Filme: Um tio quase perfeito, foto 1

Um tio quase perfeito: Marcus Majella protagoniza comédia familiar

De em junho 20, 2017

Filme: Um tio quase perfeito, foto 1

Marcus Majella interpreta o Tio Tony da comédia dirigida por Pedro Antonio

Depois do sucesso na internet (atuação no site Porta dos Fundos) e em emissora fechada (participa de programas humorísticos do Multishow), Marcus Majella pela primeira vez é protagonista no cinema. Com seu humor e seu carisma, o ator encara o Tio Tony em Um tio quase perfeito, filme dirigido por Pedro Antonio, em que depois de ser despejado, juntamente com a mãe Cecília, vivida por Ana Lúcia Torre, resta ao trambiqueiro pedir abrigo à Angela (Letícia Isnard), sua irmã que tem três filhos: Patrícia (Julia Svacinna), João (João Barreto) e Valentina (Sofia Barros). A princípio Angela se nega a ajudar, mas cede e no dia seguinte vai fazer uma viagem a trabalho de 15 dias, deixando tudo sob a responsabilidade de Tony. Vivendo sempre de trambiques e golpes (é vidente, pastor evangélico e ator de rua, faz estátua viva), Tony não consegue cumprir todas as funções em casa e conciliar com suas atividades pouco ortodoxas. Faz tudo a contragosto com as crianças, mas algo se modifica e ele começa a se relacionar bem com os sobrinhos, revolucionando a vida deles.

Filme: Um tio quase perfeito, foto 2

Ana Lúcia Torre, Letícia Isnard, Majella e os atores mirins João Barreto, Julia Svacinna e Sofia Barros

Com roteiro de Leandro Muniz, Sabrina Garcia e Rodrigo Goulart, a trama começa mostrando as mais diversas atividades de Tony (sempre com pequenos golpes) e ao final do dia ele chega em seu apartamento e não consegue abrir a porta; vai reclamar e a  mãe já está no hall com todas as malas: foram despejados!

Mesmo sem contato com Angela há anos, os dois apelam e dizem que irão passar somente aquela noite com ela e as crianças. No dia seguinte, antes de todos acordarem, os trambiqueiros conseguem dispensar a empregada e Angela, sem alternativa, deixa com que eles fiquem com a condição de que Tony assuma todas as tarefas da casa. Folgado e trapalhão, ele a princípio se mostra desleixado e entra em atrito com Patrícia, uma pré-adolescente muito responsável. Mas o contato diário com a realidade das crianças — a saudade que a caçula tem da mãe, a falta que João sente do pai (um político sempre ausente) e a defesa na escola do projeto teatral de Patrícia — provoca uma verdadeira mudança em Tony. De trambiqueiro ele se transforma no tio Tony engraçado, criativo, além de presente e participativo. Mas sua vida pessoal não anda nada bem: Tony precisa pagar uma dívida e é pressionado pelo agiota (Osvaldo Nil). Ele se desdobra, arruma bicos, tudo para arranjar dinheiro, mas a maior ajuda vem mesmo da sobrinha mais velha. Mesmo com seu modo de agir bagunçado, Tony conquista os sobrinhos e altera o modo com que eles viviam. No entanto, Angela ao voltar se revolta e impede o contato dos filhos com o tio e a avó. Mas a transformação na vida de todos daquela família já tinha ocorrido, graças ao trapalhão tio Tony.

Filme: Um tio quase perfeito, foto 3

Majella mostra sua versatilidade artística

 

O título do filme parodia o sucesso de Hollywood, Uma babá quase perfeita, estrelado por Robin Williams; no entanto o roteiro é bem distinto do filme norte-americano e se revela uma comédia envolvente, graças à junção de humor com situações dramáticas. E o destaque é para a atuação de Majella, que tem a chance de mostrar sua versatilidade artística e seu grande talento: cria um personagem engraçado e ao mesmo tempo dramático (a cena entre Tony e Angela ao final da apresentação teatral das crianças é comovente). Destaque ainda para a participação de Ana Lúcia Torre e a atuação dos atores mirins. Ótima opção para as férias de meio de ano da garotada e para o público em geral.

Fotos: divulgação


Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento