Peça: Marte, você está aí?, foto 1

‘Marte, você está aí?’: peça de Silvia Gomez revê caos contemporâneo

De em junho 12, 2017

Peça: Marte, você está aí?, foto 1

Michelle Ferreira e Selma Egrei interpretam filha e mãe de texto inédito que retrata o mundo tumultuado de hoje em dia

A referência imediata seriam as manifestações de protesto ocorridas em 2013 no país. Mas Marte, você está aí?, peça inédita de Silvia Gomez, em cartaz no Auditório MASP, propõe uma reflexão sobre o mundo caótico, repleto de guerras, turbulências e injustiças, porque a humanidade vive atualmente.
A trama, dirigida por Gabriel Fontes Paiva, está centrada na trajetória de três personagens: D, uma mulher de 35 anos, vivida por Michelle Ferreira, militante política que se refugia numa casa a ser vendida e que não se relaciona com a mãe, interpretada por Selma Egrei, que vive só em sua casa e mesmo tendo sido torturada pela ditadura na juventude brinda a vida. O terceiro elemento é o Intruso (seria um policial?), vivido por Jorge Emil, que encontra a moça ferida na rua e a leva para a mãe.

Peça: Marte, você está aí?, foto 2

A mãe (Selma) recebe a visita do Intruso (Jorge Emil)

Ao entrar na sala, o elenco já está em cena e, com o início do espetáculo, os três personagens começam suas falas individualmente, não contracenam. Se de um lado a misteriosa D mesmo com sua atuação política vive num mar de incompreensão interior, a mãe parece se ater a futilidades (adora uma mesa bem posta, com louças chinesas), mas é a que mais se próxima de uma realidade  possível, viável. O Intruso coloca as duas novamente em contato, mas também faz parte do caos reinante. Mais do que respostas, a montagem — de um efeito visual incrível — propõe questões, perguntas sobre a nossa realidade atual de incertezas e conflitos.

“Quando se está diante de tamanho caos como o que vivemos, dentro e fora do país, com políticas intolerantes e injustas ganhando bizarra aceitação e com tantas visões muitas vezes contraditórias sendo colocadas como verdades absolutas a todo instante, tudo se torna mais irracional do ponto de vista da criação. Nesse sentido, acho que a peça tenta observar a contradição mais profunda de cada personagem — um olhar que passa por dentro para quem sabe ter alguma pista sobre o que se dá lá fora”, afirma Silvia Gomez.

 

De forma poética, o texto retrata o caos em que se vive hoje; impossível ficar imune às indagações existenciais propostas pela montagem. E a ideia de Marte funciona como o poema de Manuel Bandeira, ‘Vou-me embora pra Pasárgada’, um refúgio, uma possível esperança.

‘Vou-me embora pra Pasárgada/
Aqui eu não sou feliz.’

 

Peça: Marte, você está aí?, foto 3

Grande atuação de Selma Egrei

Com o cenário de André Cortez de poucos elementos e que reforça a ideia de que a trama se passa em qualquer local do mundo e uma iluminação (assinada por André Prado e pelo diretor) que explora sombras, trevas, luzes e fogo, além da impactante trilha sonora de Dr Morris, a montagem se vale muito da interpretação dos atores e do quebra cabeça entre os personagens criado pela direção. Destaque ainda para a atuação de Selma Egrei, a cena em que sua personagem faz um brinde à vida é emocionante!

Espetáculo provocador, profundo. A temporada se estende até final de julho, programe-se.

 

Roteiro:
Marte, você está aí?
. Texto: Silvia Gomez. Direção: Gabriel Fontes Paiva. Assistência de direção: Ana Paula Lopez. Elenco: Selma Egrei, Michelle Ferreira e Jorge Emil. Trilha sonora: Dr Morris. Cenário: André Cortez. Figurino: Fábio Namatame. Iluminação: André Prado e Gabriel Fontes Paiva.  Direção de produção: Marlene Salgado. Fotografia: Leekyng Kim
Serviço:
Auditório MASP (374 lugares), Av. Paulista, 1578. Horários: sexta e sábado às 21h e domingo às 20h. Ingressos: R$ 20. Bilheteria: de terça a domingo das 10h às 17h30. Vendas: 4003 1212 ou  www.masp.org.br e www.ingressorapido.com. Duração: 90 min. Classificação: 14 anos. Temporada: até 30 de julho.


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento