Peça: Elizabeth Costello, foto 1

Elizabeth Costello: autor premiado inspira solo de Lavínia Pannunzio

De em janeiro 24, 2020

Peça: Elizabeth Costello, foto 1

Lavínia Pannunzio protagoniza peça baseada na obra do escritor sul-africano J.M.Coetzee

 

 

Há muito não via tamanha entrega e despojamento em cena. A atriz Lavínia Pannunzio, idealizadora do projeto, é a protagonista do espetáculo Elizabeth Costello, montagem dirigida por Leonardo Ventura, em cartaz no TUSP, inspirada na obra homônima do escritor sul-africano J.M.Coetzee, vencedor do prêmio Nobel de literatura 2003.

 

A personagem central do livro, alter ego de Coetzee, é uma escritora famosa que faz palestras pelo mundo sobre os mais variados assuntos. Na adaptação para o palco, assinada pelo diretor, Elizabeth Costello faz uma análise da civilização contemporânea, refletindo sobre sua própria experiência de vida, como mulher, mãe, irmã, amante e escritora.

 

 

Peça: Elizabeth Costello, foto 2

Atriz idealizou o projeto, dirigido por Leonardo Ventura

 

 

O espetáculo acontece numa sala ampla, defronte a um jardim interno do TUSP, e a atriz recebe o público e dá algumas orientações antes de iniciar. E é com esta naturalidade que Lavínia pega o livro de Coetzee e começa a ler a primeira página. Em seguida vai até a cadeira, liga o velho gravador de rolo e incorpora Elizabeth Costello, já bem idosa, e dispara suas confissões.

 

Assim como o livro, a trama apresenta diversas camadas narrativas e o diretor optou por criar três planos temporais: o plano da escritora velha que grava suas reflexões sobre a vida, o plano da escritora jovem (uma personagem criada pela escritora) que está diante de um tribunal para fazer uma declaração de crença e o plano das ações desta personagem, em que há desde a lembrança do estupro da escritora ainda jovem, o encontro e embate com sua irmã que se tornou religiosa até a descrição do encontro da escritora com um velho pintor que ela aceita posar para ele. Há ainda um narrador que conduz toda a trama e Lavínia pula de um plano a outro com uma desenvoltura impressionante.

 

 

 

“Com os três planos em cena convencionou-se uma tradução em ação dos desdobramentos das narrativas que o autor propõe no material original. O cenário, a luz e o som ajudam na definição destes diferentes planos; entretanto, a encenação é ancorada, sobretudo, no trabalho da atriz”, diz Leonardo Ventura.

 

 

Os temas das reflexões da escritora são profundos e complexos, variando desde a crueldade com que os animais são tratados, as relações entre os homens e os deuses chegando à discussão sobre vida e morte. No final, a atriz retoma a leitura do livro, nas últimas páginas em que o autor filosofa sobre a velhice e a finitude.

 

 

Elizabeth Costello é mais um exemplo de que mesmo nestes tempos tenebrosos em que vivemos — com a Cultura sendo desprezada e tentativas de retomada da censura —, os artistas respondem com trabalhos reflexivos, profundos e de extrema criatividade. Além da dramaturgia densa e contundente, a montagem se vale da iluminação, do cenário e da trilha para conduzir a rica narrativa. E tudo se concretiza graças à performance extraordinária de Lavínia Pannunzio, que se entrega, literalmente, de corpo e alma ao espetáculo. Imperdível, só mais três semanas em cartaz. Programe-se.

 

 

Peça: Elizabeth Costello, foto 3

Lavínia em performance extraordinária

 

Roteiro:
Elizabeth Costello. Texto: J.M. Coetzee. Adaptação e direção: Leonardo Ventura. Idealização e atuação: Lavínia Pannunzio. Cenário: Chris Aizner. Figurino: Cassio Brasil. Iluminação: Aline Santini. Trilha original original: L.P. Daniel. Fotografia: João Maria. Designer gráfico: Zootz Comunicação. Produção: Corpo Rastreado.
Serviço:
TUSP – Teatro da USP (30 lugares), Rua Maria Antônia, 294, tel. 11 3123-5222. Horários: de quarta a sábado às 21h e domingo às 20h. Ingressos: R$30. Duração: 70 min. Classificação:  16 anos. Temporada: até 16/02.

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Favo do Mellone

2 Comentários

Fábio Mráz

janeiro 24, 2020 @ 16:22

Resposta

Excelente resenha para um espetáculo primoroso. Destaque absoluto para a performance e entrega da Lavinia, que mais uma vez confirma seu excepcional talento.
Muito bom!!!

Maurício Mellone

janeiro 26, 2020 @ 18:35

Resposta

Fábio, querido:
Obrigado pelo incentivo, vc sempre muito atencioso e carinhoso comigo e com o Favo!
A Lavínia realmente num momento estelar de sua carreira!
Um abraço imenso e até a próxima estreia!

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: