Peça: Hedda Gabler, foto 1

Hedda Gabler: texto clássico de Ibsen ganha versão de Marcio Macena

De em junho 24, 2019

Peça: Hedda Gabler, foto 1

Mel Lisboa interpreta personagem título desta peça escrita em 1891

Como é sempre enriquecedor ter acesso aos clássicos da literatura mundial. É o caso de Hedda Gabler, peça escrita em 1891 pelo norueguês Henrik Ibsen, que A Não Cia de Teatro, liderada pelo diretor Marcio Macena, adaptou e apresenta no Espaço Parlapatões.

Uma das mais complexas personagens femininas da história do teatro universal é revivida pela atriz Mel Lisboa, que divide o palco com Carol Carreiro, Dudu Pelizzari, Samuel de Assis, Rafael Maia e Yael Pecarovich. Mesmo antes de se falar em feminismo, Ibsen neste texto já discutia o papel da mulher na sociedade.

Peça: Hedda Gabler, foto 2

Rafael Maia, Mel e Carol Carreiro vivem misterioso triângulo amoroso

 

Graças ao pé direito alto do teatro, a iluminação e o gelo seco em profusão criam o ambiente ideal para a condução da bem articulada trama de Ibsen, envolvendo o público desde o início. E o significado literal da palavra trama (fios que se entrelaçam) se encaixa perfeitamente em Hedda Gabler: a partir da introdução, o espectador se vê ‘enredado’ naquela história.

A governanta Berte, vivida por Yael, é quem dá o mote inicial, contando que os patrões Jorgen e Hedda (Pelizzari e Mel) acabaram de chegar da viagem de lua de mel. Ela está grávida, mas não quer que ninguém saiba e seu marido espera pela nomeação a uma cadeira na universidade. No entanto Jorgen terá de disputar a vaga justamente com Ejlert Lovborg (Maia), um antigo admirador de Hedda e que vem sendo auxiliado em suas teses por Thea Elvsted (Carol), que abandonou o marido para acompanhar o amante. O juiz Brack (Assis), que se encanta por Hedda, é assíduo frequentador da mansão dos recém-casados, além de ser um perspicaz observador dos intrincados acontecimentos vividos por este grupo de amigos; Brack fará de tudo para se aproximar cada vez mais de Hedda, que atenta a tudo não se deixa abater ou se submeter a chantagens. Enredo repleto de intrigas, traições, amor e ódio.

“Minha escolha parte para uma encenação atemporal, com uma simplicidade exigida ao trabalharmos com a grandeza do texto de Ibsen. O texto trata de feminismo, palavra que nem existia na época que a peça foi escrita, e que a figura da Hedda traz com tanta força. Quem diria que um texto escrito no século XIX seria tão atual”, indaga Marcio Macena.

Com tradução de Leonardo Pinto Silva, a peça ganha esta dinâmica contemporânea graças à adaptação da companhia, liderada por Macena, que assina ainda cenário em parceria com Morena Carvalho e figurino, com Carol Badra. A iluminação e a trilha são elementos fundamentais para condução da narrativa. Destaque ainda para a versatilidade de Mel Lisboa, que defende com firmeza uma personagem tão emblemática, e para a atuação de Carol Carreiro e Samuel de Assis. Confira, a temporada se estende até final de julho.

 

Peça: Hedda Gabler, foto 3

Carol e Mel: sintonia em cena

Roteiro:
Hedda Gabler. Texto: Henrik Ibsen. Tradução: Leonardo Pinto Silva. Direção: Marcio Macena. Elenco: Mel Lisboa, Samuel de Assis, Dudu Pelizzari, Rafael Maia, Carol Carreiro e Yael Pecarovich. Adaptação: A Não Companhia de Teatro. Assistentes de direção: Glaucia da Fonseca e Renan Paini. Iluminação: César Pivetti e Vânia Jaconis. Cenário: Márcio Macena e Morena Carvalho. Figurino: Márcio Macena e Carol Badra. Visagismo: Dicko Lorenzo. Trilha original: Márcio Guimarães. Fotografia: Hudson Senna. Produção executiva: Daniela D’agostino. Designer gráfico: Pietro Leal.
Serviço:
Espaço Parlapatões (96 lugares): Pr. Franklin Roosevelt, 158, tel. 11 3258-4449. Horários: sexta e sábado às 21h e domingo às 20h. Ingressos: R$ 50 e R$ 25. Duração: 105 min. Classificação: 14 anos. Temporada: até 28 de julho

 

Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: