Saí do cinema em estado de graça, extremamente tocado com o universo de Pedro Almodóvar.

 

 

 

 

 

Fotos: divulgação

https://www.mixbrasil.org.br/
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Uba

2 Comentários

Marcelo Bandiera

junho 19, 2019 @ 16:22

Resposta

Maurício, será que vem para alguma sala de cinema em Santos? Adoro o Almodóvar e sua resenha me deixou ansioso pra ver…Parabéns!

Maurício Mellone

junho 19, 2019 @ 17:44

Resposta

Marcelo:
q delícia receber sua visita por aqui!
Obrigado, suas palavras são um incentivo a continuar
neste trabalho.
Tomara q o novo filme do Almodóvar chegue logo em Santos,
pra vc ir logo conferir esta comovente história.
Bjs e volte mais vezes!

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: