Gonzaga- de pai pra filho: Adelio Lima e Julio Andrade

Em Gonzaga- de pai pra filho, Breno Silveira homenageia o rei do baião

De em outubro 31, 2012

No Mundo da Lua / Gilberto Gil
Se o milagre acontecesse de eu voltar/
E o meu vulto aparecesse no sertão/
E o povo me pedisse pra cantar/
E na hora me faltasse o vozeirão/

Se o milagre acontecesse de eu voltar/
Sem poder sair cantando por aí/
Juro que eu pedia a Deus pra me polpar/
De um milagre tão besta, tão chinfrim/

Afinal de contas se eu ainda sou rei/
É que aí na terra tudo é tão real/
E o povo canta o canto que eu cantei/
Não importa o certo e o errado, o bem e o mal/

Que vocês ainda possam me escutar/
Através das minhas velhas gravações/
É sinal que o mundo vai continuar/
A viver de mitos, sonhos e paixões.”

Com Gilberto Gil declamando os versos de sua canção em homenagem ao rei do baião é que o filme Gonzaga- de pai pra filho inicia e fisga o espectador já nas primeiras cenas. O diretor Breno Silveira é mestre em contar uma história com emoção: em 2 Filhos de Francisco levou a legião de fãs da dupla Zezé di Camargo e Luciano e o púbico em geral às lágrimas com a trajetória dos cantores e mais recentemente fez o mesmo com À Beira do Caminho sobre os desamores de um caminhoneiro, fã ardoroso de Roberto Carlos.

Gonzaga- de pai pra filho: Adelio Lima e Julio Andrade

Adelio Lima e Julio Andrade interpretam Gonzagão e Gonzaguinha em filme de Breno Silveira

Desta vez o foco desloca-se para o sertão nordestino e Silveira mostra um recorte na vida de Luiz Gonzaga: num período sem shows e fora do mercado fonográfico, o rei do baião recebe a inesperada visita do filho, Gonzaguinha, que deseja ajudá-lo; no entanto as mágoas do passado ainda estavam presentes e os dois brigam novamente. Com a tentativa de explicar o porquê de sua ausência na vida do filho, Gonzaga começa a relatar sua história de vida e o filme recua aos anos 20, quando tudo começou.

Com roteiro de Patrícia Andrade e tendo como fonte de pesquisa o livro O Rei e o Baião de Bené Fonteles e fitas com diálogos entre o Gonzagão e Gonzaguinha, Gonzaga- de pai pra filho intercala cenas do encontro de pai e filho nos anos 80 e passagens na vida de Luiz Gonzaga.
Com o recuo na história, o filme traz desde o primeiro amor de Gonzaga na adolescência ainda no sertão ao lado dos pais, sua ida para a capital do Estado, os 10 anos que passou no exército, sua chegada ao Rio e início da carreira profissional, seus dois casamentos, o êxito profissional até o início do ostracismo, quando o filho chega para resgatá-lo para o sucesso arrebatador.

Luiz Gonzaga e Gonzaguinha

Luiz Gonzaga e seu filho Gonzaguinha nos anos 80

Para viver pai e filho, o diretor optou por escalar atores diferentes nas diversas fases. Assim Gonzagão é interpretado por Land Vieria na adolescência, Chambinho do Acordeon (dos 20 aos 50 anos) e Adelio Lima aos 70 anos. Já Gonzaguinha é vivido por Alison Santos na infância, Giancarlo di Tomazzio na adolescência e Julio Andrade nos anos 80, num trabalho primoroso de composição. Chambinho e Adelio também impressionam com a brilhante e convincente interpretação para o rei do baião.
Mais do que homenagear Luiz Gonzaga e sua carreira de sucesso — com o parceiro Humberto Teixeira, Lua, como era carinhosamente chamado, é considerado o pioneiro em gêneros musicais como o baião, xote e xaxado —, Gonzaga- de pai pra filho mostra os bastidores da vida do homem, pai de família e artista, obrigado a se ausentar para cumprir extensa agenda de shows pelo país. As cenas de conflitos de pai e filho e a reconciliação entre eles são de extrema emoção. Destaque do filme também para a cuidadosa caracterização de época (vários períodos em diferentes localidades) e afinada interpretação do elenco, que conta com Luciano Quirino e Sílvia Buarque como padrinhos de Gonzaguinha, Cláudio Jaborandy e Cyria Coentro como Januário e Santana pais de Gonzagão e ainda as participações de João Miguel, Zezé Motta, Cecília Dassi e Domingos Montagner.

 

Este filme é pra quem gosta de cultura popular brasileira, músicas regionais e também de um bom drama”, arremata o diretor Breno Silveira.

Cartaz do filme Gonzaga- de pai pra filho

Cartaz do filme que homenageia o rei do baião, interpretado também por Chambinho do Acordeon

 

 

Para aguçar a vontade de assistir ao filme, acompanhe este vídeo do rei do baião cantando a clássica Asa Branca, que compôs em parceria com Humberto Teixeira:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

http://www.youtube.com/watch?v=cGDJ-oWQ3_o

 

você pode gostar

Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: