Peça: Os Vilões de Shakespeare, foto 1

Os Vilões de Shakespeare: peça analisa personagens do mal do bardo

De em março 16, 2018

Peça: Os Vilões de Shakespeare, foto 1

Marcelo Serrado é um palestrante que fala sobre os maldosos da obra de Shakespeare

Depois de temporada carioca, Marcelo Serrado está na cidade, no Teatro Eva Herz, com o monólogo Os Vilões de Shakespeare, do dramaturgo inglês Steven Berkoff, com direção de Sergio Módena. O texto, que ganhou tradução do imortal da Academia Brasileira de Letras, Geraldo Carneiro, é como se fosse uma conferência, em que o palestrante analisa e comenta as peças de William Shakespeare. De forma descontraída, o ator explica que o objetivo é analisar os vilões da obra do bardo: ele interage com a plateia, contextualiza cada passagem do personagem escolhido e em seguida interpreta algumas cenas em que o vilão mostra toda a sua maldade.

Peça: Os Vilões de Shakespeare, foto 2

O ator interage com a plateia e interpreta os vilões

O espetáculo começa com Serrado interpretando um texto trágico da obra de Shakespeare. Em seguida, com bom humor, ele inicia a conversa com os espectadores querendo saber o significado de vilania e quem seriam os verdadeiros vilões da humanidade. Com certa timidez, as pessoas se soltam e citam personagens que fizeram e ainda fazem mal à sociedade (além de vultos da história, como Hitler, Fidel ou Mussolini, há outros mais recentes, inclusive da política atual). Aí o ator/palestrante, com a ajuda de um telão em que nomes e imagens são projetados, começa a contextualizar as peças de Shakespeare e as cenas em que o vilão demonstra toda a sua crueldade e baixeza. E aí, ele interpreta pequenas cenas do vilão.

 

“É muito interessante para um ator representar vilões. É neles que estão os arquétipos, o dissimulado, o tirano, o vingativo. Essa colcha de retalhos é genial e Shakespeare, por meio de seus personagens, mostra causa, motivo e justificativa para que possamos compartilhar uma jornada psicológica, ao invés de simplesmente condenar a maldade”, analisa Marcelo Serrado.
 

Dentre os vilões de Shakespeare, a peça destaca alguns, como Ricardo III, Coriolano, Iago, Hamlet e Oberon. Além de comentar e analisar o contexto em que estes vilões atuam, a trama procura investigar o que estes personagens têm que atraem tanto o público.

 

“É um privilégio trabalhar com textos tão maravilhosos, extraídos de personagens marcantes da obra do Shakespeare. A ideia do Steven Berkoff é maravilhosa, a gente apenas transpôs estas reflexões para o contexto do teatro brasileiro”, explica o tradutor Geraldo Carneiro.

 

Marcelo Serrado está à vontade em cena, consegue manter uma boa relação com a plateia e tem a chance de interpretar grandes personagens do teatro universal. Confesso que por serem pequenas as cenas, senti necessidade que os personagens clássicos de Shakespeare fossem mais desenvolvidos. O espetáculo é apresentado somente nos finais de semana até final de abril. Ingressos promocionais para os primeiros compradores.

 

Peça: Os Vilões de Shakespeare, foto 3

Serrado é dirigido por Sergio Módena

Roteiro:
Os Vilões de Shakespeare
. Texto: Steven Berkoff. Tradução e adaptação: Geraldo Carneiro. Direção: Sergio Módena. Elenco: Marcelo Serrado. Figurino: Carol Lobato. Iluminação: Paulo Denizot. Trilha sonora: Marcelo Alonso Neves. Fotografia: divulgação. Realização: Rio MS Prod. Artísticas e Barata Comunicação.
Serviço:
Teatro Eva Herz (168 lugares), Livraria Cultura – Conj. Nacional, Av. Paulista, 2073, tel. 11 3170-4059. Horários: sábado às 19h e 21h e domingo às 18h
Ingressos: R$ 80 (R$ 30 – ingressos promocionais, válido aos 34 primeiros espectadores). Bilheteria: terça a sábado, das 14h às 21h; domingos das 12h às 19h. Vendas: bilheteria e  www.ingressorapido.com.br . Duração: 65 min. Classificação: 12 anos. Temporada: até 29 de Abril.

Marcos Zaccharias Publicitário
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: