Livro: Ney Matogrosso- vira-lata de raça, foto 1

Ney Matogrosso – Vira-lata de raça: memórias de um artista completo

De em fevereiro 11, 2019

Livro: Ney Matogrosso- vira-lata de raça, foto 1

Ney no lançamento de seu livro, editado pela Tordesilhas/Alaúde Editorial

 

Como se o leitor tivesse a honra de estar com o artista em sua casa ouvindo suas memórias de forma direta, objetiva e extremamente sincera. Como fã incondicional, foi desta forma que me senti ao ler Ney Matogrosso – Vira-lata de raça, livro editado pela Tordesilhas/Alaúde Editorial que, em 10 capítulos e mais de 80 fotos (P&B e cor), Ney de Souza Pereira, o Ney Matogrosso — uma das personalidades mais emblemáticas do cenário artístico brasileiro — conta os momentos marcantes de sua vida, desde a infância em Bela Vista, uma pequena cidade de Mato Grosso do Sul, sua conturbada relação com o pai, um militar conservador, suas andanças pelo país, o início profissional no Hospital de Base de Brasília, seu ingresso no teatro e só aos 30 anos integra a banda Secos& Molhados, que fez estrondoso sucesso nos anos 1970, em plena ditadura militar.

Sempre em primeira pessoa, Ney conta ainda sobre sua forte conexão com a natureza, sua relação com as drogas e as plantas expansoras de consciência, sua forma libertária de lidar com a sexualidade, além de seus amores, sua carreira solo (36 discos e 12 DVDs), as participações no cinema e, principalmente, fala como enfrentou as perdas de amigos e amores e como encara a morte e a finitude. 

Livro: Ney Matogrosso- vira-lata de raça, foto 2

Primeiro LP do grupo Secos & Molhados/1972

 

Como poeta e escritor, Ramon Nunes Mello diz que não é autor do livro, mas organizador das palavras do Ney. Por isso que a obra está na primeira pessoa e é fruto de extensa pesquisa e mais de um ano de entrevistas com o artista.

 

“Inicialmente o livro deveria constar apenas a reprodução das matérias sobre a carreira de Ney Matogrosso, além de críticas a seus discos e shows. Logo compreendemos que dessa forma faltaria uma reflexão sobre seu passado e o calor de sua voz no momento presente. Após intensa pesquisa, elenquei os assuntos pertinentes ao depoimento e iniciamos os registros das conversas no decorrer de um ano, na sala de estar de seu apartamento no Leblon”, explica Ramon Mello.

 

 

Com uma linguagem fluida e direta, Ney fala sem pudor de fatos relevantes de sua trajetória pessoal e profissional. Há uma sequência cronológica, no entanto o relato não se atém às datas e períodos dos acontecimentos; por exemplo, Ney conta de sua tumultuada relação com o pai, que na infância o censurava, mas ao mesmo tempo conta como houve a reaproximação entre eles:

Penso no meu pai regularmente, com amor. Após a morte dele passei a senti-lo ainda mais próximo”.

Livro: Ney Matogrosso - vira-lata de raça, foto 3

Show Matogrosso/1982, no Canecão, no Rio

 

O livro traz depoimentos de Rita Lee e Nelson Motta na contracapa e, internamente, do escritor Caio Fernando Abreu, que argumenta: “Ney foi o anjo enviado por Deus para que o brasileiro compreenda melhor sua louca identidade de homem-mulher unidos num só”.

 

 

O palco é o lugar onde defendo a liberdade, um espaço que conquistei com muito trabalho e suor para exercitar plenamente minha liberdade

 

 

Como em Rita Lee uma autobiografia em que a cantora e compositora relata detalhes da história da música brasileira, Ney também dá sua versão do fenômeno Secos & Molhados (relembra do período de preparação para o lançamento da banda, as primeiras apresentações, a gravação dos dois discos e a separação) e repassa todos os seus álbuns e shows, assim como sua participação nos trabalhos de outros artistas, como Cazuza, o grupo RPM, e das cantoras Mart’nalia e Ana Cañas.

 

 

O que mais cativa no livro é a forma direta e sem rodeios como Ney fala de temas que para muitos ainda é tabu (como sexo, drogas), assim como de suas paixões e amores (seu romance com Cazuza e sua relação de anos com Marco de Maria). E é desta mesma maneira clara que fala de sua forte ligação com a Natureza, da espiritualidade e de política

 

 

Faço política em cima do palco, estou atento aos sinais”.

 

Sem qualquer pretensão, Ney Matogrosso que nunca escondeu sua idade (está com 77 anos) dá verdadeiras lições de vida, quando se refere ao tempo, às perdas (conta que nos anos 1980 chegou a ir ao cemitério até três vezes na mesma semana para enterrar os amigos!) e à finitude.

Vivo o presente. Não me interessa o amanhã, evito fazer planos. E ontem é passado, não tenho apego. Minha vida é agora e minha filosofia de vida é manter a mente aberta ao novo, não sou uma pessoa saudosista. Continuo cheio de sonhos e desejos, trabalhando, cantando, fazendo shows e projetos nos quais acredito”, expressa o artista, que arremata exaltando a liberdade:

A velhice está na cabeça das pessoas, lido com naturalidade com a passagem do tempo e com a morte. Tenho consciência do exercício da liberdade, vou morrer defendendo a liberdade, até o fim.

 

Livro: Ney Matogrosso - vira-lata de raça, foto 4

Show Beijo Bandido/2009

 

 

Impossível não se emocionar com tamanha sabedoria de vida. O livro termina com alguns textos analíticos sobre a carreira de Ney, além da discografia completa, a relação de shows, peças e filmes que ele participou e a bibliografia utilizada para a pesquisa. Um livro que registra a bem-sucedida carreira de Ney Matogrosso, mas mais do que isso, revela a grandeza e nobreza de sentimentos de Ney de Souza Pereira.

 

 

 

 

 

Para finalizar, nada melhor do que o próprio Ney no palco, na abertura do show Inclassificáveis, em 2008, cantando a canção de Cazuza O tempo não para:

 

 

Livro: Ney Matogrosso - vira-lata de raça, foto 5

 

 

Ficha técnica:
Título: Ney Matogrosso – Vira-lata de raça
Autores: Ney Matogrosso e Ramon Nunes Mello
Editora: Tordesilhas/Alaúde Editorial, 288 pgs
Preço: 37,80

 

 

 

 

Fotos: divulgação

Uba
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro

4 Comentários

Edileine

março 6, 2019 @ 01:15

Resposta

Ney é maravilhoso. Confesso que tive medo de conhecê-lo e me decepcionar com tantos,artistas falsos por ai. Mas confesso que me apaixonei mais, vendo sua simplicidade e alegria de viver e sinceridade. Ele de perto e ainda mais fascinante do que na tv, e posso falar que pessoa incrível, direta, calma e acima de tudo diz o que sente sem melindres, adoro vc Ney.

Maurício Mellone

março 6, 2019 @ 10:45

Resposta

Edilene,
vc tem este privilégio de conhecer o Ney de Souza Pereira, não só o Ney Matogrosso!
Uau, parabéns! Adoraria ser amigo dele, não como tiete inconsequente, mas poder
trocar emoções, sentimentos! Tenho certeza q vc tem toda a razão, o Ney na intimidade
deve ser ainda mais fascinante como ser humano!
Obrigado pela sua visita aqui no Favo, volte outras vezes, terei o maior prazer
em recebê-la. Se puder, mande um beijo meu ao nosso grande artista!
Beijos

Adriana Bifulco

fevereiro 11, 2019 @ 16:28

Resposta

Ma, que delícia de texto!! Ney Matogrosso é realmente incrível e a biografia dele, com certeza, reflete isso. Fiquei tão interessada que, como comentei com você, vou comprarei o livro.
Muito obrigada por esta recomendação tão especial. Beijo grande

Maurício Mellone

fevereiro 11, 2019 @ 16:43

Resposta

Adriana,
fico muito feliz q vc tenha gostado da resenha.
O livro é encantador mesmo, tenho certeza q vc irá amar!
Bjs e boa leitura!
Obrigado pela visita, volte sempre! rsrs
Bjs

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: