Filme: O Paciente- o caso Tancredo Neves, foto 1

O Paciente – o caso Tancredo Neves: últimos dias do político mineiro

De em setembro 18, 2018

Filme: O Paciente- o caso Tancredo Neves, foto 1

Othon Bastos interpreta o presidente eleito Tancredo Neves em filme de Sergio Rezende

Muito oportuno o momento em que o filme de Sergio Rezende, O Paciente- o caso Tancredo Neves, está sendo lançado. Às vésperas das eleições gerais 2018 (serão escolhidos pelo voto popular no próximo dia 07/10 presidente, governadores, deputados e senadores), a trama, baseada no livro homônimo do historiador Luís Mir, mostra o drama vivido pelo político mineiro Tancredo de Almeida Neves, primeiro presidente civil eleito, por um colégio eleitoral de parlamentares, depois de duas décadas em que generais assumiam a presidência durante a ditadura militar.

Tancredo Neves e José Sarney foram eleitos, porém um dia antes da posse o político de Minas Gerais foi internado com fortes dores abdominais, não tomou posse e viveu uma agonia por 39 dias por hospitais, vindo a falecer dia 21 de abril de 1985. Othon Bastos e Esther Góes vivem com brilhantismo o casal Tancredo e Risoleta Neves; participações de Leonardo Medeiros, Otávio Müller, Paulo Betti e Emílio Dantas, dentre outros.

Filme: O Paciente - caso Tancredo Neves, foto 2

O neto Aécio (Lucas Drummond) e Risoleta (Esther) amparam Tancredo

O filme, com roteiro de Gustavo Liptzein, não é uma biografia de Tancredo Neves, é um pequeno recorte da vida dele, revelando os bastidores daquele momento, três dias antes da posse até sua morte. A trama começa com um pequeno relato histórico sobre o final da ditadura militar, a campanha das diretas já, a frustração com a derrota no Congresso Nacional da emenda constitucional que restabeleceria as eleições para presidente e finalmente a eleição indireta de Tancredo e Sarney, pelo colégio eleitoral.

As primeiras cenas com Tancredo (Bastos) são a três dias da posse, na casa dele, com familiares e com o jornalista e responsável pela comunicação Antonio Brito, vivido por Emílio Dantas, antes de uma entrevista coletiva. O político já sentia dores no abdômen, mas evitava qualquer tratamento. Como as dores aumentaram, os médicos do Congresso foram acionados, Dr. Renault (Müller) e o cirurgião Dr. Pinheiro Rocha (Medeiros), mas Tancredo se recusava a qualquer procedimento hospitalar antes da posse. No entanto, dia 14 de março, um dia antes de subir a rampa do Palácio do Planalto, o presidente eleito foi convencido a se internar no Hospital de Base de Brasília, com diagnóstico de apendicite. A partir daí o filme passa a descrever toda a agonia sofrida por Tancredo Neves, desde os erros de diagnóstico, as cirurgias numa unidade hospitalar despreparada, a disputa de egos entre os membros da equipe médica, até a transferência do paciente para São Paulo, sua piora e sua inevitável morte, para desespero de toda uma nação.

Filme: O Paciente - caso Tancredo Neves, foto 3

Médicos: Dr Renault (Müller), Dr. Pinheiro Rocha (Medeiros), Risoleta , Tancredo, médico da família (Queiroz), Dr Henrique Pinotti (Betti) e o diretor do Hospital (Leonardo Franco)

 

O diretor procura fazer uma reconstituição histórica fiel, tanto que mescla cenas filmadas com os atores com material produzido na época pela imprensa — imagens de arquivo dos movimentos populares, das pessoas enfrente ao InCor em São Paulo e depois do cortejo fúnebre pelas diversas cidades brasileiras. Mesmo se tratando de fatos históricos e de conhecimento geral, o clima criado pelo diretor é de tensão, justamente por se tratar da luta pela vida de um político respeitado e que carregava a esperança de uma nação por dias melhores — era o fim da ditadura e Tancredo era a promessa da volta da democracia ao país. Destaque para a comovente composição de personagem — tanto de Othon Bastos como de Esther Góes — e para as participações vigorosas dos atores Paulo Betti, Leonardo Medeiros, Otávio Müller, Eucir de Souza e Emiliano Queiroz, os médicos do presidente.

 

 

 

 

Não perca; como aperitivo, fique com o clipe da canção Coração de Estudante (Wagner Tiso/Milton Nascimento), a preferida de Tancredo e que depois ficou muito associada àquela época.

Fotos: divulgação


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento