Peça: DuoSolo, foto 1

DuoSolo: em nova peça dramaturga brinca com a desconstrução do teatro

De em março 18, 2019

Peça: DuoSolo, foto 1

Gustavo Haddad e Bruna Magnes protagonizam peça de Nanna de Castro

Assim como já fez em outra peça, A bala na agulha, a dramaturga Nanna de Castro volta a se utilizar da estrutura teatral para discutir as relações humanas. Desta vez em DuoSolo, dirigida por Dan Rosseto e em cartaz no Teatro Eva Herz somente às terças e quartas, ela radicaliza a proposta ao colocar uma peça dentro de outra peça. Dois atores, Gustavo Haddad e Bruna Magnes, estão num palco vazio e se preparam para ensaiar um texto. A trama traz apenas o Narrador e o Personagem, que interpretam diversos papéis de funcionários de uma empresa multinacional, em que fica evidente a disputa pelo poder.

 

Peça: DuoSolo, foto 2

Atores vivem diversos personagens

 

Tudo começa com Gustavo no centro do palco apresentando um texto que traz as várias vozes internas de uma mesma pessoa — este texto é repetido ao final do espetáculo por Bruna. Em seguida a atriz entra e começa a arrumar o cenário para iniciar o ensaio da peça e pede ajuda do colega. Eles são interrompidos pelo diretor, que pede para iniciarem a primeira cena (durante todo o ensaio há estas interferências, dadas por Rosseto, que está na sala dos técnicos, ao fundo).

As cenas da peça que os atores ensaiam acontecem num pequeno tablado e refletem as relações de poder de uma multinacional que está num processo de transformação interna. Além das disputas da empresa envolvendo o presidente, o diretor e o gerente de marketing, a diretora de RH e até a senhora do cafezinho, há o conflito entre o Personagem e o Narrador.

 

“Nossa montagem provoca a reflexão por meio da relação entre o opressor e o oprimido, transformando o Narrador e o Personagem em um só, contrastando seus desejos e frustrações, expectativas e resistências. A densidade psicológica proposta pela autora oferece muitas camadas a serem dissecadas”, afirma Dan Rosseto.

Dentro desta estrutura de metalinguagem, a proposta cênica é de desconstrução do próprio teatro — ao final os dois atores voltam a deixar o palco totalmente vazio e saem de cena. Como vivem diversos personagens, os dois atores têm a chance de um grande exercício de interpretação (fiquei particularmente bem impressionado com a versatilidade demonstrada por Haddad). Entretanto há um descompasso entre a proposta da dramaturgia e o resultado. Se em outros trabalhos como Novelo Nanna de Castro já havia mostrado extrema criatividade, desta vez senti falta de unidade entre as cenas e os conflitos são apenas apresentados e não discutidos em profundidade. O texto inicial, repetido no fim, fica desconectado do conjunto, assim como a relação de conflito fora de cena entre o ator e a atriz (Personagem e Narrador) é pouco desenvolvido.

Peça: DuoSolo, foto 3

Montagem dirigida por Dan Rosseto

Roteiro:
DuoSolo. Texto: Nanna de Castro. Direção: Dan Rosseto. Elenco: Bruna Magnes e Gustavo Haddad. Assistente de direção: Giovanna Marqueli. Cenário: Luiza Curvo. Iluminação: Herick Almeida. Arte gráfica: Leilane Bertunes. Fotografia: Erik Almeida. Direção de produção: Fabio Camara. Realização: Applauzo e Lugibi Produções.
Serviço:
Teatro Eva Herz (168 lugares), Av. Paulista, 2073, Conj. Nacional, tel. 11 3170-4059. Horários: terça e quarta às 21h. Ingressos: R$ 40. Bilheteria: de terça a sexta das 14h às 21h; sábado e domingo a partir das 14h. Duração: 70 min. Classificação: livre. Temporada: até 24/04.

 

Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Uba

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: