Peça: Eu sei exatamente como você se sente, foto 1

Eu sei exatamente como você se sente: peça discute que é ser gay hoje

De em abril 3, 2019

Peça: Eu sei exatamente como você se sente, foto 1

Elenco: Paulo Olyva, Pedro Silveira, Zé Henrique de Paula e Fabio Redkowicz

Em temporada popular neste mês no Teatro Municipal João Caetano , o Núcleo Experimental, dirigido por Zé Henrique de Paula, apresenta dois espetáculos do repertório do grupo: o musical Lembro todo dia de você, encenado nos finais de semana, e Eu sei exatamente como você se sente, que reúne cinco monólogos do dramaturgo britânico Neil Bartlett que discutem a condição da homossexualidade na sociedade contemporânea.

O espetáculo é composto pelos 5 solos — Onde está o amor?, É pra isso que servem os amigos, O que você vai fazer?, Improvável e O meu amor é forte assim —, que são intercalados entre si durante os 80 minutos de duração e interpretados por Fabio Redkowicz, Paulo Olyva, Pedro Silveira e Zé Henrique de Paula.

Para começar o espetáculo, a pequena plateia (60 pessoas) é convidada a entrar pela lateral do teatro, subir ao palco e se sentar diante dos músicos Rafa Miranda (teclado) e Felipe Parisi (violoncelo) e de quatro grandes caixas de papelão. As luzes se apagam, os músicos começam a tocar e das caixas os atores vão se levantando para interpretarem seus monólogos.

Peça: Eu sei exatamente como você se sente, foto 2

Pedro Silveira

 

As histórias são contadas de forma intercalada e o espectador no decorrer da apresentação vai montando cada uma delas, num grande quebra-cabeça. Os temas são diversos, mas a tônica é a mesma: discutir a condição de ser gay hoje neste mundo tão conturbado, em que a discriminação, a homofobia, a violência e a intolerância estão disseminadas pela sociedade. Além da denúncia destes atos criminosos, o autor — que desde os anos 1980 é um militante contra a homofobia — também trata da importância das uniões homoafetivas, do diálogo entre pais e filhos sobre a homossexualidade, da existência ainda entre nós do estigma aos portadores de HIV e da extrema necessidade da luta pelos direitos da comunidade LGBT, principalmente no Brasil, o país que mais mata gays, lésbicas, transexuais e transgêneros.

 

Peça: Eu sei exatamente como você se sente, foto 4

Zé Henrique de Paula: atua e dirige a peça

 

Numa concepção cênica simples, em que os atores estão de peitos nus e bem próximos do público, a identificação, empatia são inevitáveis. O monólogo sobre o cotidiano de um soropositivo é tocante, particularmente fiquei bem emocionado com a interpretação de Fabio Redkowicz — os demais atores também têm grandes atuações.  A delicadeza e a criatividade da direção de Zé Henrique é outro destaque da montagem: a forma como os textos são apresentados, de forma alternada, prende a atenção do espectador.

 

 

Peça: Eu sei exatamente como você se sente, foto 5

Paulo Olyva

 

 

A dramaturgia contundente e de denúncia de Neil Bartlett induz à reflexão sobre como a sociedade contemporânea ainda reage com violência e discriminação diante do diferente. Imperdível. Assista também ao musical, Lembro todo dia de você, um olhar realista sobre como é ser portador de HIV nos dias atuais.

 

 

 

Peça: Eu sei exatamente como você se sente, foto 3

Fabio Redkowicz: atuação comovente

 

Roteiro:
Eu sei exatamente como você se sente. Textos: Neil Bartlett. Direção: Inês Aranha e Zé Henrique de Paula. Direção musical: Rafa Miranda. Elenco: Fabio Redkowicz, Paulo Olyva, Pedro Silveira e Zé Henrique de Paula. Músicos: Rafa Miranda e Felipe Parisi. Iluminação: Fran Barros. Cenografia e visagismo: Zé Henrique de Paula. Fotografia: Ronaldo Gutierrez. Produção: Claudia Miranda.
Serviço
Teatro Municipal João Caetano, (438 lugares), Rua Borges, 650, tel. 11 5573-3774. Horários: quinta e sexta às 21 h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10. Duração: 80 min. Classificação: 14 anos. Temporada: até 19 de abril.

 

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Uba

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: