Peça: Rio Grande, foto 1

Rio Grande: peça mostra várias visões de homem que cometeu crime

De em janeiro 31, 2019

Peça: Rio Grande, foto 1

Ricardo Gelli interpreta um homem em crise que se vê envolvido em crime virtual

Escrita de forma truncada e fragmentada, peça de Sergio Mello, Rio Grande, em cartaz no Teatro Sérgio Cardoso, retrata o drama de um metroviário, interpretado por Ricardo Gelli, que cometeu um crime virtual/digital e, para se defender, faz um mergulho dentro de si para descobrir as verdadeiras respostas para as suas atitudes.

A narrativa tem três fios condutores: o primeiro quando o personagem está diante do computador em busca de homens para se relacionar com sua mulher; o segundo momento é ele diante do delegado tentando se defender e por último temos o metroviário, num mergulho em suas entranhas, refletindo sobre as razões que o levaram a cometer o suposto crime cibernético.

Peça: Rio Grande, foto 2

Ator é o responsável pela luz e assina cenário e figurino com o autor

 

Com direção do próprio autor e uma produção muito bem cuidada, a trama começa com o ator estático no centro do palco e em suas costas é projetada a imagem de um homem com o dorso nu. O relato do personagem só começa depois que ele veste a camiseta e a camisa. Aí sim o público percebe que ele está sentado ao lado de duas mesas, cada uma com uma série de copos, de todos os tipos e tamanhos.

A narrativa fragmentada, em três níveis, tem início quando ele se dirige para um lado e é o momento das conversas na internet, em chats de relacionamento, em que o metroviário procura por homens que aceitem se relacionar com sua esposa. Corte e ele se direciona ao lado oposto, quando presta depoimento ao delegado sobre o suposto crime digital. O terceiro momento narrativo é quando o personagem caminha em linha reta até bem perto da plateia e faz reflexões existenciais, tentando entender as razões de seus atos. Nestes momentos de busca interior, imagens de um rio projetadas no fundo do palco ajudam a entender o mergulho do personagem para dentro de si.

Não há nada explícito e dentro deste quebra cabeças o espectador é convidado a criar o enredo e a trajetória daquele homem em crise.

 

“O texto foi escrito em cima da figura do ‘homem de bem’ e, para compô-lo, a encenação se utiliza de símbolos comuns a ele dispostos no texto, como família, religião e sexualidade. Por meio de blocos de linha de pensamento, desvenda-se sem muita clareza a natureza, a aridez e as incongruências desse cidadão comum”, explica Sergio Mello.

 

 

Há vantagens e desvantagens pelo fato da peça não conter uma linearidade e clareza dos atos do personagem. Ao precisar desvendar os mistérios da vida do metroviário, o espectador é obrigado a refletir sobre seus próprios atos. No entanto, como não há pistas explícitas, o público pode se sentir confuso e assim a compreensão da proposta dramatúrgica fica comprometida. Entretanto, há de se ressaltar a performance de Ricardo Gelli, que variando a modulação de voz, posturas em cena e inflexões consegue transmitir  o drama multifacetado do personagem. Destaque ainda para a precisa marcação de cena e a iluminação, elementos fundamentais para a condução narrativa. Espetáculo denso e reflexivo.

 

Peça: Rio Grande, foto 3

Gelli em mais uma grande atuação

Roteiro:
Rio Grande
. Texto e direção: Sérgio Melo. Atuação: Ricardo Gelli. Cenário e figurino: Sérgio Melo e Ricardo Gelli. Video grafismo, videomapping e sonoplastia:  André Grynwask e Pri Argoud (Um Cafofo). Iluminação: Ricardo Gelli. Fotografia: Zyon Colbert. Produção executiva: Elder Fraga, Nicolle Albiero, Sérgio Melo e Ricardo Gelli. Direção de produção: Elder Fraga. Realização: RG44 Produções artísticas.
Serviço:
Teatro Sérgio Cardoso – Sala Paschoal Carlos Magno (144 lugares), Rua Rui Barbosa, 153, Tel. 11 3288-0136. Horários: sexta e sábado às 19h e domingo às 17h. Ingressos: R$ 50 e R$ 25. Venda: bilheteria e ingressorapido. Duração: 55 min. Classificação: 14 anos. Temporada: até 17 de março.

Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Marcos Zaccharias Publicitário

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: