Mostra: Toulouse-Lautrec em vermelho, foto 1

Toulouse-Lautrec em vermelho: maior retrospectiva do artista no país

De em julho 10, 2017

Mostra: Toulouse-Lautrec em vermelho, foto 1

O divã, obra de 1893, óleo sobre cartão

Considerado pela crítica especializada como um dos artistas europeus mais importantes do período da virada do século XIX para o século XX e aquele que retratou a vida boêmia de Paris da época, Henri de Toulouse-Lautrec ganha a maior retrospectiva de sua carreira no Brasil. Com curadoria de Adriano Pedrosa e Luciano Migliaccio, o MASP promove até o dia 1º de outubro a mostra Toulouse-Lautrec em vermelho, que reúne75 obras e mais 50 documentos, entre cartas, telegramas, bilhetes e fotos do artista e de seus amigos, reconstituindo, assim, a memória da época.
De acordo com os curadores, o título da mostra faz alusão ao salão de entrada de uma casa fechada em Paris, em que Lautrec frequentava e que se tornou amigo das mulheres que trabalhavam lá. Importante ressaltar que a prostituição na época era permitida e devidamente autorizada.

Mostra: Toulouse-Lautrec em vermelho, foto 2

La Grosse Maria, obra de 1886

A exposição está instalada no primeiro andar do museu e é didaticamente constituída de cinco núcleos, compreendendo todas as fases da obra de Toulouse-Lautrec. O primeiro núcleo é dedicado ao universo das casas fechadas, com obras que retratam o cotidiano das mulheres que trabalhavam como prostitutas; a maioria dos quadros é com mulheres à espera de fregueses e nenhuma delas é identificada nominalmente. Já o segundo núcleo é composto por representações de mulheres comuns, trabalhadoras, modelos de ateliês, além de mulheres burguesas e nobres. Há também quadros com representações da homossexualidade feminina, retratada com toda a dignidade. Destaque para o quadro da Condessa Adéle Toulouse-Lautrec, mãe do artista.

 

Mostra: Toulouse-Lautrec em vermelho, foto 3

Paul Viaud em almirante, último quadro pintado pelo artista

No terceiro núcleo estão as obras com as representações masculinas. Ao contrário dos quadros com mulheres, nestes todos os modelos são identificados, o que evidencia a discriminação entre homens e mulheres. Destaque para o quadro Paul Viaud em Almirante do Século XVIII (O Almirante Viaud), última obra executada por Lautrec. Os dois últimos núcleos compreendem os quadros em que Lautrec retrata a vida noturna parisiense, com seus cabarés, bares, restaurantes e casas de espetáculos. Esta fase é a mais conhecida do artista, em que ele revela Paris já com luz elétrica e os personagens da noite, como a célebre dançarina Jane Avril, o cantor e dono de cabaré Aristide Bruant e Louise Weber, a dançarina conhecida como La Goule/A Gulosa. Grande destaque deste núcleo é o enorme cartaz Moulin Rouge/1891, em que divulgava as atrações do famoso cabaré parisiense.
Entre cada núcleo da exposição há grandes módulos com os documentos particulares de Toulouse-Lautrec, com cartas, bilhetes, telegramas e fotos do artista e dos amigos de sua convivência.

Mostra: Toulouse-Lautrec em vermelho, foto 4

Só, obra de 1896

Durante este mês em que as crianças estão de férias, o MASP organiza o programa de oficinas voltado para o público infantil. Sempre às quartas e aos sábados, as oficinas dialogam diretamente com a exposição, levando em consideração os materiais que Lautrec empregava, os elementos essenciais de sua linguagem e o momento histórico em que ele viveu.

Roteiro:
Toulouse-Lautrec em vermelho
– retrospectiva do artista, com curadoria de Adriano Pedrosa e Luciano Migliaccio. MASP, Av. Paulista, 1578, tel. 11 3149-5959. Horários: de terça a domingo, das 10h às 18h (quinta até às 20h). Ingressos: R$ 30 (grátis às terças). Temporada: até 1º de outubro.

 

Fotos: divulgação


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento