Categoria: Poesia


Meu ébano
Meu guri
Alegria, vivaCidade
O pulsar
O êxtase que há anos
Não vivia, quase esqueci.

Será que vou saber lidar
As diferenças
A idade
Outras experiências
Como conciliar?

Dar vazão à
Emotividade,
Contida há anos!
Que o frescor de tua
Pele morena
Que o vigor de tua
Alma serena
Me contagie, me envolva

Que o amor,
Mantido sobre grades,
Não me deixando crescer,
Se liberte e
Seja o rotor
Do meu viver.

Que eu me permita de novo voltar
A amar.
Deixar fluir a emoção
Extravasar.

Que o guri preso
em minhas entranhas
Tome as rédeas
De seu destino.

Pressentir, sentir
Sem rótulo ou defesas
As delícias do amor
Os delírios do gozo
O frescor da alma
E o vigor da pele.

Ilustração:
Ricardo de Castro Pereira

  • setembro 15, 2010
  • 4 Comentários

Jesus Cristo, Igr NS Pilar, Buenos Aires, AR

Choro pelo belo
Pelo sensível.
Toda idéia brilhante
Me emociona, deixando-me tangível.

A palavra expressa com verdade
E a emoção revelada na imagem
Me fazem chorar
Lágrimas que impelem
a me expressar

A imagem, a palavra e a ideia do outro
São como tábua de salvação
Para desatar os nós de minhas entranhas
E vertê-los
Em minhas ideias, palavras e imagens.

  • julho 23, 2010
  • 0 Comentários

Poema de março/2003

  • junho 22, 2010
  • 0 Comentários

Duas poesias elaboradas em momentos diferentes.

  • maio 19, 2010
  • 0 Comentários

Escrever,
Não basta querer.
A palavra
Vinda do coração
Demanda de muita lavra.

  • maio 14, 2010
  • 2 Comentários
Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento