Peça: 1 Gaivota, foto 1

Nelson Baskerville adapta o clássico A Gaivota, de AntonTchekhov

De em abril 23, 2015

Peça: 1 Gaivota, foto 1

Elenco completo: Élcio Nogueira, Érika Puga, Thaís Medeiros, Pascoal da Conceição, Rafael Primot, Renato Borghi, Julia Ianina e Noemi Marinho

Com o título 1 Gaivota- É impossível viver sem teatro,  a peça é uma adaptação do ator e diretor Nelson Baskerville para o texto clássico do dramaturgo russo Anton Tchekhov, A Gaivota. O espetáculo acaba de estrear no SESC Consolação e cumpre temporada até final de maio.
Contando com oito atores em cena — Renato Borghi, Noemi Marinho, Pascoal da Conceição, Élcio Nogueira, Julia Ianina, Rafael Primot, Thais Medeiros e Erika Puga —, a trama se passa hoje em dia, numa fazenda de Campos do Jordão, em que o dramaturgo Kóstia (Rafael) apresenta seu mais recente trabalho para a mãe Arkadina (Noemi), uma veterana atriz. Usando microfone, vídeo e uma linguagem ousada, Kóstia é rechaçado e o conflito com a mãe e seu namorado, um escritor famoso interpretado por Pascoal da Conceição, é ressaltado. O atrito entre mãe e filho e a quase impossibilidade de comunicação e entendimento entre as pessoas — mote da peça de Tchekhov — fazem com que o espetáculo converse com o público de hoje.

Peça: Gaivota, foto 2

Pascoal e Julia vivem o escritor famoso e a atriz inexperiente

Se no original a literatura era a expressão artística em discussão, na adaptação de Baskerville o teatro é o foco do debate, tanto que num dos primeiros diálogos de Kóstia com seu tio Sorin, vivido por Renato Borghi, indaga-se se é possível viver sem teatro. E a própria montagem pretende expor totalmente o fazer teatral: o público entra na sala de espetáculos e alguns atores estão sentados na plateia enquanto esperam que a equipe técnica, no palco, termine de montar o cenário, a iluminação e prepare o figurino do elenco. A peça de Kóstia insere-se na peça de Baskerville, que é a adaptação da peça do dramaturgo russo. Metalinguagem pura. E tudo é feito diante do espectador, não há coxia e até o camarim é exposto.

 

“Não tenho nenhum interesse em encenar clássicos se não puder contextualizá-los nos dias atuais. Essa montagem se comunica com as plateias de hoje acostumadas com várias mídias e com acesso ilimitado a uma grande quantidade de informação”, explica Nelson Baskerville.

Além do embate entre mãe e filho, a trama também evidencia o conflito amoroso entre o jovem dramaturgo e sua namorada, a inexperiente atriz, interpretada por Julia Ianina. A moça se apaixona pelo famoso escritor e o segue para a capital, abandonando o rapaz na fazenda. Passado algum tempo, ambos estão modificados e a reconciliação é improvável.
Novamente Baskerville imprime sua digital em 1 Gaivota- É impossível viver sem teatro: além de adaptar a obra clássica e dirigi-la, sua concepção cenográfica — despojada e rica em recursos audiovisuais, como apresentou em Luis Antonio – Gabriela, Córtex, 17x Nelson e Lou&Leo — está ainda mais presente, evidenciada e consolidada. Destaque ainda para a atuação marcante dos dois veteranos e talentosos atores, Noemi Marinho e Renato Borghi.

Peça: 1 Gaivota, foto 3

Nelson Baskerville assina a adaptação e direção

 

 

 

 

 

Depois desta temporada, o espetáculo será apresentado em dois teatros municipais, com ingressos gratuitos: Alfredo Mesquita, de 27 a 31 de maio, e Cacilda Becker, de 3 a 7 de junho. Não percam!

 

 

 

 

 

 

Fotos: Ligia Jardim

Marcos Zaccharias Publicitário
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
26º Festival Mix Brasil da Cultura da Diversidade

Deixe comentário

Deixe uma sugestão




Deixe uma sugestão

Indique um evento




Indique um evento