Peça: Nós Sempre Teremos Paris, foto 1

Nós Sempre Teremos Paris: musical de encontro e desencontro de um casal

De em fevereiro 20, 2014

Peça: Nós Sempre Teremos Paris, foto 1

Françoise Forton e Aloisio de Abreu vivem o casal que se apaixona num café parisiense

Produção despretensiosa que deveria cumprir curta temporada carioca se transforma num grande sucesso, viaja pelo país e acaba de estrear em São Paulo, no Teatro Raul Cortez. Este é o resumo da comédia musical Nós Sempre Teremos Paris, escrita por Artur Xexéo, dirigida por Jacqueline Laurence e entrelada por Françoise Forton e Aloisio de Abreu. Primeira vez que um espetáculo de Xexéu vem a Sampa e o autor confessa sua alegria:

 

“Na minha cabeça, a peça está muito ligada a São Paulo. Quando elaborei o repertório, fui atrás das canções francesas que ouvia na adolescência, que passei aqui. O repertório da peça e seus intérpretes, como Maurice Chevalier, Charles Aznavour, Josephine Baker, conheci em São Paulo”, revela o autor.

 

Cenário simples, apenas duas mesas e quatro cadeiras num café parisiense. É neste ambiente que dois cariocas em viagem pela França têm um mágico e apaixonante encontro. No começo ambos nem tinham prestado a atenção um no outro; aos poucos eles se mostram interessados e o rapaz resolve tomar a iniciativa. Arriscando num francês ‘à la carioca’, logo a moça percebe que ele é brasileiro e o entendimento entre eles é imediato. Passam uma tarde inteira conversando (têm inúmeras afinidades), mas não conseguem ultrapassar a timidez do primeiro encontro e se despedem de maneira formal.

Peça: Nós Sempre Teremos Paris, foto 2

Aloisio e Françoise cantam e dançam em cena, para deleite da plateia

 

No entanto, aquela tarde em Paris marcou a vida deles: ambos se casaram, mas aquele encontro nunca foi esquecido. Tanto que 20 anos depois, tanto ela como ele estando desimpedidos, resolvem voltar a Paris e visitar o mesmo café na ilusão de retomar aquela história de amor que teve só o começo.
Enredo sem rodeios, que une romance e humor, envolve o espectador, principalmente pelas românticas canções francesas — há desde C’est si bom e a clássica La vie en rose até uma versão francesa de Garota de Ipanema.

 

“O repertório do espetáculo tem clássicos da música francesa e é incrível como a popularidade dessas canções atravessou gerações. É essa geração, e as mais novas, que vemos na plateia, curtindo e se emocionando”, comenta o ator Aloisio de Abreu, que escreveu outro musical de sucesso, Cazuza – Pro dia nascer feliz, que em breve chega à cidade.
Comédia romântica de apenas 50 minutos que agrada a todo tipo de público. Vale a pena conferir!

Fotos: Marcelo Faustini e Guilherme Fourton

Marcos Zaccharias Publicitário
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: