Filme: O Filho Eterno, foto 1

O Filho Eterno: emocionante adaptação para cinema do premiado romance

De em dezembro 7, 2016

Filme: O Filho Eterno, foto 1

Pedro Vinícius e Marcos Veras vivem Fabrício e Roberto na adaptação da obra de Cristóvão Tezza

Depois do grande sucesso do livro de Cristóvão Tezza — vencedor de diversos prêmios literários — e de uma montagem teatral também muito elogiada pela crítica, acaba de chegar aos cinemas a adaptação do romance O Filho Eterno, dirigido por Paulo Machline, com Marcos Veras e Débora Falabella nos papéis centrais, do jovem casal Roberto e Cláudia. Ele um escritor em início de carreira e ela uma jornalista, que em 1982, em Curitiba/PR, têm o primeiro filho, Fabrício (interpretado por Pedro Vinícius), que nasce com síndrome de down. O roteiro assinado por Leonardo Levis, com colaboração de Murilo Hauser, coloca lado a lado os sucessos e frustrações da seleção brasileira de futebol com a vida da família: Fabrício nasce no mesmo dia em que a seleção é eliminada da Copa do Mundo de 1982. E os principais acontecimentos da vida do garoto sempre têm uma correlação com a trajetória da seleção canarinho.

Filme: O Filho Eterno, foto 2

O casal, interpretado por Marcos e Débora Falabella, quando sabe do problema do filho

Com a mesma ansiedade pela chegada do primogênito, Roberto e Cláudia são surpreendidos com a notícia de que o nenê apresenta sintomas da síndrome de down. As reações do casal são opostas: enquanto a mãe, resignada, tenta superar os obstáculos, Roberto não se conforma e procura apoio na literatura médica, guardando esperanças de que seu filho é são. Com a constatação da doença, ele entra em crise existencial.
Assim como no livro, a trama é focada nas reações e atitudes do pai diante do problema do filho. Além de sempre mal-humorado, Roberto tenta criar uma nova realidade de vida: começa a dar aulas em outra cidade, envolve-se com outra mulher e esconde seu passado. Nos breves períodos em que volta para casa, Roberto continua de mau humor, não se relaciona bem com o filho e as brigas com a esposa são constantes, até o dia em que numa discussão acalorada Roberto questiona a mulher sobre a relação dela com o garoto. Numa das cenas mais emocionantes do filme (com uma atuação impecável de Débora Falabella), Cláudia confessa que também já sentiu raiva pela condição do filho, mas que tem certeza que nunca será feliz sem a presença de Fabrício em sua vida. Esta declaração cala muito em Roberto, que um tempo depois se vê em desespero quando, por um descuido seu, o garoto sai de casa para assistir ao jogo da seleção e a sensação de perda faz com que o pai reveja todo o seu relacionamento com o filho.

Filme: O Filho Eterno, foto3

Festa de pai e filho com o tetracampeonato da seleção

Bem interessante o roteiro associar o futebol (tema do universo masculino) com a relação pai e filho: se o nascimento do garoto foi com a decepção da seleção, o final mostra a conquista do tetracampeonato e a comemoração de Roberto e Fabrício. Marcos Veras, conhecido como um ator de comédias, não decepciona com um papel de extrema dramaticidade; o ator tem a chance de mostrar várias nuances de um personagem complexo. Impossível não se emocionar com o drama do pai que renega o filho e depois é sensibilizado pelo sorriso e espontaneidade de uma criança mais do que especial.

Produção nacional sensível e delicada para fechar um ano tão difícil para todos os brasileiros. Não perca!

 
Fotos: divulgação


4 Comentários

Ricardo de Castro

dezembro 12, 2016 @ 19:09

Resposta

Olá querido amigo! gostei do filme e posso dizer que sua resenha como sempre esta ótima retratando com muita verdade. forte abraço

Maurício Mellone

dezembro 13, 2016 @ 09:51

Resposta

Ricardo,
que delícia receber seu retorno, ainda mais com elogios!!!
Muito obrigado, o filme emociona mesmo! Vc leu o livro?
Vale a pena!
Volte mais vezes
abrs

Imad

dezembro 7, 2016 @ 17:09

Resposta

Mauricio, estou com mais vontade agora de ver o filme. Li a obra em que ele é baseado. E gosto da Débora. Forte abraço, meu caro.

Maurício Mellone

dezembro 8, 2016 @ 14:21

Resposta

Imad,
além do livro (excelente), a peça tb fez sucesso.
Não deixe de assistir ao filme: roteiro com ótima adaptação e
interpretação impecável da Débora e do Marcos.
Obrigado pela visita
bjs

Deixe comentário

Deixe uma sugestão




Deixe uma sugestão

Indique um evento




Indique um evento