Mostra GIL70-Gil, foto 1

GIL 70 celebra os 70 anos de Gilberto Gil e seus 50 anos de carreira

De em janeiro 30, 2013

Mostra GIL70-Gil, foto 1

Gilberto Gil é homenageado em mostra que reúne informações de sua vida e obra, além de trabalhos de 27 artistas inspirados em suas canções

Bela homenagem ao mestre da Tropicália, que completou 70 anos no ano passado! Gilberto Passos Gil Moreira nasceu em Salvador a 26 de junho de 1942 e há exatos 50 anos vem construindo uma carreira artística de sucesso e principalmente engajada na cultura brasileira.

 

“Eu me considero um filósofo ambulante. Sou uma pessoa que extrai filosofia dos fatos iluminados da vida”. Gilberto Gil

 

GIL 70 é a mostra que celebra o cantor e compositor baiano e traz obras de 27 artistas inspiradas nas canções dele; são desde pinturas, vídeos, fotografias, esculturas, instalações a grafite e poesia visual. A mostra foi inaugurada no Centro Cultural Correios, no Rio, no ano passado, e até o dia 17 de fevereiro permanece no Itaú Cultural.

“Os trabalhos reunidos em GIL 70 ou foram concebidos especialmente para a exposição ou são inéditos do formato expositivo. Os multimeios utilizados — do grafite ao digital, do poema à instalação — mostram que falar de Gilberto Gil é falar de todos nós, em todos os sentidos”, argumentam os curadores André Vallias e Frederico Coelho.

 

A mostra ocupa três andares do prédio: no térreo há a linha do tempo, com fotos e informações tanto da vida de Gilberto Gil, como dos principais acontecimentos históricos dos últimos 70 anos. Há ainda a reprodução das capas dos 30 LPs e 15 CDs dos 50 anos da carreira do Gil, além de uma bancada com vídeos reproduzindo shows e entrevistas do artista. Nos andares superior e inferior a curadoria reservou aos trabalhos dos 27 artistas.

Mostra GIL70, foto 2

Logo da exposição que celebra os 70 anos de vida de Gil e seus 50 anos de carreira

Logo ao chegar à GIL 70, o público é recepcionado com a linha do tempo, que traz detalhadamente a vida e a obra de Gilberto Gil. Com fotos dos pais e da família mesmo antes de seu nascimento, o visitante pode acompanhar passo a passo a carreira do ídolo: sua formação escolar e universitária, suas primeiras composições e participação em programas de TV, sua vinda para São Paulo, seus casamentos e nascimento dos filhos e netos, o início do sucesso, a mudança para o Rio, sua carreira política (foi vereador em Salvador e ministro da Cultura, de 2003 a 2008) até a gravação do mais recente CD, Concerto de Cordas & Máquinas de Ritmo, de 2012.

 

“Minha ideologia é o nascer de cada dia e minha religião é a luz na escuridão”. Gilberto Gil

 

 

Mostra GIL70, foto 3

Gil gravou em 2012 o CD “Concerto de Cordas & Máquinas de Ritmo”

Um destaque deste primeiro andar da exposição é a bancada com os vídeos: além de diversos shows de Gil pelo Brasil e pelo mundo, há entrevistas de várias épocas; uma que me emocionou muito é a que Gil conta do processo de criação da canção Cálice, com Chico Buarque. O título se refere ao cálice de vinho, mas também ao ato de se calar num momento de ditadura militar autoritária. A canção foi censurada e no show que ambos fizeram na época puderam apenas cantarolar a melodia:

 

“Pai, afasta de mim esse cálice/
Pai, afasta de mim esse cálice/
Pai, afasta de mim esse cálice/
De vinho tinto de sangue…”

No piso superior da mostra estão os displays (que continuam no piso inferior) com as 70 canções mais significativas da carreira do Gil, além dos trabalhos dos outros artistas. Destaque para a tela inédita do artista plástico José Roberto Aguilar, Gil e sua Turma, o vídeo-instalação de Andrucha Waddington, Lula Buarque de Hollanda e Gualter Pupo e a obra interativa de Jarbas Jácome, Oriente, uma teia de aranha que cresce ao som do violão tocado por Gil.
No piso inferior, destaque para o poema-instalação de Caetano Veloso, Gilberto Misterioso — “Gil engendra em Gil Rouxinol”, o poema visual de Augusto de Campos, Tristes Tópicos, a instalação Corações a Mil de Adriana Calcanhoto, o poema visual Meditação, de Arnaldo Antunes e as esculturas de Raul Mourão, Futurível.
GIL 70 é sem dúvida um mergulho na carreira deste criativo e provocador artista brasileiro e a chance de perceber a importância de Gilberto Gil para a construção da cultura brasileira contemporânea. Como aperitivo, curta abaixo o vídeo da canção Aqui e Agora, que sintetiza a sensibilidade do compositor baiano:

 

Fotos: divulgação

 

Mostra GIL70, foto 4

Saguão do Itaú Cultural: linha do tempo da mostra em homenagem ao Gil

Roteiro:
GIL70. Mostra celebra os 70 anos de Gilberto Gil e seus 50 anos de carreira. Curadoria: André Valias, com colaboração de Frederico Coelho. Trabalhos de 27 artistas inspirados em músicas do cantor e compositor baiano.
Serviço:
Itaú Cultural, Av. Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô, tels:  2168-1776/1777 www.itaucultural.org.br. Horários: de terça-feira a sexta-feira das 9h às 20h, sábados, domingos e feriados, das 11h às 20h. Entrada franca. Classificação: livre. Estacionamento com manobrista: R$ 10 uma hora; R$ 5 a segunda hora; e mais R$ 4 p/ hora adicional. Estacionamento gratuito para bicicletas. Acesso para deficientes físicos. Temporada: até 17 de fevereiro de 2013.

Uba
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Tório 2

2 Comentários

Dinah Sales de Olive

janeiro 30, 2013 @ 18:01

Resposta

Maurício,
Essa eu não perco de jeito nenhum!
Ver a vida dele assim – inteirinha – e relembrar a nossa própria história sempre com ‘trilha sonora de Gil ao fundo’ deve ser uma maravilha.

beijo.

Maurício Mellone

janeiro 31, 2013 @ 16:18

Resposta

Dinah,
acho q vc vai gostar! Os displays contêm 70 composições do Gil,
segundo os curadores, as mais significativas da carreira dele.
Adorei a instalação ‘Oriente’ do Jarbas Jácome. Depois vc me conta
o q achou da mostra.
bjs e obrigadíssimo pela frequência constante e carinhosa!

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: