Peça: 1 Gaivota, foto 1

Nelson Baskerville adapta o clássico A Gaivota, de AntonTchekhov

De em abril 23, 2015

Peça: 1 Gaivota, foto 1

Elenco completo: Élcio Nogueira, Érika Puga, Thaís Medeiros, Pascoal da Conceição, Rafael Primot, Renato Borghi, Julia Ianina e Noemi Marinho

Com o título 1 Gaivota- É impossível viver sem teatro,  a peça é uma adaptação do ator e diretor Nelson Baskerville para o texto clássico do dramaturgo russo Anton Tchekhov, A Gaivota. O espetáculo acaba de estrear no SESC Consolação e cumpre temporada até final de maio.
Contando com oito atores em cena — Renato Borghi, Noemi Marinho, Pascoal da Conceição, Élcio Nogueira, Julia Ianina, Rafael Primot, Thais Medeiros e Erika Puga —, a trama se passa hoje em dia, numa fazenda de Campos do Jordão, em que o dramaturgo Kóstia (Rafael) apresenta seu mais recente trabalho para a mãe Arkadina (Noemi), uma veterana atriz. Usando microfone, vídeo e uma linguagem ousada, Kóstia é rechaçado e o conflito com a mãe e seu namorado, um escritor famoso interpretado por Pascoal da Conceição, é ressaltado. O atrito entre mãe e filho e a quase impossibilidade de comunicação e entendimento entre as pessoas — mote da peça de Tchekhov — fazem com que o espetáculo converse com o público de hoje.

Peça: Gaivota, foto 2

Pascoal e Julia vivem o escritor famoso e a atriz inexperiente

Se no original a literatura era a expressão artística em discussão, na adaptação de Baskerville o teatro é o foco do debate, tanto que num dos primeiros diálogos de Kóstia com seu tio Sorin, vivido por Renato Borghi, indaga-se se é possível viver sem teatro. E a própria montagem pretende expor totalmente o fazer teatral: o público entra na sala de espetáculos e alguns atores estão sentados na plateia enquanto esperam que a equipe técnica, no palco, termine de montar o cenário, a iluminação e prepare o figurino do elenco. A peça de Kóstia insere-se na peça de Baskerville, que é a adaptação da peça do dramaturgo russo. Metalinguagem pura. E tudo é feito diante do espectador, não há coxia e até o camarim é exposto.

 

“Não tenho nenhum interesse em encenar clássicos se não puder contextualizá-los nos dias atuais. Essa montagem se comunica com as plateias de hoje acostumadas com várias mídias e com acesso ilimitado a uma grande quantidade de informação”, explica Nelson Baskerville.

Além do embate entre mãe e filho, a trama também evidencia o conflito amoroso entre o jovem dramaturgo e sua namorada, a inexperiente atriz, interpretada por Julia Ianina. A moça se apaixona pelo famoso escritor e o segue para a capital, abandonando o rapaz na fazenda. Passado algum tempo, ambos estão modificados e a reconciliação é improvável.
Novamente Baskerville imprime sua digital em 1 Gaivota- É impossível viver sem teatro: além de adaptar a obra clássica e dirigi-la, sua concepção cenográfica — despojada e rica em recursos audiovisuais, como apresentou em Luis Antonio – Gabriela, Córtex, 17x Nelson e Lou&Leo — está ainda mais presente, evidenciada e consolidada. Destaque ainda para a atuação marcante dos dois veteranos e talentosos atores, Noemi Marinho e Renato Borghi.

Peça: 1 Gaivota, foto 3

Nelson Baskerville assina a adaptação e direção

 

 

 

 

 

Depois desta temporada, o espetáculo será apresentado em dois teatros municipais, com ingressos gratuitos: Alfredo Mesquita, de 27 a 31 de maio, e Cacilda Becker, de 3 a 7 de junho. Não percam!

 

 

 

 

 

 

Fotos: Ligia Jardim


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento