Filme: Tapete Vermelho, foto 1

Tapete Vermelho abre o 5º Panorama do Cinema Suíço Contemporâneo

De em junho 18, 2015

Filme: Tapete Vermelho, foto 1

Elenco do filme Tapete Vermelho: jovens da periferia de Lausanne que tornaram-se atores do próprio filme

Aconteceu ontem no Cine SESC a abertura da quinta edição do Panorama do Cinema Suíço Contemporâneo 2015, que neste ano traz 16 longas metragens inéditos, entre ficção e documentários, além de 15 curtas de animação. A mostra será apresentada até o dia 29 de junho, tanto no Cine SESC como no CCBB-SP.
O filme de abertura foi o premiado Tapete Vermelho, primeiro longa dos diretores Frédéric Baillif e Kantarama Gahigiri, que mistura ficção e realidade e conta a história de um assistente social que se depara com a dura vida de um grupo de jovens da periferia de Lausanne que deseja realizar um filme para ser exibido no tapete vermelho do tradicional Festival de Cinema de Cannes. O roteiro é baseado na história pessoal dos protagonistas, que depois de participarem de oficinas de improvisação, tornaram-se atores do próprio filme. O interessante da produção é que o filme vai se construindo pelas estradas até chegar a Cannes; mais do que saber sobre o roteiro do filme dos garotos, o espectador percebe que Tapete Vermelho se constitui da relação criada entre o grupo, formado pelo assistente social, sua estagiária e os garotos.

Filme: Tapete Vermelho, foto 2

Diretores de Tapete Vermelho: Kantarama Gahigiri e Frédéric Baillif

Os filmes desta mostra — uma realização do Consulado Geral da Suíça em São Paulo em parceira com o Sesc São Paulo e o CCBB-SP — foram selecionados do Festival de Solothurn de Cinema, mais importante festival de cinema da Suíça que acontece sempre em janeiro e que neste ano promoveu a 50ª edição.
De acordo com a curadoria do Panorama, esta mostra traz um leque diversificado do cinema suíço contemporâneo, com cineastas consagrados ao lado de novos realizadores; os filmes trazem tanto um olhar para fora do país, revelando a variedade de modos de vida de outras comunidades, como para as questões complexas da sociedade suíça, como a imigração, a realidade da periferia, os desajustados, além de retratar a própria tradição organizacional, cartesiana e pragmática da Suíça.

Filme: Eu sou femen, foto 3

Documentário de Alain Margot sobre o grupo ativista Femen

Os documentários têm forte presença na mostra, são ao todo seis longas — Eletroboys, Espartanos, Eu sou femen, Pepe Mujica, Terra partida e Thule Tuvalu —, quase todos produzidos fora da Suíça. Outro destaque é para a seleção de 15 curtas de animação da mais nova safra do cinema suíço.
O 5º Panorama do Cinema Suíço Contemporâneo acontece no CineSesc de 17 a 24 de junho e no CCBB-SP de 18 a 29 de junho — acompanhe a programação acessando os sites. Os principais filmes também serão exibidos Sesc Ribeirão Preto e no Sesc São José dos Campos, em dois finais de semana deste mês.

Fotos: divulgação

 

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Favo do Mellone

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: