RSS FACEBOOK TWITTER

Na comédia Loucas Por Eles, chuva prende cinco mulheres num aeroporto


Peça: Loucas por Eles, foto 1

Suely Franco, Ellen Rocche, Cynthia Falabella, Vera Mancini e Fafá Rennó em cena da peça de Marcos Carnevalle

Com um cenário impactante assinado por Alexandre Toro, que reproduz fielmente o saguão de um aeroporto — destaque para a imensa janela no fundo do palco, em que se vê a chuva e um avião — , a comédia dramática Loucas por Eles, do argentino Marcos Carnevale, ganhou tradução e adaptação de Walcyr Carrasco.
Em cartaz no Teatro Augusta, a trama dirigida por Fernando Cardoso mostra cinco tipos bem característicos de mulheres contemporâneas, que presas no saguão do aeroporto, são obrigadas a se interagir em virtude da tempestade que impede pouso e decolagem de aviões. A partir deste mote, uma mãe (Selma/ Vera Mancini), uma filha (Elizabeth/Fafá Rennó), uma esposa (Jéssica/Cynthia Falabella), uma amante (Débora/Ellen Rocche) e uma fã do cantor Daniel (Naná/Suely Franco) revelam suas expectativas de vida, suas alegrias, medos, frustrações, ressentimentos, desejos e aflições.

Peça: Loucas por Eles, foto 2

As atrizes são dirigidas por Fernando Cardoso em texto adaptado por Walcyr Carrasco

Depois da cena inicial que mostra o tumulto e o corre-corre característicos de todo o aeroporto, as mulheres começam a chegar à sala de espera e a comunicação entre elas tem início, a princípio com certa timidez, cada uma delas se expondo com reservas. No entanto, como a tempestade é intensa e elas devem permanecer muito tempo juntas, as cinco mulheres vão se soltando, os atritos são inevitáveis já que têm visões de mundo bem distintas e finalmente todas revelam seus sentimentos mais verdadeiros e íntimos.
Se até a metade do espetáculo a plateia se diverte (principalmente com Naná, uma mulher do povo, desbocada e sincera), do meio para o fim o tom muda radicalmente, já que as verdades de cada uma daquelas mulheres vêm à tona, as máscaras caem. As questões agudas expostas pelas cinco mulheres vão desde a crise do casamento de Jéssica, a frustração de ser rejeitada — Débora pelo amante que é casado e Selma pelo filho —, passando pelo ressentimento de Elizabeth em virtude da ausência do pai até a transferência de afeto de Naná para o ídolo.

 

“A peça é de uma ambientação feminina forte e todas estão em situações desesperadoras, o que reforça algumas características. É como se os fragmentos dessas mulheres totalizassem uma só pessoa”, argumenta o diretor Fernando Cardoso.

 

Mesmo não sendo o gênero de espetáculo que mais aprecio, Loucas por Eles é uma comédia que atinge e agrada grandes plateias. Além do belo cenário e dos elegantes figurinos de Fabio Namatame, a peça traz um jogo cênico entre as personagens bem estruturado e uma produção requintada. Suely Franco e Vera Mancini estão à vontade com seus papéis e ganham o público desde o início; as mineiras Cynthia Falabella e Fafá Rennó também estão muito seguras e mostram a densidade das personagens e, por fim, Ellen Rocche surpreende com sua estreia nos palcos. O espetáculo tem temporada prevista até final de agosto.

 

Fotografia: João Caldas

, , , , ,

Maurício Mellone

Como jornalista — tendo atuado em rádio, TV, jornal, revistas e assessoria de imprensa —, a palavra sempre foi minha matéria prima. No entanto, desde 2000 venho cultivando o plano B, ou seja, mantenho no meu velho PC um arquivo com meus escritos, que na verdade já era um pré-blog. Lá, deixo fluir a imaginação para que a linguagem inclusive ganhe novos contornos.


Ver todos os posts de Maurício Mellone »

2 Comentários para “Na comédia Loucas Por Eles, chuva prende cinco mulheres num aeroporto”

  1. Bruno Says:

    Muito legal, quero ver!
    Parece o estilo de teatro que eu gosto

    responder

Deixe uma resposta