Peça: Senhora dos Afogados, foto 1

Senhora dos Afogados: Jorge Farjalla revê tragédia de Nelson Rodrigues

De em fevereiro 28, 2018

Peça: Senhora dos Afogados, foto 1

Elenco: Alexia Dechamps, João Vitti, Karen Junqueira, Rafael Vitti, Letícia Birkheuer, Nadia Bambirra, Jaqueline Farias e Du Machado

Pesquisador da obra de Nelson Rodrigues — assinou a montagem de Doroteia  no ano passado, Jorge Farjalla retorna ao dramaturgo pernambucano em Senhora dos Afogados, que acaba de estrear no Teatro Porto Seguro. Considerada pelo crítico Sábato Magaldi como uma das peças míticas de Nelson, a trama desnuda as relações trágicas, obsessivas e incestuosas do clã familiar Drummond, em que seus membros vivem numa intriga feroz e desmedida. Num tom soturno, a montagem mostra a dor da família pela morte de Clara, uma das filhas que morreu afogada, enquanto as prostitutas  do cais do porto lamentam a morte de uma delas ocorrida há 19 anos, crime que permanece impune. A elucidação deste assassinato e a série de mortes na família Drummond constituem o cerne desta tragédia rodrigueana, muito próxima ao modelo das tragédias gregas.

O elenco, encabeçado por Alexia Dechamps, João Vitti que vivem o casal Dona Eduarda e Misael Drummond, conta ainda com Karen Junqueira, Rafael Vitti, Letícia Birkheuer, Nadia Bambirra, Jaqueline Farias e Du Machado.

Peça: Senhora dos Afogados, foto 2

Rafael e o pai João Vitti: pela primeira vez juntos no palco

A peça escrita em 1947 se passa originalmente no Rio de Janeiro, mas o encenador transpôs a trama para uma região de mangue de Pernambuco, terra de Nelson e onde ele viveu parte de sua infância. O enredo enfatiza o caráter puritano daquela família: Dona Eduarda é a todo o momento infernizada por Moema (Karen Junqueira), única filha mulher sobrevivente (além de Clara, uma outra filha também morreu afogada): pudor, honra e fidelidade são questões que a filha cobra da mãe insistentemente. Moema engendra um plano para que Eduarda traia o marido com seu próprio noivo, um ex-oficial da marinha interpretado por Rafael Vitti. O rapaz usa este plano para desvendar outro mistério que envolve a família Drummond: o autor do assassinato de sua mãe, a prostituta morta há 19 anos.

Farjalla optou por uma montagem crua: o cenário de José Dias é mínimo, apenas alguns galhos retorcidos numa alusão ao mangue e um imenso farol no centro do palco, que em alguns momentos se abre para o embate dos personagens centrais. Maquiagem e figurino reforçam o tom sombrio da tragédia rodrigueana concebida pelo encenador.

Peça: Senhora dos Afogados, foto 3

Trama: relações trágicas dos Drummond

Roteiro:
Texto: Nelson Rodrigues. Direção, encenação e dramaturgia: Jorge Farjalla. Elenco: Alexia Dechamps, Joao Vitti, Karen Junqueira, Rafael Vitti, Letícia Birkheuer, Nadia Bambirra, Jaqueline Farias e Du Machado. Direção musical e trilha original: João Paulo Mendonça. Direção de arte e espaço cênico: José Dias. Figurinos e adereços: Jorge Farjalla e Ana Castilho. Desenho de luz: Vladimir Freire e Jacson Inácio. Visagismo: Vavá Torres. Fotografia: Carol Beiriz. Direção de Produção: Lu Klein.
Serviço:
Teatro Porto Seguro (496 lugares), Al. Barão de Piracicaba, 740, tel. 11 3226.7300. Horários: sexta e sábado às 21h e domingo às 19h. Ingressos: R$ 90 e R$ 70. Bilheteria: de terça a sábado das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h. Duração: 90 minutos. Classificação: 16 anos. Serviço de vans gratuitas da Estação Luz até o teatro. Temporada: até 29 de abril.


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento