Peça: Leite Derramado, foto 1

Leite Derramado: últimos dias da versão da obra de Chico Buarque

De em novembro 9, 2016

Peça: Leite Derramado, foto 1

Juliana Galdino interpreta o ancião Eulálio D’Assumpção, que aos 100 anos revê sua vida e a história do Brasil

A curta temporada do espetáculo Leite Derramado chega ao fim neste domingo. Em cartaz no Teatro Anchieta do SESC Consolação, a peça é a transposição para o teatro do premiado romance de Chico Buarque. Roberto Alvim é o responsável tanto pela adaptação como pela direção e cenografia do espetáculo, que participou em setembro último do Mirada, Festival Ibero-Americano de Artes Cênicas de Santos.
Segundo o crítico e professor Welington Andrade, que acompanhou todo o processo de criação da peça, “a narrativa mescla dois planos, articulando cenas da vida doméstica do personagem central, Eulálio D’Assumpção, a certas passagens que repercutem a vida pública do país”.

Peça: Leite Derramado, foto 2

Juliana divide o palco com mais 7 atores da Cia Clulb Noir

À frente da companhia Club Noir do diretor Roberto Alvim, a atriz Juliana Galdino interpreta o ancião da obra de Chico Buarque, que numa maca de hospital público, abandonado e prestes a completar 100 anos de idade, relembra para a enfermeira as passagens da vida de sua família, que se confundem com a história do Brasil. Estes relatos vão desde os feitos do avô, um lendário general do exército, a atuação de sua família latifundiária escravagista, a carreira política corrupta do pai, até as aventuras do neto guerrilheiro na década de 1960 e o fim trágico do bisneto traficante dos dias atuais.

 

“Esta obra não transmite informações acerca de uma suposta gênese de nossa identidade nacional. Esta obra se abre e se oferece como um convite a cada indivíduo, instaurando a possibilidade da conquista de um novo/outro saber acerca deste país”, argumenta Roberto Alvim no programa da peça.

 

Peça: Leite Derramado, foto 3

Grande atuação de Juliana Galdino

 

Além da trama impactante, destaque para a trilha sonora original de Vladimir Safatle, a iluminação de Domingos Quintiliano e a atuação intensa e visceral de Juliana Galdino. Só até domingo, dia 13 de novembro, confira!

 

 

 

Fotos: Edson Kumasaka


2 Comentários

Dinah

novembro 9, 2016 @ 19:48

Resposta

Maurício,
Bacana a sua resenha!
Não li nem o livro ainda, mas poderia inverter e ver a peça primeiro, né?
Esse fim de semana temos visita ilustre (segundo o Paulo Aliende), vamos ver se dá certo de paparicar amiga de longa data e ir ao teatro.

beijo.

Maurício Mellone

novembro 10, 2016 @ 09:47

Resposta

Dinah,
leia o livro, recomendo.
A peça pode complementar a visão sobre
a trama do Chico Buarque
obrigado pela constante presença por aqui!
bjs e até o final de semana

Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento