Peça: Processo de Conscerto do Desejo, foto 1

Processo de Conscerto do Desejo: Matheus Nachtergaele reverencia a mãe

De em abril 5, 2017

Peça: Processo de Conscerto do Desejo, foto 1

Em cena, o ator recita poemas de sua mãe Maria Cecília Nachtergaele, que se suicidou aos 22 anos

Como no princípio da alquimia, em que o metal se transforma em ouro, o ator Matheus Nachtergaele consegue quase isso no espetáculo Processo de Conscerto do Desejo, de volta à cidade, agora no Teatro Raul Cortez. Da dor e sofrimento ele criou um recital poético, alegre e belo: no espetáculo, Matheus diz os poemas de sua mãe Maria Cecília — que se suicidou aos 22 anos quando ele tinha três meses — e é acompanhado pelos músicos Luã Belik ao violão e Henrique Rohrmann no violino.
Concebido inicialmente para pequenos e íntimos espaços, o recital já participou dos principais festivais de teatro do país e agora chega para uma temporada num teatro com mais de 500 lugares. O ator diz que demorou anos para saber o que fazer com os poemas da mãe:

“O caderno com os poemas que ganhei de meu pai aos 16 anos era uma espécie de vespeiro emocional e esperei até sentir que não era mais tão perigoso, que as picadas haviam se cicatrizado. Tinha receio que essa história só dissesse respeito a mim, entretanto as pessoas acabam se conectando com o sentido do viver”, diz Matheus Nachtergaele.

Peça: Processo de Conscerto do Desejo, foto 2

Matheus concebeu o recital para pequenos espaços, mas está numa sala de e 513 lugares

Com uma iluminação primorosa de Orlando Schaider, que intercala sombras, blecaute e focos de luz, o ator inicia o recital praticamente no escuro, ao som do violão; aos poucos ele, por meio dos poemas, ganha o palco e o espectador consegue vislumbrar tanto o ator/filho que diz os poemas da mãe, como a própria poeta em cena com suas angústias, além da revolta daquele filho pelo destino que a vida lhe concedeu. Sem qualquer tipo de julgamento ou crítica.

 

“É um recital à moda grega, é um lamento, mas é iluminado. O tom mais íntimo dá lugar ao trágico, à catarse. Mas esta experiência transformou o meu pesar e me mostrou a beleza de ser quem sou, apesar de não ter conhecido essa grande mãe. Faço esse espetáculo com uma imensa alegria”, confessa o ator.

 

Em uma hora de espetáculo e sem qualquer recurso cênico — há somente uma placa de metal pendurada no centro do palco, que funciona como um grande espelho, Matheus passa toda a densidade poética de Maria Cecília e as agruras de uma mulher suicida de vinte e poucos anos. Apesar deste universo tenso e de muita tristeza, o recital tem um tom alegre e edificante. Com seu carisma, sensibilidade e enorme talento, o alquímico Matheus Nachtergaele chega ao ápice do recital puxando os espectadores para dançar: desce até a plateia, escolhe o seu par e em seguida pega outra pessoa, formando novo casal; assim tudo termina com as pessoas dançando uma bela valsa, numa rica empatia do ator com seu público. Literalmente imperdível! Somente até o dia 30 de abril, programe-se.

 

Peça: Processo de Conscerto do Desejo, foto 3

“Faço esse espetáculo com uma imensa alegria”

Roteiro:

Processo de Conscerto do Desejo. Concepção e atuação: Matheus Nachtergaele. Textos: Maria Cecília Nachtergaele. Violão: Luã Belik. Violino: Henrique Rohrmann. Design som e operação: Andrea Zeni. Iluminação: Orlando Schaider.   Artes visuais: Cláudio Portugal e Karina Abicalil. Fotografia: Sergio Cubas. Produção executiva: João Federici e Josi Geller. Realização: Pássaro da Noite. Prod.
Serviço:
Teatro Raul Cortez (513 lugares), Rua Dr. Plínio Barreto, 285, tel: 11 3254- 1631. Horários: sexta às 21h30, sábado às 21h e domingos às 18h. Ingressos: R$ 40 (sexta) e R$ 80 (sábado e domingo). Bilheteria: de terça a quinta-feira das 14h às 20h; de sexta a domingo, das 14h até o início do espetáculo Vendas: 11 2626-5282 ou pelo site compreingressos.com. Classificação: 16 anos Duração: 60 min. Temporada: até 30 de abril.


4 Comentários

Dinah Sales de Oliveira

abril 6, 2017 @ 20:44

Resposta

Maurício,
Puxa, parece que o Matheus se superou nessa peça, né? Ele que já é tão bom! Li ótimas críticas na primeira temporada.
Perdi daquela vez, mas agora que vc me cutucou pela resenha, vou agendar um dia pra assistir.

beijo,
Dinah

Maurício Mellone

abril 7, 2017 @ 14:38

Resposta

Dinah,
tenho certeza q vc vai amar o espetáculo.
O Matheus realmente se supera a cada trabalho,
neste em particular, pois mexe com feridas profundas
de suas infância/adolescência. Mas tudo com poesia
e delicadeza.
Não perca
bjs e obrigado pela presença constante aqui no Favo
e na minha vida!

Imad

abril 6, 2017 @ 16:37

Resposta

Como tive a satisfação de assistir à pré-estreia ao seu lado, reconheço que seu texto faz muita justiça ao espetáculo, que foi mesmo comovente, interpretado por alguém que há muito já provou seu talento. Me chame mais vezes, meu caro!

Maurício Mellone

abril 7, 2017 @ 14:39

Resposta

Querido,
também adorei estar com vc conferindo o talentoso Matheus em seu recital
Teremos outras oportunidades, sim, é sempre um prazer!
bjs

Deixe comentário

Deixe uma resposta para Dinah Sales de Oliveira Ou cancelar resposta

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento