Filme: Todas as Razões para Esquecer, foto 1

Todas as Razões para Esquecer: comédia fala sobre o fim de uma relação

De em março 15, 2018

Filme: Todas as Razões para Esquecer, foto 1

Johnny Massaro, em filme de Pedro Coutinho, leva um fora da namorada e precisa se recriar

Não gosto de rótulos e o filme de Pedro Coutinho, Todas as Razões para Esquecer, é classificado como comédia romântica. O roteiro, também assinado pelo diretor, traz cenas engraçadas, no entanto, a situação central do personagem principal, Antonio, interpretado pelo excelente ator Johnny Massaro, não tem nada de cômico. O rapaz, com pouco menos de 30 anos — ainda confiável, de acordo com a canção de Marcos Valle, Com mais de 30 — se vê atônito depois que a namorada Sofia, vivida por Bianca Comparato, lhe dá um verdadeiro pé na bunda, após dois anos de convivência.
Antonio busca abrigo na casa de Carla (Maria Laura Nogueira), sua prima, recorre à terapia e a medicamentos, ouve amigos e vizinhos, mas o mais importante ele se recusa a fazer. Olhar realmente para si e para os seus problemas existenciais. O tema do filme não é original, mas a forma como Antonio se recicla é que emociona e envolve o espectador.

Filme: Todas as Razões para Esquecer, foto 2

Bianca Comparato vive a ex de Antonio (Masssaro)

A cena inicial já dá o tom do filme: a câmera focada em Antonio, mudo; em off, ouve-se a pergunta: ‘E aí Antonio?’. Logo o espectador percebe que ele está no consultório da terapeuta, interpretada por Regina Braga. A cena seguinte é idêntica, só que, meses antes, ele está em casa e quem faz a pergunta é Sofia. Como a resposta é a mesma, mudez, ela continua o ‘monólogo’ e dá por encerrada a relação deles.
Sem se dar conta de tudo o que está acontecendo a sua volta, Antonio tenta tocar a vida. Procura abrigo na casa da prima, que também vive uma crise com o marido, Felipe (Rafael Primot). Óbvio que ele não daria certo: ele não consegue nem se ajudar, imagina dar força a outro casal! Antonio, então, aceita alugar o apartamento do amigo (Victor Mendes) que acabou de se separar e vive com a mãe. Neste novo apê, seu vizinho (vivido por Thiago Amaral) adora festa e seu apartamento vive cheio de gente animada. O único desanimado é Antonio, que continua negando sua dor e procura nos medicamentos, drogas e sexo eventual se livrar da memória constante, a ex!

Coutinho imprime uma marca no filme: como Antonio não consegue parar de pensar em Sofia (no trabalho, nas festas e até no sexo), as cenas de suas memórias, só dos momentos bons da relação, aparecem com um filtro, dando a impressão de algo difuso, apagado. Outra característica do roteiro é intensificar a angústia do personagem, deixando o espectador também angustiado (será que este cara não enxerga o que está à frente de seus olhos, pensei em alguns momentos da projeção). O que motiva Antonio realmente a se modificar é um tanto discutível (até descartável), mas surte efeito. Tanto que o diretor enfatiza esta descoberta na cena final em que Antonio conversa com a prima.

Filme: Todas as Razões para Esquecer, foto 3

Massaro em grande atuação

Filme leve e descontraído que, entretanto, provoca a reflexão sobre as relações conjugais hoje em dia, principalmente entre a chamada geração Y, aqueles nascidos entre os meados da década de 1980 e meados dos anos 1990, em plena era da tecnologia avançada. Se estes jovens dominam facilmente a tecnologia, sentem dificuldade de estabelecer vínculos afetivos. Depressão, muito presente entre eles, afeta a todos nós e o filme pode ajudar a refletir sobre este drama. A música Visita, do cantor e compositor Silva, fecha o filme e cai como uma luva nesta discussão. Fique com o clipe da canção e vá aos cinemas conferir.
 

 

 

 

 

Fotos: divulgação


Deixe comentário

Deixe uma sugestão




Deixe uma sugestão

Indique um evento




Indique um evento