Peça: Urgente da Cia Luna Lunera, foto 1

Urgente: peça da Cia mineira Luna Lunera estreia no CCBB-SP em agosto

De em julho 21, 2016

Peça: Urgente da Cia Luna Lunera, foto 1

Isabela Paes e Cláudio Dias

A premiada companhia de Belo Horizonte/MG, Luna Lunera, chega novamente à cidade, no CCBB-SP, com seu novo espetáculo Urgente, numa parceria com o grupo carioca Areas Coletivo de Arte, sob direção de Miwa Yanagizawa e Maria Sílvia Siqueira Campos. No elenco, Cláudio Dias, Isabela Paes, Marcelo Souza e Silva, Odilon Esteves e Zé Walter Albinati.

Ao contrário de 2012 quando fizeram a estreia nacional da peça Prazer em São Paulo, desta vez os mineiros desembarcam ao CCBB-SP depois de terem se apresentado nas unidades de Belo Horizonte e Rio de Janeiro; em Brasília o grupo se apresenta na sequência. Comemorando 15 anos de existência, a Cia Luna Lunera com esta peça propõe uma reflexão sobre as delicadas relações do homem contemporâneo com a instantaneidade da vida e procura distinguir as verdadeiras urgências em relação ao tempo que nos atropela.

Peça: Urgente da Cia Luna Lunera, foto 2

Odilon Esteves, Cláudio, Marcelo Souza e Silva e Isabela

Urgente é o sétimo espetáculo do grupo de Minas Gerais e é construído num cenário composto por quatro nichos de 1m². Na trama, cinco personagens  convivem em ambientes do cotidiano, como uma sala de costura ou escritório, e apresentam um enredo ficcional que se revela aos poucos e se relaciona com retrospectivas da vida dos próprios atores.

“O tempo passa e as urgências ficam; as urgências têm essa natureza de se acumularem e acabar soterrando prioridades, desejos. A gente optou por partir das urgências próprias, das histórias de vida de cada um, enfim do seu olhar para o mundo. Era muito comum que cada ator trouxesse sua urgência e disponibilizasse como matéria prima para o trabalho. Assim, a peça faz esse trânsito entre o ator e o personagem ao contar fragmentos das histórias dessas pessoas que coabitam um espaço mínimo e cheio de rachaduras,” explica a diretora Miwa Yanagizawa.

O espetáculo trata também do sentimento comum hoje em dia da aceleração do tempo. “Essa foi outra matéria prima do trabalho, que o tempo passa cada vez mais rápido e, consequentemente, estamos sempre adiando o que deveria de fato ser feito. Somos atropelados por essas urgências que a sociedade, que o mundo e que o outro nos impõe”, analisa o ator Marcelo Souza e Silva.

Como nos trabalhos anteriores, em ‘Urgente’ a Cia. Luna Lunera investiu em caminhos diversificados de criação, por meio de pesquisa continuada e diálogo com outros criadores contemporâneos. O processo criativo da peça contou com a interlocução dramatúrgica do escritor Carlos de Brito e Mello e da atriz Liliane Rovaris, que realizaram uma conexão entre a literatura, a filosofia e a poética das cenas.

“Quando a gente fala da nossa vida, ela já é profundamente narrativa; mesmo quando temos uma brutal certeza da realidade, dos acontecimentos. Os acontecimentos só podem existir na medida em que a gente pode falar deles”, argumenta Carlos de Brito e Mello.

 

Peça: Urgente da Cia Luna Lunera, foto 3

Miwa Yanagizawa assina a direção ao lado de Sílvia Campos

 

Uma novidade do novo espetáculo é a participação da banda Constantina, grupo instrumental de Belo Horizonte de forte caráter investigativo e experimental, que criou a trilha sonora especialmente para a peça.

O espetáculo está no Rio até o dia 8 de agosto e estreia no dia 13, sábado, na unidade paulistana do CCBB. Aguardem!

 

 

 

Peça: Urgente da Cia Luna Lunera, foto 4Roteiro:Urgente. Direção: Miwa Yanagizawa e Maria Sílvia Siqueira Campos. Assistente de direção: Liliane Rovaris. Texto: Areas Coletivo de Arte e Cia. Luna Lunera. Interlocução dramatúrgica: Carlos de Brito e Mello e Liliane Rovaris. Elenco: Cláudio Dias, Isabela Paes, Marcelo Souza e Silva, Odilon Esteves, Zé Walter Albinati. Ambientação sonora: Banda Constantina. Cenário: Yumi Sakate e Areas Coletivo de Arte. Figurino: Yumi Sakate. Iluminação: Felipe Cosse e Juliano Coelho. Realização: Centro Cultural Banco do Brasil.

Serviço:
Centro Cultural Banco do Brasil (130 lugares), Rua Álvares Penteado, 112, tels. 11 3113-3651/3652. Horários: sábado e segunda às 20h; domingo às 19h. Ingressos: R$ 20,00 e R$ 10,00 (nos dias 27, 28 e 29 de agosto não haverá apresentação). Bilheteria: das 9 h às 21h, de quarta a segunda. Estacionamento conveniado: Estapar, Rua Santo Amaro, 272, tel. (11) 3113.3651.Transporte gratuito ao CCBB  (embarque e desembarque na Rua Santo Amaro, 272; o trajeto de volta tem parada no Metrô República). Duração: 1h45. Classificação: 16 anos. Temporada: 13 de agosto a 17 de outubro.

Marcos Zaccharias Publicitário
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Tório 2

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: