Peça: O meu lado homem, foto 1

Meu lado homem, um cabaré d’escárnio: montagem baseada em Hilda Hilst

De em julho 14, 2017

Peça: O meu lado homem, foto 1

Luís Mármora interpreta a diva Sápata Magáli em musical inspirado em ‘Cartas de um sedutor’

O romance Cartas de um Sedutor, da escritora brasileira Hilda Hilst, ganha versão para os palcos. Com roteiro de Luís Mármora, Luiz Gayotto e Marcelo Romagnoli, o espetáculo Meu lado homem, um cabaré d’escárnio, em cartaz Teatro João Caetano, reproduz um cabaré, onde a grande estrela Sápata Magáli, interpretada por Luís Mármora, se apresenta e fala de sua vida, seus amores e, principalmente, discorre sobre temas existenciais.
Acompanhada de Lincoln Antonio (piano e violão) e Simone Julian (sopros), Sápata interpreta desde clássicos como A Natural Woman, conhecida na voz de Aretha Franklin, e Bastidores, de Chico Buarque que Cauby Peixoto consagrou, até composições de Rafael Castro, Luiz Gayotto e Cristiano Gouveia, todas canções românticas, de forte apelo popular e que se interligam com o universo de Hilda Hilst.

Peça: O meu lado homem, foto 2

Simone Julian acompanha Sápata Magáli

A montagem acontece no palco: os espectadores entram pela lateral do teatro e se posicionam  em semicírculos, no espaço cênico. Com o mínimo de cenário (lustres, cortinas e um pequeno camarim, além do piano), a estrela do cabaré entra e começa seu show. À medida que vai apresentando os números musicais, Sápata intercala com depoimentos sobre sua vida, propondo pequenos diálogos com os dois músicos e com a plateia. O ator, em entrevista exclusiva à TV MELLONE — para assistir basta clicar no vídeo ao lado —, diz que queria falar de gênero:

“O projeto nasceu do desejo de cantar. Então criamos uma diva da canção baseada na obra de Hilda Hilst, que tem uma maestria literária incrível. Ela discute a questão metafísica, a relação do Homem com Deus, com a morte e, ao mesmo tempo, é um grande escracho. Hilda faz questionamentos profundos a partir de uma coisa sexual, mas com refinamento literário”, explica Luís Mármora.

Numa produção bem cuidada — destaque para o elegante figurino de Marichilene Artisevskis e a iluminação de Rafael Bicudo  —, o que sobressai desta montagem é, sem dúvida, a atuação de Luís Mármora, que está à vontade em cena e totalmente incorporado à personagem escrachada, despudorada e ao mesmo tempo sensível e de extrema profundidade.
A temporada se estende até o final de julho e em cada semana o ator recebe convidados. Na semana de estreia Georgette Fadel e Gero Camilo se apresentaram com Sápata; nesta semana Mawusi Tulani e Jonathan Silva participam e depois serão Letícia Coura, Marat Descartes, Ana Luiza e Danilo Grangheia. Não perca este espetáculo que mescla música, humor e questionamentos existenciais.

Peça: O meu lado homem, foto 3

Ator assina o roteiro em parceria com Luiz Gayotto e Marcelo Romagnoli

 


Roteiro:
O meu lado homem, um cabaré d’escárnio (acústico)
. Texto: Hilda Hilst . Roteiro: Luís Mármora, Luiz Gayotto e Marcelo Romagnoli. Concepção e atuação: Luís Mármora. Direção musical: Luiz Gayotto. Direção artística: Marcelo Romagnoli. Músicos: Lincoln Antonio, Simone Julian, Luiz Gayotto e Ana Eliza Colomar. Cenografia: Rafael Bicudo. Figurino: Marichilene Artisevskis. Iluminação: Marcelo Romagnoli e Rafael Bicudo. Fotografia: Felipe Stucch.  Produção e realização: Marmorhaus Produções Culturais.
Serviço:
Teatro João Caetano (80 lugares), Rua Borges Lagoa, 650, tel. 11 5573-3774. Horários: sexta e sábado às 21h e domingo às 19h. Ingressos: R$ 20 e R$ 10. Duração: 65 min. Classificação: 14 anos. Temporada: até 30 de julho.


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento