RSS FACEBOOK TWITTER

Premiados do Festival Mix Brasil da Cultura da Diversidade 2014


Filme: Festival Mix Brasil, foto 1

Os diretores João Federici e André Fischer com jurados e premiados do Festival Mix Brasil 2014

Num ano em que os organizadores do 22º Festival Mix Brasil da Cultura da Diversidade receberam número recorde de inscrições de filmes brasileiros, o destaque ficou mesmo para a produção nacional. Dos 149 filmes exibidos, 69 são do Brasil, entre curtas, médias e longas metragens. Isto influiu inclusive na premiação: de acordo com os diretores João Federici e André Fischer, este ano além dos tradicionais premiados de curtas brasileiros, curta e longa estrangeiros, foi instituído o prêmio para média e longa metragens do Brasil. Outro destaque da premiação é para o Prêmio Canal Brasil, em que o vencedor recebe 15 mil reais, é exibido na emissora e ainda concorre ao Grande Prêmio Canal Brasil de 50 mil reais.

Filme: Festival Mix Brasil, foto 2

Curta Algum Lugar no Recreio, venceu o troféu Coelho de Ouro

A premiação aconteceu ontem no Centro Cultural São Paulo, com a presença de todos os exibidores e dos dois júris: da competitiva de curtas nacionais ( a atriz  norte-americana Guinevere Turner, o diretor do Skeive Filmer Film Festival de Oslo Bard Ydén, e do cineasta brasileiro Duda Leite) e a de médias e longas metragens, constituída pela atriz Gilda Nomacce, o ator Milhem Cortaz e o cineasta Andradina Azevedo.
O público também escolhe os seus filmes preferidos. Neste ano o longa premiado foi Para Sempre Teu, Caio F., do diretor Candé Salles, com roteiro de Paula Dip, um documentário sensível e emocionante sobre o escritor Caio Fernando Abreu. Entre os curtas, houve empate e os vencedores foram o mineiro A Ala, de Fred Bottrel sobre o setor de homossexuais de uma prisão e Aceito de Felipe Cabral, que fala do pedido de casamento entre dois rapazes.

Filme: Festival Mix Brasil, foto 3

Gazelle- The Love Issue venceu Coelho de Ouro de média e longa metragem Brasil

O grande vencedor entre os curtas nacionais, ganhador do troféu Coelho de Ouro, foi para Algum Lugar no Recreio, de Caroline Fioratti, que conta os dramas de jovens de um colégio paulistano. O júri concedeu ainda menção honrosa para A Ala, escolhido pelo público. Da categoria longa e média metragem, o vencedor do troféu Coelho de Ouro foi Gazelle – The Love Issue,  direção de Cesar Terranova, um documentário sobre Paulo, conhecido por seu alter ego Gazelle.
O Prêmio Canal Brasil ficou para o curta Quinze dirigido por Maurilio Martins, que retrata os sonhos de uma mãe que prepara a festa de quinze anos da filha. O Show do Gongo, apresentado pela atriz Marisa Orth, premiou o vídeo Shoshanna, de Ivan Ribeiro.
O Festival continua até domingo, no Centro Cultural São Paulo, com atrações de teatro, música e cinema, claro. Há a chance de assistir aos curtas da competitiva nacional que serão apresentados no domingo. Confira abaixo todos os vencedores deste ano.
Tive a chance de assistir a diversos filmes e constatar como a diversidade sexual é vista e tratada em várias partes do mundo. Quero destacar filmes que me tocaram profundamente, de um lado pelo horror da homofobia em dois filmes em particular: o longa russo Stand e o curta Aban + Khroshid. Mas a emoção também foi forte com dois documentários brasileiros: Cássia, sobre a trajetória da inesquecível cantora Cássia Eller e o premiado Para Sempre Teu, Caio F.

Filme: Festival Mix Brasil, foto 4

O longa Para Sempre Teu, Caio F. foi o escolhido pelo público

Aos diretores e amigos João e André, quero ressaltar a importância de um festival como o Mix Brasil por abrir esta grande janela de exibição e discussão sobre a diversidade sexual no país e agradecer pela realização de um evento de tamanha magnitude e importância num momento de conquistas da comunidade LGBT, ao mesmo tempo em que assistimos a ala conservadora, retrógrada e homofóbica ganhando espaço na sociedade brasileira. Mais do que nunca precisamos lutar para que a homofobia no Brasil seja criminalizada! E a disseminação de iniciativas como o do Festival Mix Brasil deve ser apoiada e incentivada, sempre!

Filme: Festival Mix Brasil, foto 5

André Fischer e João Federici

Vencedores:

 Júri Popular:
Melhor Curta Estrangeiro: Aban + Khorshid, direção de Darwin Serink (EUA)
Melhor Longa Estrangeiro: E Agora ? Lembra-me, direção de  Joaquim Pinto (Portugal)
Melhor Documentário: Nan Goldin- Lembro do seu Rosto,  direção de Sabine Lidl  (Alemanha/ Áustria/Suíça)
Melhor Curta Nacional (empate): A Ala, direção de Fred Bottrel
Aceito
, direção de Felipe Cabral
Longa Nacional: Para Sempre Teu, Caio F., direção de Candé Salles

Filme: Festival Mix Brasil, foto 6

Quinze, vencedor do Prêmio Canal Brasil

Prêmio Canal Brasil de Incentivo: Quinze, direção de  Maurilio Martins

Prêmio Ida Feldman: Colby Keller

Júri Técnico Competitiva Brasil de Curtas
Melhor curta Troféu Coelho de Ouro: Algum Lugar no Recreio, de Caroline Fioratti
Melhor direção de arte:  Edifício Tatuapé  Mahal, Fernanda Salloum      
Melhor Fotografia: Flerte, Dante Belluti
Melhor Roteiro:  Sobre Papéis,  Pedro Paulo Andrade
Melhor Interpretação: Quinze, Karine Teles
Melhor Direção:  Algum Lugar no Recreio, Caroline Fioratti
Menção Honrosa: A Ala, direção de Fred Bottrel

Júri Técnico Competitiva Brasil de Médias e Longas:
 Melhor curta média/ longa Troféu Coelho de Ouro: Gazelle – The Love Issue,  direção de Cesar Terranova
Menção Honrosa: Nova Dubai, direção de Gustavo Vinagre
Show do Gongo: Shoshanna, direção de Ivan Ribeiro

 

Fotos: divulgação

 

, , , ,

Maurício Mellone

Como jornalista — tendo atuado em rádio, TV, jornal, revistas e assessoria de imprensa —, a palavra sempre foi minha matéria prima. No entanto, desde 2000 venho cultivando o plano B, ou seja, mantenho no meu velho PC um arquivo com meus escritos, que na verdade já era um pré-blog. Lá, deixo fluir a imaginação para que a linguagem inclusive ganhe novos contornos.


Ver todos os posts de Maurício Mellone »

Nenhum comentário ainda.

Deixe uma resposta