Filme: Entre Abelhas, foto 1

Fábio Porchat protagoniza a comédia dramática ‘Entre Abelhas’

De em maio 4, 2015

Filme: Entre Abelhas, foto 1

Fábio Porchat interpreta Bruno, que aos 30 anos se separa e começa a não ver as pessoas

Consagrado como um dos grandes comediantes da nova geração — é um dos criadores do fenômeno da internet, o portal de humor Porta dos Fundos, o ator Fábio Porchat dá uma guinada na carreira e mostra sua veia dramática no filme Entre Abelhas, que acaba de estrear e não tem nada de humor. Pelo contrário: com roteiro assinado em parceria com o diretor Ian SBF, também do Porta, Porchat vive o drama de Bruno, que aos 30 anos precisa se reinventar, já que sua mulher Regina (Giovanna Lancellotti) pede a separação e a única saída para ele é voltar a morar com a mãe, brilhantemente interpretada por Irene Ravache.  Não bastasse este trauma emocional, Bruno começa a não enxergar as pessoas ao seu redor, o que o deixa ainda mais transtornado e sentindo-se fora do mundo.

Filme: Entre Abelhas, foto 2

Irene Ravache vive a mãe de Bruno (Porchat), a única que conhece seu drama

A cena inicial é uma festa em que Bruno e os amigos do trabalho, liderados por David (Marcos Veras), comemoram sua despedida de casado. E não poderia ser de outra forma: a farra é numa boate, com muitas mulheres; ao final eles tiram uma foto com todos juntos. No dia seguinte, além da ressaca, Bruno começa a sentir os primeiros sintomas de seu verdadeiro drama: ele não enxerga algumas pessoas e tromba com algumas ao sair do metrô e andando pela rua. Sem entender o que está acontecendo, o rapaz no trabalho tem outro susto: como trabalha numa agência de publicidade e é o responsável por editar vídeos dos clientes, as pessoas das imagens também começam a desaparecer. Isto fica evidente com a foto da festa, em que aos poucos cada um de seus amigos vai sumindo.
Bruno só tem coragem de revelar seu drama para a mãe, que tenta ajudá-lo de todas as formas. Uma das táticas que ela põe em prática é levar o garçom Nildo (Luís Lobianco) para que Bruno tente vê-lo — uma das poucas cenas de humor do filme. Com muito custo, Bruno aceita fazer terapia, que a mãe sugeriu, e o psiquiatra (Marcelo Valle) tenta desvendar com ele a razão do sumiço das pessoas de sua vida.
Qual a relação dos desaparecimentos das pessoas com as perdas (reais e imaginárias) vividas pelo personagem? Qual o vínculo afetivo de Bruno com as pessoas que desaparecem? O sumiço das pessoas não está relacionado com o que Bruno vê e o que ele não quer ver? Estas indagações sugeridas pelo roteiro servem tanto para o personagem da trama como para cada um de nós.
Às vezes nem nos damos conta, mas quantas pessoas saem de nossas vidas sem qualquer explicação? Como reagir ao desaparecimento e perdas das pessoas próximas?

Filme: Entre Abelhas, foto 3

Porchat divide a cena com Marcos Veras (David)

Assim como o grande público, fui ao Entre Abelhas acreditando encontrar Fábio Porchat provocando muito riso e gargalhadas. Pura ilusão: o ator encarna o grave drama psicológico do personagem com maestria e brilhantismo. O filme traz cenas engraçadas, mas o público sai da sala de exibição com muitas questões para refletir e analisar. E o mais interessante: o final está em aberto exatamente para forçar a reflexão do espectador. Vale a pena conferir!

 

 

 

Fotos: divulgação

Tório 2
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Favo do Mellone

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: