Peça: Extinção, foto 1

Extinção: espetáculo marca os 50 anos de carreira de Denise Stoklos

De em abril 19, 2018

Peça: Extinção, foto 1

Só em cena, Denise Stoklos assina coreografia, sonoplastia e textos adaptados da montagem

Depois de estrear no último Festival de Teatro de Curitiba, Denise Stoklos chega à cidade, no SESC Consolação , com o espetáculo Extinção, que marca o início das comemorações de seus 50 anos de carreira. Partindo do texto do dramaturgo austríaco Thomas Bernhard, que questiona valores conservadores da sociedade, a atriz revisita seus principais trabalhos, como Mary Stuart, Casa, 500 anos – um fax de Denise Stoklos para Cristovão Colombo e o grande sucesso Um orgasmo adulto escapa do zoológico, de Dario Fo e dirigido por Antonio Abujamra.

Autora do método do teatro essencial — ter o mínimo possível em cena de efeitos e o máximo de teatralidade —, Denise está só no palco, mas divide a direção com Francisco Medeiros e Marcio Aurelio, diretores de sua geração e com quem ela sempre quis trabalhar.

Peça: Extinção, foto 2

Atriz divide a direção com Francisco Medeiros e Marcio Aurelio

Num cenário de J.C. Serroni que reproduz um estado de ruína, a atriz entra em cena e percorre todo o espaço antes de iniciar a peça, que mescla a obra de Bernhard com textos dela mesma. E logo no início Denise revela uma característica da montagem: ela lê o texto e confessa à plateia que está literalmente lendo, ainda não decorou tudo. Mas nem por isso a carga dramática está ausente. Ela, desta forma, ri de si mesma, enfatizando o tom irônico, questionador e provocativo da peça do dramaturgo austríaco.

Como é um espetáculo comemorativo dos 50 anos de carreira da atriz, há referências as suas principais montagens, com projeção em vídeo de algumas apresentações das peças, tanto no Brasil como no mundo — Denise se apresentou em vários idiomas, em países os mais diversos, como China, Ucrânia, Rússia, além dos EUA e países europeus.
Outro destaque da montagem é a projeção do vídeo em que o saudoso Antonio Abujamra, com seu marcante tom provocador, corrobora com a proposta demolidora do espetáculo.

 

“O trabalho desta peça carrega o desejo de encenar uma posição política radical neste momento específico de nosso país, no qual a lucidez provocada por Bernhard demonstra que sem extinção não se atinge uma nova etapa civilizatória que nos redima da mediocridade existencial, política e emocional atualmente instalada”, arremata Denise Stoklos.
 

Além da força do texto (que ganhou a colaboração do psicanalista e escritor Ricardo Goldenberg na dramaturgia), da iluminação de Aline Santini e da direção coesa de Francisco Medeiros e Marcio Aurelio, a atriz, diretora, coreógrafa e dramaturga Denise Stoklos mais uma vez mostra seu vigor cênico e sua entrega total à arte de representar nesta montagem comemorativa dos 50 anos de carreira. Denise avisa que as festividades irão culminar com a realização do FIDS, Festival Internacional de Solo, que deve estrear em sua cidade natal, Irati/PR, até o final do ano. Aguardemos!

Peça: Extinção, foto 3

Denise ri de si mesma em texto corrosivo

Roteiro:
Extinção – espetáculo inspirado na obra de Thomas Bernhard. Direção: Denise Stoklos, Francisco Medeiros e Marcio Aurelio. Dramaturgia: Ricardo Goldenberg. Concepção teatral, textos adaptados, coreografia, sonoplastia e interpretação: Denise Stoklos. Cenografia: J.C. Serroni. Iluminação: Aline Santini. Figurino: UMA/Raquel Davidovich. Vídeo: Leandro N Lima. Fotografia: Leekyung Kim. Produção: Daltrozo Produções.
Serviço:
SESC Consolação, Teatro Anchieta (280 lugares), Rua Dr. Vila Nova, 245, tel. 11 3234-3000. Horários: sexta e sábado às 21h e domingo às 18h. Ingressos: R$  40, R$ 20 e R$ 12 (comerciários). Duração: 75 min. Classificação: 16 anos. Temporada: até 20 de maio.

Marcos Zaccharias Publicitário
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Uba

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: