Peça: Esta Criança, foto 1

Renata Sorrah e Cia Brasileira de Teatro encenam a inédita, Esta Criança

De em abril 30, 2013

Peça: Esta Criança, foto 1

Renata Sorrah interpreta uma filha e várias mães na peça do dramaturgo francês Joël Pommerat

Pela primeira vez encenada no país, Esta Criança (Cet Enfant), peça do dramaturgo e diretor francês Joël Pommerat, é o primeiro projeto que une a consagrada atriz Renata Sorrah e a paranaense Cia Brasileira de Teatro, dirigida por Marcio Abreu, considerada pelos críticos uma das mais importantes do país. E deste encontro vem uma das montagens mais contundentes em cartaz na cidade. Com uma linguagem simples e direta, a peça reúne 10 cenas que versam sobre a relação entre pais e filhos. São as mais variadas situações em que os quatro atores — Renata Sorrah, Giovana Soar, Ranieri Gonzalez e Edson Rocha — se revezam em mais de 20 personagens e discutem desde o abandono, agressão, ciúme, situações de morte, nascimento até desabafos e rusgas profundas entre os membros da família.
A peça, que permanece no SESC Vila Mariana até 09 de junho, na edição carioca do Prêmio Shell recebeu quatro troféus: atriz para Renata, direção, iluminação e cenário.

Peça: Esta Criança, foto 2

Renata e Giovana Soar numa das 10 cenas que retratam a relação de pais e filhos

 

Sem trégua, o autor francês em Esta Criança disseca a relação familiar: são 10 circunstâncias, geralmente de atrito, entre pai e filho, pai e filha, mãe e filho e mãe e filha, que geram uma identificação imediata com o público.

 

 

 

“Reconheço aquelas mães, aqueles pais, as relações são tão reconhecíveis! O texto aponta problemas que as pessoas não resolvem porque se preocupam com outras coisas, porque não enxergam que estes mesmos problemas são a própria vida”, explica Renata Sorrah.

A proximidade com o espectador também é obtida por meio de outros recursos, como o cenário de Fernando Marés, que é montado de maneira diagonal e com avanço para a plateia. O diretor também realiza cenas nos corredores do teatro, entre o público e com as luzes acesas, o que potencializa a identificação e a cumplicidade com os espectadores.

 

“Esta peça é uma obra essencial, contemporânea, em que forma e conteúdo se misturam para criar um material estético que estimula a imaginação e a sensibilidade. Ela propõe ao encenador e aos atores uma linguagem precisa e ao mesmo tempo aberta à criação”, argumenta o diretor Marcio Abreu.

O que me chamou a atenção na montagem é que o dramaturgo apresenta as situações vividas pelos núcleos familiares, mas não tem a solução para os problemas focados. O espectador, ao se identificar com a cena, é levado a pensar e a refletir. Isto fica explícito na cena final, em que Renata na pele de uma mãe tem uma discussão ríspida e em seguida pede desculpas e diz que aprende muito com a filha. Esta fala é dita na boca de cena, com a luz da plateia acesa!

Peça: Esta Criança, foto 3

Edson Rocha, Renata, Giovana e Ranieri Gonzalez em cena

Difícil ressaltar algum elemento da montagem. Por abordar temas tão peculiares e corrosivos da relação que todos vivemos, a família, Esta Criança é um espetáculo fundamental e de grande relevância. E ter a chance de conferir a magnífica performance de Renata Sorrah é uma dádiva!
Imperdível!

Fotos: Sandra Delgado 

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Marcos Zaccharias Publicitário

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: