RSS FACEBOOK TWITTER

O Lobo Atrás da Porta: enredo policial com suspense envolve espectador


Folme: O Lobo Atrás da Porta, foto 1

Leandra Leal vive Rosa, amante de Bernardo, interpretado por Milhem Cortaz

Depois de ter participado de festivais internacionais (premiado em Havana e no Festival do Rio/2013), acaba de estrear O Lobo Atrás na Porta, primeiro longa metragem do diretor Fernando Coimbra. A trama, rodada em plena Zona Norte do Rio de Janeiro, é um misto de romance e thriller policial com muito suspense. Tudo começa com Sylvia, interpretada por Fabíula Nascimento, chegando à creche para buscar a filha e lá fica sabendo que uma vizinha tinha ido buscar a criança; na cena seguinte ela, desesperada, já está na delegacia denunciando o sequestro para o delegado, vivido com brilhantismo por Juliano Cazarré. A partir daí o delegado começa a ouvir os envolvidos: manda chamar Bernardo (Milhem Cortaz), o pai, que confessa ter uma amante, Rosa, vivida por Leandra Leal: com contradições e algumas omissões, todos relatam suas versões sobre o fato, o que faz com que o espectador também tente descobrir quem está mentindo.

Filme: O Lobo Atrás da Porta, foto 2

Milhem na pele do pai que tem a filha sequestrada; Juliano Cazarré é o delegado responsável pelo caso

A teia em que os personagens estão inseridos vai sendo montada a partir dos depoimentos na delegacia: com perspicácia, o delegado vai aos poucos retirando a verdade de cada um dos depoentes. A primeira a se livrar do crime é a responsável pela creche, que entregou a menina para uma desconhecida e não para um dos pais. Depois que Bernardo fala de seu envolvimento com Rosa, ela é chamada e a dona da creche a reconhece como a pessoa que levou a criança. Rosa, a princípio, diz que só pegou a garota e entregou para outra pessoa, mas o delegado a induz a contar a verdade. É a partir daí que o relacionamento entre ela e Bernardo passa a movimentar toda a trama e a personalidade dos três personagens do triângulo amoroso vem à tona. Traições, vinganças, brigas, ciúmes e mentiras são revelados. O espectador, já totalmente envolvido nesta trama de mistério, vai construindo a verdade e descobrindo as reais intenções de cada envolvido no crime.
Como todo enredo policial, que requer atenção e observação máximas, cada detalhe em O Lobo Atrás na Porta precisa ser levado em consideração para desvendar o autor do crime. E esta resenha não pode adiantar mais nada para não estragar e desvendar o mistério proposto pelo roteiro, assinado também pelo diretor.

Filme: O Lobo Atrás da Porta, foto 3

Fabíula Nascimento é a mãe da menina desaparecida

 

Destaque para a direção: a câmera é colocada sempre muito próxima dos atores e cada movimento ou mudança de olhar pode revelar uma faceta desconhecida do personagem. Belas interpretações de todo o elenco, destaque para Leandra Leal com sua multifacetada Rosa, Juliano Cazarré que cria um delegado verossímil e a pequena e contundente participação de Emiliano Queiroz, na pele do pai de Rosa.

Final surpreendente. Não deixe de conferir.

 

 

 

 

Fotos: divulgação

, , , , ,

Maurício Mellone

Como jornalista — tendo atuado em rádio, TV, jornal, revistas e assessoria de imprensa —, a palavra sempre foi minha matéria prima. No entanto, desde 2000 venho cultivando o plano B, ou seja, mantenho no meu velho PC um arquivo com meus escritos, que na verdade já era um pré-blog. Lá, deixo fluir a imaginação para que a linguagem inclusive ganhe novos contornos.


Ver todos os posts de Maurício Mellone »

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta