Filme: Infiltrado na Klan, foto 1

Infiltrado na Klan: policial negro desmascara organização racista

De em dezembro 18, 2018

Filme: Infiltrado na Klan, foto 1

Adan Driver e John David Washington vivem os policiais que se infiltram na organização racista 

Com quatro indicações ao Globo de Ouro, inclusive melhor drama, filme de Spike Lee, Infiltrado na Klan, baseado em fatos reais, mostra como o policial negro Ron Stallworth, vivido pelo ator John David Washington, se infiltrou na Ku Klux Klan (KKK) nos anos 1970 e, por meio de criteriosa investigação, conseguiu desmascarar a racista organização norte-americana.

Com roteiro do próprio diretor e tendo como base o livro do policial Stallworth, a trama retrata os bastidores da investigação: o policial se comunicava com a organização por meio de telefonemas e cartas, mas nos encontros do grupo supremacista quem assumia a identidade de Ron era o seu companheiro de trabalho, o polical branco Flip Zimmerman, interpretado por Adan Driver, que por ironia do destino era judeu, outro grupo étnico combatido pela KKK.

 

Filme: Infiltrado na Klan, foto 2

Ron (John David) e Patrice, vivida por Laura Harrier

 

Com minuciosa reconstituição de época — trilha sonora, carros, figurinos e os marcantes cabelos black power —, a produção registra o cotidiano do policial Ron Stallworth, que durante o dia integra o equipe policial do estado de Colorado; no entanto,  à noite vai aos bares e boates em que os negros se reuniam. É numa destas noites que conhece a estudante Patrice (Laura Harrier), que tem verdadeira aversão à polícia. Ron omite sua profissão, mas aceita o convite da garota para assistir a uma palestra de um importante militante negro. No entanto, é no departamento policial que ele tem um insight: ao ler um anúncio da KKK no jornal, resolve ligar e começa a travar um contato com a organização. Ao responder as perguntas, ele confessa ter ódio dos negros e, graças ao seu talento como investigador, consegue até marcar um encontro com os demais membros. É aí que entra em ação outro policial, o branco Flip Zimmerman, que se passa por Ron Stallworth.

Mesmo passando por riscos de serem desmascarados, os policiais conseguem enganar o grupo racista e obtêm informações preciosas sobre a organização, inclusive sobre futuros ataques e crimes de ódio planejados pela KKK. Uma das sequências mais emocionantes do filme é quando o diretor intercala cenas dos supremacistas brancos reunidos numa celebração com uma palestra de um negro ancião que relata o episódio covarde do assassinato de um negro em praça pública.

Filme: Infiltrado na Klan, foto 3

Reunião da organização KKK

 

O tom de denúncia do filme de Spike Lee contra atos de violência e discriminação racial nos Estados Unidos ganha ainda mais força com o final da projeção. Depois da história de Ron Stallworth ocorrida nos anos 1970, o diretor introduz reportagens recentes, tanto de agressões e crimes cometidos por policiais contra negros como manifestações da população em defesa dos negros e a repressão policial e os atos de violência de grupos supremacistas. Tudo permeado com pronunciamentos um tanto hipócritas do presidente Trump. Um horror! Que esta onda conservadora que atinge o mundo, inclusive o Brasil, não provoque ainda mais discriminação e crimes raciais e contra as minorias (lgbtqfobia). Amém!

 

 

 

 

Fotos: divulgação

Uba
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Uba

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: