Filme: Moonlight-Sob a Luz do Luar, foto 1

Moonlight- Sob a Luz do Luar : filme narra a vida de um garoto negro

De em março 2, 2017

Filme: Moonlight-Sob a Luz do Luar, foto 1

Alex R. Hibbert vive Chiron na primeira fase do filme, que venceu o Oscar 2017

Independente da gafe cometida na cerimônia de entrega do Oscar/17 — em que houve erro e a premiação correta foi anunciada posteriormente —, Moonlight- Sob a Luz do Luar , do diretor Barry Jenkins , o vencedor deste ano, é um filme que emociona, justamente por retratar a árdua trajetória de vida de Chiron, um garoto negro morador de uma comunidade pobre de Miami/EUA.
O roteiro, assinado pelo diretor, é baseado na peça teatral In Moonlight Black Boys Look Blue, de Tarell Alvin McCraney, e é apresentado em três partes, cada uma delas com o nome ou apelido do Chiron; na primeira ‘Little’, o foco é para a infância do pequeno e sensível Chiron (Alex R. Hibbert), que além de conviver com Paula (Naomie Harris), a mãe que vive drogada, ele sofre agressões e provocações dos garotos na escola. A segunda parte, Chiron (Ashton Sanders) já adolescente começa a descobrir sua sexualidade e a entender sua atração pelo amigo Kevin (Jaden Pinner). Black, a última parte, já traz Chiron (Trevante Rhodes) adulto e totalmente transformado: forte, musculoso, rico e poderoso, ele chefia um setor do tráfico, mas esconde toda a sua sensibilidade, que virá à tona ao se reencontrar com o antigo parceiro Kevin, agora vivido por Andre Holland.

Filme: Moonlight- Sob a Luz do Luar, foto 2

Ashton Sanders encarna Chiron na adolescência

O que mais chama a atenção  no filme é o tratamento e o olhar que o diretor tem para a história de Chiron. De forma poética, Jenkins evita chavões como associar violência, drogas, pobreza à condição de vida do garoto. Claro que tudo isto existe e o espectador tem condições de perceber o meio hostil em que Chiron vive, mas o foco é para a dificuldade do menino em se adaptar à vida. E quem o ajuda é exatamente o traficante do bairro, Juan, interpretado por Mahershala Ali (vencedor da estatueta de ator coadjuvante). Calado e introspectivo, Chiron aceita o apoio de Juan e de sua namorada Teresa (Janelle Monáe) e, na fase adulta, esta influência ficará bem visível. A cena em que Juan ensina o garoto a nadar é de uma delicadeza impressionante!
Na adolescência, Chiron continua a sofrer bullying dos garotos, mas o que prevalece é a descoberta de sua sexualidade e a atração que sente por seu melhor amigo. Como naquela imagem do copo cheio que extravasa com a última gota, Chiron não aguenta tanta pressão e dá o troco, o que modificará radicalmente sua vida.

Filme: Moonlight- Sob a Luz do Luar, foto 3

Trevante Rhodes interpreta o protagonista na fase adulta

Com o salto no tempo e na história (as passagens são criativas), Chiron reaparece transformado: deixou sua imagem frágil no passado e hoje é o todo poderoso Black, traficante de Atlanta, personagem construído à imagem de Juan. Além de encorpado e viril, Chiron exibe dentes de ouro e só anda de carro último tipo. No entanto, toda esta redoma é para esconder aquele garoto sensível e que ainda se guarda para o grande amor de sua vida. Um telefonema de Kevin faz com que Chiron resolva visitar a mãe — recolhida numa clínica e reabilitação — e reveja o velho amigo.

Filme: Moonlight- Sob a Luz do Luar, foto 4

 Mahershala Ali levou a estatueta de ator coadjuvante

Das oito indicações ao Oscar, o filme levou três estatuetas (filme, ator coadjuvante e roteiro adaptado). Sem dúvida, impossível não se emocionar com a linda trajetória de vida retratada na tela. Outra passagem que toca o espectador (principalmente nós brasileiros) é para a canção Cucurrucucu Paloma, do mexicano Tomás Méndez, na voz de Caetano Veloso. Esta interpretação de Caetano já fora utilizada pelo diretor espanhol Pedro Almodóvar em Fale com ela/2002, além de ter sido incluída na trilha de outros dois filmes (My son, my son, what have ye done?/2009 e Felizes juntos /1997.
Não deixe de conferir esta linda produção norte-americana (felizmente reconhecida pela Academia). Como aperitivo, fique com o clipe de Caetano da música mexicana:

 

 

Fotos: divulgação


2 Comentários

Nanete Neves

março 4, 2017 @ 17:25

Resposta

O tipo de filme que me pega. Adorei a resenha. Agora não vejo a hora de poder assistir.

Maurício Mellone

março 6, 2017 @ 08:39

Resposta

Nanete, querida,
tenho certeza q vc irá amar a história do Chiron.
O olhar do diretor para o drama do garoto é emocionante!
bjs e muitíssimo obrigado pela presença constante por aqui!

Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento