Peça: Playground, foto 1

Playground: peça inédita no país retrata 30 anos da vida de um casal

De em abril 13, 2016

Peça: Playground, foto 1

Lara Hassum e Mateus Monteiro interpretam os jovens Karina e Daniel, marcados pela dor e por fortes cicatrizes

O jovem e premiado dramaturgo norte-americano Rajiv Joseph pela primeira vez tem uma de suas peças encenadas no Brasil. Com direção de Marco Antônio Pâmio, Playground, que acaba de estrear no Viga Espaço Cênico, é um retrato da vida tumultuada de Karina e Daniel, que por mais de 30 anos têm vários encontros, sempre marcados (literalmente) por muita dor, angústia e uma incomum atração. Eles se conhecem ainda na infância, exatamente no ambulatório da escola: Daniel, interpretado por Mateus Monteiro, todo machucado vai em busca de curativos e encontra Karina, vivida por Lara Hassum, que sofre de dores no estômago. Este primeiro encontro é um reflexo do que eles viverão em suas vidas: o destemido rapaz não para de arriscar-se, sempre causando danos físicos, enquanto a moça somatiza angústias e traumas em problemas estomacais, automutilando-se. Dor e cicatrizes (físicas e emocionais) são o que caracterizam a relação deste casal, que provoca no espectador tanto uma atração como um distanciamento reflexivo.

Peça: Playground, foto 2

Trama revela vários momentos na vida do casal

Com uma  linguagem ágil e um jogo dramático intenso, o público é surpreendido a cada cena, cada uma delas revelando um momento da vida daqueles personagens. De forma não linear, a história dá saltos, às vezes 20 anos a mais, outras 10 anos antes e o espectador aos poucos vai criando a linha do tempo e o percurso emocional de Karina e Daniel. Mais do que conseguir traçar um perfil dos personagens — Daniel, um rapaz autodestrutivo e que vive colocando a vida em risco e Karina, uma mulher angustiada, mas que consegue curar as dores do amigo —, o espectador ora se identifica com a trajetória deles, ora se distancia e procura respostas para tanta dor, sofrimento e cicatrizes.

 

“Diante de material tão rico como a carpintaria dramática de Rajiv Joseph, nosso norte ao longo do processo de criação foi o de honrar a dramaturgia de maneira plena, tornando Karina e Daniel seres de carne e osso. Quisemos vasculhar como as feridas dos personagens traduzem metaforicamente o que tanto os machuca e lhes faz doer por dentro”, explica Marco Antônio Pâmio no programa da peça.

Peça: Playground, foto 3

Pâmio dirige peça inédita no país

Com poucos elementos cênicos (macas de hospital, cadeiras e pequenas mesas dispostas pelos atores em cada cena), a montagem prende a atenção do público graças ao jogo proposto pelo dramaturgo, em que a cada encontro é preciso saber o que aconteceu na vida de Daniel e Karina e o que motivou a separação deles. Playground se destaca ainda pela direção precisa e pelas marcações em cena muito bem definidas (para isso o trabalho de contrarregra tem papel fundamental). A interpretação visceral, tanto de Mateus Monteiro como de Lara Hassum, é outro elemento a ser ressaltado: impossível o espectador não se emocionar com o grau de entrega e dedicação em cena da dupla de atores. Não perca!

Fotos: Leekyung Kim


4 Comentários

Ed Paiva

abril 23, 2016 @ 14:15

Resposta

Sai de “Playground” impactado com contundente história do casal Karina e Daniel, interpretados com paixão e energia por Lara Hassum e Mateus Monteiro. Estão ótimos!
E a direção de Marco Antonio Pâmio é perfeita. Ele é uma das mais perfeitas traduções de teatro!

Maurício Mellone

abril 25, 2016 @ 14:23

Resposta

Ed,
‘Playground’ perturba mesmo! Uma história que mexe com
os alicerces de cada um
E concordo com vc: Mateus e Lara estão perfeitos em cena e a
direção do Pâmio é sensível e certeira (disse na resenha
sobre a contra-regragem, que é fundamental para a trajetória da
história)
Obrigado pela presença constante aqui no Favo, sua opiniões certeiras
ajudam ao demais leitores a compreensão dos espetáculos!
bjs

Fábio Mráz

abril 15, 2016 @ 01:37

Resposta

Sabia que ia gostar, Mau.
A direção do Pâmio é um primor, é como um lindo e dramático balé. E as atuações do Mateus e da Lara são uma verdadeira aula de interpretação. A química dos dois em cena é impressionante.

Maurício Mellone

abril 15, 2016 @ 09:51

Resposta

Fábio,
Que ótimo q vc também gostou de ‘Playground’;
Pâmio está cada vez mais ‘afiado’ na direção (um ator de
primeira grandeza todos já sabemos!) e os atores realmente
arrasam em cena, em interpretações viscerais!
Obrigado pela visita e pela constante presença no Favo
bjs

Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento