Peça: Extinção, foto 1

Extinção: espetáculo marca os 50 anos de carreira de Denise Stoklos

De em abril 19, 2018

Peça: Extinção, foto 1

Só em cena, Denise Stoklos assina coreografia, sonoplastia e textos adaptados da montagem

Depois de estrear no último Festival de Teatro de Curitiba, Denise Stoklos chega à cidade, no SESC Consolação , com o espetáculo Extinção, que marca o início das comemorações de seus 50 anos de carreira. Partindo do texto do dramaturgo austríaco Thomas Bernhard, que questiona valores conservadores da sociedade, a atriz revisita seus principais trabalhos, como Mary Stuart, Casa, 500 anos – um fax de Denise Stoklos para Cristovão Colombo e o grande sucesso Um orgasmo adulto escapa do zoológico, de Dario Fo e dirigido por Antonio Abujamra.

Autora do método do teatro essencial — ter o mínimo possível em cena de efeitos e o máximo de teatralidade —, Denise está só no palco, mas divide a direção com Francisco Medeiros e Marcio Aurelio, diretores de sua geração e com quem ela sempre quis trabalhar.

Peça: Extinção, foto 2

Atriz divide a direção com Francisco Medeiros e Marcio Aurelio

Num cenário de J.C. Serroni que reproduz um estado de ruína, a atriz entra em cena e percorre todo o espaço antes de iniciar a peça, que mescla a obra de Bernhard com textos dela mesma. E logo no início Denise revela uma característica da montagem: ela lê o texto e confessa à plateia que está literalmente lendo, ainda não decorou tudo. Mas nem por isso a carga dramática está ausente. Ela, desta forma, ri de si mesma, enfatizando o tom irônico, questionador e provocativo da peça do dramaturgo austríaco.

Como é um espetáculo comemorativo dos 50 anos de carreira da atriz, há referências as suas principais montagens, com projeção em vídeo de algumas apresentações das peças, tanto no Brasil como no mundo — Denise se apresentou em vários idiomas, em países os mais diversos, como China, Ucrânia, Rússia, além dos EUA e países europeus.
Outro destaque da montagem é a projeção do vídeo em que o saudoso Antonio Abujamra, com seu marcante tom provocador, corrobora com a proposta demolidora do espetáculo.

 

“O trabalho desta peça carrega o desejo de encenar uma posição política radical neste momento específico de nosso país, no qual a lucidez provocada por Bernhard demonstra que sem extinção não se atinge uma nova etapa civilizatória que nos redima da mediocridade existencial, política e emocional atualmente instalada”, arremata Denise Stoklos.
 

Além da força do texto (que ganhou a colaboração do psicanalista e escritor Ricardo Goldenberg na dramaturgia), da iluminação de Aline Santini e da direção coesa de Francisco Medeiros e Marcio Aurelio, a atriz, diretora, coreógrafa e dramaturga Denise Stoklos mais uma vez mostra seu vigor cênico e sua entrega total à arte de representar nesta montagem comemorativa dos 50 anos de carreira. Denise avisa que as festividades irão culminar com a realização do FIDS, Festival Internacional de Solo, que deve estrear em sua cidade natal, Irati/PR, até o final do ano. Aguardemos!

Peça: Extinção, foto 3

Denise ri de si mesma em texto corrosivo

Roteiro:
Extinção – espetáculo inspirado na obra de Thomas Bernhard. Direção: Denise Stoklos, Francisco Medeiros e Marcio Aurelio. Dramaturgia: Ricardo Goldenberg. Concepção teatral, textos adaptados, coreografia, sonoplastia e interpretação: Denise Stoklos. Cenografia: J.C. Serroni. Iluminação: Aline Santini. Figurino: UMA/Raquel Davidovich. Vídeo: Leandro N Lima. Fotografia: Leekyung Kim. Produção: Daltrozo Produções.
Serviço:
SESC Consolação, Teatro Anchieta (280 lugares), Rua Dr. Vila Nova, 245, tel. 11 3234-3000. Horários: sexta e sábado às 21h e domingo às 18h. Ingressos: R$  40, R$ 20 e R$ 12 (comerciários). Duração: 75 min. Classificação: 16 anos. Temporada: até 20 de maio.


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento