Peça: Navio Fantasma, foto 1

Navio Fantasma – O Holandês Voador : espetáculo para todas as idades

De em agosto 14, 2015

Peça: Navio Fantasma, foto 1

Gustavo Haddad e Gabrielle Lopez vivem o marinheiro e a donzela da clássica lenda dos mares

Com trilha sonora envolvente de Rafael Gama Dantas criada especialmente para a peça, Navio Fantasma – O Holandês Voador, em cartaz no Teatro João Caetano, reproduz uma das mais clássicas lendas do mar, a da maldição dos deuses ao orgulhoso marinheiro, que deverá vagar eternamente pelos mares em seu navio fantasma, podendo desembarcar de tempos em tempos para tentar conquistar o verdadeiro amor que o resgatará, quebrando assim a maldição divina.
O espetáculo é voltado para o público jovem, mas graças à requintada produção — que conta com o cenário criativo e a sensível iluminação (ambos com a assinatura do diretor Kleber Montanheiro) e o rico figurino de Deborah Corrêa — atinge os espectadores de todas as idades.

Peça: Navio Fantasma, foto 2

Elenco: Luciano Gatti, Gustavo, Suzana Alves, Gabrielle e Ricardo Gelli

Em clima operístico, a peça tem início com o capitão, interpretado por Gustavo Haddad, já a postos no navio em pleno mar bravio; os praticáveis de madeira e as cordas, aliados à trilha e a iluminação, remetem o espectador de imediato ao clima de ação e mistério da trama. Os deuses permitem, passado longo período, que o marinheiro desembarque em terra firme para que possa conquistar um grande e verdadeiro amor, que poderá quebrar a maldição. O capitão se apaixona por uma bela donzela, vivida por Gabrielle Lopez, no entanto o pai (Luciano Gatti) e o antigo namorado dela (Ricardo Gelli) fazem de tudo para impedir que o romance se concretize.
Esta lenda dos mares já inspirou outras criações artísticas, como a versão operística de Richard Wagner e o longa metragem Piratas do Caribe. Com pesquisa dos produtores Deborah Corrêa e Elder Fraga, a dramaturgia da montagem teve como base o libreto da ópera de Wagner, mas também se valeu de outras versões da lenda:

 

“Em todas as versões fica evidente a necessidade juvenil de quebra de fronteiras, de descobertas e insatisfação. A partir disto, a dramaturgia cria um navegador que é amaldiçoado a carregar sua juventude pela eternidade até obter a redenção pelo amor verdadeiro. Assim, além de apresentar o mito para o universo juvenil, o texto pretende tratar de temas pertinentes para esta faixa etária, como a insatisfação com o estabelecido, a ânsia de quebrar fronteiras, de se colocar à prova e conquistar novos espaços, bem como a sede de encontrar alguém que seja realmente cúmplice de sua jornada”, explica o dramaturgo Paulo Rogério Lopes.  

Peça: Navio Fantasma, foto 3

Gustavo é o capitão do navio fantasma

 

O grande destaque da montagem de Navio Fantasma – O Holandês Voador  é a capacidade de aproximar o público da trama, que encanta pela mistura cenas de ação, romance e mistério. O clima operístico impresso pela criativa direção e a trilha sonora original também contribuem para que o público fique atento e preso ao enredo. Além das tradicionais sessões aos sábados e domingos às 16h, o espetáculo é apresentado também às quartas, em duas sessões, dedicado exclusivamente aos alunos da rede municipal de ensino.

 

 

 

Fotos: Gustavo Haddad


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento