Filme: Mato sem Cachorro, foto 1

Mato sem Cachorro: comédia romântica marca estreia de diretor e atores

De em outubro 10, 2013

Filme: Mato sem Cachorro, foto 1

Bruno Gagliasso e Leandra Leal na pele do casal que se conhece por causa de um cãozinho

O ditado popular “estou no mato sem cachorro”, quando a gente não vê saída para uma situação ou algum problema, sintetiza fielmente a trama do filme do diretor estreante Pedro Amorim. Em Mato sem Cachorro, a comédia romântica que acaba de estrear, o acomodado músico Deco, vivido por Bruno Gagliasso, não vê saída para a sua vida depois que leva um fora da namorada, a batalhadora produtora de rádio Zoé, interpretada por Leandra Leal. O elo de ligação entre o casal é exatamente o cãozinho Guto: depois de quase atropelar o animal, Deco fica desesperado e é quase linchado pelos transeuntes. Quem aparece para salvar tanto o cachorro como o rapaz e Zoé: ela cuida do cachorro, dispersa as pessoas e convence Deco a ir ao veterinário (Rafinha Bastos). Lá, ficam sabendo que Guto sofre de uma doença rara, em situação de estresse ele desmaia, e a partir daí eles adotam o animal e passam a viver juntos, os três!
Depois de dois anos e com o final do namoro, Zoé leva Guto para morar com ela e Deco cai em prostração total. Neste momento que Leléo, vivido pelo comediante Danilo Gentili, chega para alterar a situação: vindo de São Paulo, ele passa a dividir o apartamento com o primo e para tentar tirá-lo daquele estado depressivo, sugere o sequestro do cachorro.

Filme: Mato sem Cachorro, foto 2

Danilo Gentili vive Leléo, primo de Deco (Bruno)


Com roteiro de André Pereira e Vitor Leite,
Mato sem Cachorro tem um ritmo ágil, dinâmico e mostra como os dois personagens centrais têm modos de vida antagônicos e ao mesmo tempo se parecem muito. Enquanto Deco vive só em casa (a maioria das vezes jogado no sofá), Zoé é a alma da rádio: sempre com ideias e sugestões, torna-se o braço direito da locutora, vivida por Letícia Isnard. Depois da separação, Zoé reata com um antigo namorado, Fernando (Enrique Diaz), dono de um SPA para cães. As cenas de ambos correm em paralelo, mostrando como Deco, depois do sequestro de Guto, consegue se reestruturar e até assume a produção musical do grupo do irmão da antiga namorada, vivido por Felipe Rocha. Mesmo agitando no trabalho, Zoé é que se deprime, pela falta do cachorro. O ânimo de um e de outro se inverte. É exatamente o cachorro — nas filmagens foram utilizados cinco filhotes e dois cães adultos, um deles é o mesmo que estrelou a série True Blood exibida pela HBO — que consegue a união do casal.

Cartaz do filme de estreia do diretor Pedro Amorim

Cartaz do filme de estreia do diretor Pedro Amorim

 

 

História leve e descontraída, Mato sem Cachorro se destaca pela interpretação afinada do elenco principal e participações notáveis, como a de Elke Maravilha na pele de uma velhinha decrépita, Marcelo Tass vivendo os gêmeos donos da rádio, Ângela Leal e Flávio Migliaccio como os pais de Zoé, além dos cantores Sandy e Sidney Magall. Sem grandes pretensões, o filme agrada, emociona e poderá levar grandes plateias aos cinemas.

 

Fotos: divulgação


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento