Mostra: Di Cavalcanti, foto 1

No subúrbio da modernidade – Di Cavalcanti 120 anos: mostra até jan/18

De em setembro 11, 2017

Mostra: Di Cavalcanti, foto 1

Bordel/1930

Para comemorar os 120 de nascimento do carioca Emiliano Augusto Cavalcanti de Paula Albuquerque e Melo, ou simplesmente Di Cavalcanti, a Pinacoteca acaba de inaugurar a mostra No subúrbio da modernidade – Di Cavalcanti 120 anos, a maior retrospectiva do artista depois de sua morte. São mais de 200 obras — de coleções públicas e particulares — produzidas de 1910 a 1970, com ênfase aos trabalhos criados no período entre o início dos anos 1920 e metade da década de 1950. Com curadoria de José Augusto Ribeiro, a exposição traz desde telas até charges e ilustrações que Di Cavalcanti publicou na imprensa, além de ilustrações de livros e de capas de discos que ele fez para os amigos.

Mostra: Di Cavalcanti, foto 2

Mulheres na janela/1926

A mostra está compreendida nas sete salas do primeiro andar da Pinacoteca e as obras revelam imagens vigorosas de cenas urbanas, representando prostitutos, malandros, intelectuais, artistas de shows, colonos, pescadores, cenas de Carnaval e rodas de samba, além das conhecidas mulatas e cenas de bordéis, pensões, cafés e bares da boemia carioca.

O título da mostra se refere aos lugares que o artista costumava figurar nas suas pinturas e desenhos: os bordéis, os bares, a zona portuária, o mangue, os morros cariocas, as rodas de samba e as festas populares — lugares e situações que, na obra do Di, são representados como espaços de prazer, melancolia e descanso, explica José Augusto Ribeiro.

As obras estão dispostas nas salas em ordem cronológica, no entanto, em todas as fases do artista a ênfase é para a mulher brasileira. De acordo com o historiador e curador da mostra, o erotismo sobressai na obra de Di Cavalcanti, mas há também a ideia “da mulher como símbolo do país”. Além das telas, outro destaque da retrospectiva são as ilustrações e charges que o artista publicou na imprensa carioca; as ilustrações para os livros e discos de seus amigos também merecem destaque na exposição. Estas ilustrações estão em grandes vitrines abaixo das telas: o visitante tem a chance de comparar as várias técnicas utilizadas por Di em suas obras no decorrer da carreira.

Mostra: Di Cavalcanti, foto 3

Amigos/1931

 

 

Considerado o artista que deu grande repercussão pública ao modernismo brasileiro (organizou e participou da Semana de Arte Moderna de 1922, em São Paulo), Di Cavalcanti também passou por outras correntes estéticas, como o impressionismo, o cubismo e o muralismo, também retratadas em suas telas.
Portanto, esta é a chance de se conhecer ainda mais este que é um dos grandes artistas brasileiros. A mostra se estende até janeiro de 2018: há tempo hábil, programe-se. E o melhor, os ingressos são acessíveis e aos sábados a entrada é gratuita.

 

 

Roteiro:
No subúrbio da modernidade – Di Cavalcanti 120 anos. Mostra com mais de 200 obras de Emiliano Di Cavalcanti. Pinacoteca, Praça da Luz, 02. Horários: de quarta a segunda-feira, das 10h às 17h30. Ingressos: R$ 6 e R$ 3 (crianças com menos de 10 anos e adultos com mais de 60 não pagam; aos sábados, a entrada gratuita). Temporada: até 22 de janeiro de 2018.

 

 

 

 

 

 

Fotos: divulgação


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento