Filme: Tapete Vermelho, foto 1

Tapete Vermelho abre o 5º Panorama do Cinema Suíço Contemporâneo

De em junho 18, 2015

Filme: Tapete Vermelho, foto 1

Elenco do filme Tapete Vermelho: jovens da periferia de Lausanne que tornaram-se atores do próprio filme

Aconteceu ontem no Cine SESC a abertura da quinta edição do Panorama do Cinema Suíço Contemporâneo 2015, que neste ano traz 16 longas metragens inéditos, entre ficção e documentários, além de 15 curtas de animação. A mostra será apresentada até o dia 29 de junho, tanto no Cine SESC como no CCBB-SP.
O filme de abertura foi o premiado Tapete Vermelho, primeiro longa dos diretores Frédéric Baillif e Kantarama Gahigiri, que mistura ficção e realidade e conta a história de um assistente social que se depara com a dura vida de um grupo de jovens da periferia de Lausanne que deseja realizar um filme para ser exibido no tapete vermelho do tradicional Festival de Cinema de Cannes. O roteiro é baseado na história pessoal dos protagonistas, que depois de participarem de oficinas de improvisação, tornaram-se atores do próprio filme. O interessante da produção é que o filme vai se construindo pelas estradas até chegar a Cannes; mais do que saber sobre o roteiro do filme dos garotos, o espectador percebe que Tapete Vermelho se constitui da relação criada entre o grupo, formado pelo assistente social, sua estagiária e os garotos.

Filme: Tapete Vermelho, foto 2

Diretores de Tapete Vermelho: Kantarama Gahigiri e Frédéric Baillif

Os filmes desta mostra — uma realização do Consulado Geral da Suíça em São Paulo em parceira com o Sesc São Paulo e o CCBB-SP — foram selecionados do Festival de Solothurn de Cinema, mais importante festival de cinema da Suíça que acontece sempre em janeiro e que neste ano promoveu a 50ª edição.
De acordo com a curadoria do Panorama, esta mostra traz um leque diversificado do cinema suíço contemporâneo, com cineastas consagrados ao lado de novos realizadores; os filmes trazem tanto um olhar para fora do país, revelando a variedade de modos de vida de outras comunidades, como para as questões complexas da sociedade suíça, como a imigração, a realidade da periferia, os desajustados, além de retratar a própria tradição organizacional, cartesiana e pragmática da Suíça.

Filme: Eu sou femen, foto 3

Documentário de Alain Margot sobre o grupo ativista Femen

Os documentários têm forte presença na mostra, são ao todo seis longas — Eletroboys, Espartanos, Eu sou femen, Pepe Mujica, Terra partida e Thule Tuvalu —, quase todos produzidos fora da Suíça. Outro destaque é para a seleção de 15 curtas de animação da mais nova safra do cinema suíço.
O 5º Panorama do Cinema Suíço Contemporâneo acontece no CineSesc de 17 a 24 de junho e no CCBB-SP de 18 a 29 de junho — acompanhe a programação acessando os sites. Os principais filmes também serão exibidos Sesc Ribeirão Preto e no Sesc São José dos Campos, em dois finais de semana deste mês.

Fotos: divulgação

 


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento