Filme: Por trás do céu, foto 1

Por trás do céu: filme revela universo onírico de uma mulher sertaneja

De em maio 9, 2017

Filme: Por trás do céu, foto 1

Nathalia Dill interpreta a sonhadora Aparecida em filme de Caio Sóh

O problema persiste: filme nacional, se não obtém grandes bilheterias nas primeiras semanas de exibição, fica reduzido a poucas salas e mínimas sessões. Não é diferente com Por trás do céu, que entrou em cartaz recentemente e hoje está sendo exibido somente em uma sala (Caixa Belas Artes), numa única sessão. Uma pena, pois o filme de Caio Sóh é poético e de extrema sensibilidade.

A trama, baseada em uma peça do próprio diretor, retrata o cotidiano de um casal que vive num casebre no topo de um rochedo, localizado numa região paupérrima do sertão paraibano. Aparecida, interpretada por Nathalia Dill, é uma mulher criativa e com uma rica imaginação, mas que se entedia de ficar restrita àquele fim de mundo; já Edivaldo, vivido por Emílio Orciollo Neto, é um rústico sertanejo e apaixonado pela mulher, mas leva uma vida amargurada em razão de uma tragédia ocorrida no passado.  A chegada de Micuim (Renato Góes), amigo deles, e da prostituta Valquíria (Paula Burlamaqui) altera radicalmente a vida do casal.

Filme: Por trás do céu, foto 2

Emílio Orciollo Neto e Nathalia vivem o casal sertanejo, que mora isolado do mundo

Numa espécie de prólogo, Aparecida trava uma conversa com Deus, questionando seu destino de viver presa àquele lugar. Nas cenas seguintes, o espectador passa a conhecer um pouco da vida dela, que com as sucatas que ganha do marido constrói seu universo onírico, recheado de objetos ornamentais, roupas, fantasias, utensílios e até asas para sua tartaruga. Isolada do mundo, Aparecida quer conhecer a cidade, sonha em voar e saber o que se passa por trás do céu, o que deixa Edivaldo sem ação — ele não compreende o porquê da obsessão da mulher em ganhar o mundo.

Aquele isolamento tem uma razão de ser: intercalando presente e passado, o diretor revela como eles se conheceram e tudo o que provocou o afastamento do casal do convívio social. A chegada de Micuim traz ânimo ao casal: além de pequenos presentes, o rapaz assume o papel de intermediário e apaziguador entre eles. Já Valquíria, que foge dos maus tratos do cafetão (Roberto Bomtempo) que a explorava, também interfere no cotidiano deles, graças a sua vivência na cidade.

Filme: Por trás do céu, foto 3

Ao lado de Nathalia, Renato Góes dá vida ao sagaz sertanejo

O que chama a atenção no roteiro, também assinado pelo diretor, é o retrato do universo daquelas pessoas que vivem isoladas da sociedade: mesmo com certa dose de ingenuidade e ignorando o pragmatismo do mundo contemporâneo, Aparecida, Edivaldo e Micuim têm consciência do que é o amor, amizade, lealdade, religiosidade e são fiéis a estes sentimentos humanos mais profundos. Além da aprimorada composição de personagem de Nathalia e Orciollo, o destaque fica para o pernambucano Renato Góes, que dá vida ao autêntico e histriônico Micuim.

 

 

Fotos: divulgação

Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Marcos Zaccharias Publicitário

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: