Vida & Obra de um Tipo à Toa: um retrato do universo masculino

De em julho 17, 2012

João (Daniel Alvim) quer fazer a biografia de Zezo (Maurício de Barros): durante a elaboração do livro ambos se transformam

Fina ironia e humor inteligente aliados a uma reflexão sobre a vida do homem contemporâneo. Esta é a proposta de Vida & Obra de um Tipo à Toa, peça inédita do dramaturgo, escritor e jornalista Mario Viana que estreou na última sexta-feira, no Espaço Parlapatões. Daniel Alvim está com dupla função neste projeto: além de assumir a direção, interpreta o escritor João, que tem como meta escrever a biografia de um homem, não um herói ou alguma personalidade importante, mas um cidadão comum, que frequenta a academia, o boteco, o futebol, as festas familiares e os encontros com os amigos para uma cervejinha. Zezo, vivido por Maurício de Barris, é o escolhido, pois reúne estas características, ou seja, vive como a maioria dos homens de hoje em dia, é o típico homem comum. A relação do biógrafo e do biografado é o que move a trama criativa e reflexiva de Viana.
Desde a cena inicial o jogo dramático é estabelecido: os dois personagens estão no vestiário de uma academia se vestindo e João trava o primeiro contato com seu objeto de pesquisa, o biografado Zezo. A princípio ele não entende o que está acontecendo, mas em seguida tenta convencer o escritor que sua vida não tem nada de especial e por isso não merece ser retratada. Aí é que João argumenta: por ser comum é que a vida de Zezo tem interesse; não quer a biografia de um herói, mas a de um homem comum.

O conflito entre biógrafo e biografado é constante

 

A relação deles não é nada tranquila a partir do momento que Zezo tem consciência de que está sendo seguido há tempos e que o outro já sabe toda a sua vida, precisa apenas que ele lhe conceda a autorização e comente sobre os principais momentos vividos. João, mesmo com a recusa de Zezo, continua seu projeto e é como uma sombra do outro, vive na sua cola. Meio a contragosto e ao mesmo tempo fascinado com a possibilidade da fama, Zezo permite que João escreva sua biografia.
O conflito entre os personagens também aparece quando João percebe que Zezo perde a originalidade depois de saber que está sendo vigiado. Ele não age mais naturalmente, fica travado. A partir daí ambos passam por transformações profundas: de um lado Zezo começa a se questionar, revê seu casamento, avalia sua relação com a amante e busca se modificar. Já o escritor entra em crise, pois seu personagem está fugindo de seu controle não é mais como os “99% dos homens, que têm uma vida comum”. Ele pensa até em desistir da empreitada e escrever sobre a própria vida. O embate entre eles é intenso e o público se vê preso à proposta reflexiva do autor.
Particularmente fiquei muito tocado, querendo fazer parte daquele 1% de homens que vivem fora dos padrões estabelecidos, que são livres das amarras das convenções, que são originais e criativos! Se não puder estar nesta faixa, que pelo menos possa contribuir para que esta porcentagem aumente!
O entrosamento e a empatia entre Daniel e Maurício em cena ampliam ainda mais a proposta do texto, ou seja, fazer uma reflexão sobre o universo masculino contemporâneo, com muito humor e ironia. O próprio autor argumenta:

Expor o que pensamos, dar risada do que fazemos e refletir sobre as hesitações… isto é teatro. O resto é imitação de vida.

Mario Viana é jornalista, escritor e dramaturgo

Vida & Obra de um Tipo à Toa, que tem cenário e figurino assinados pelo ator Leopoldo Pacheco, permanece em cartaz até o final de agosto; único senão é para o horário: meia-noite! Mas o vigor com que os atores dão vida a estes personagens encantadores vale qualquer sacrifício. Fiquei tão motivado que não consegui dormir antes de traçar um esboço desta resenha. Se não a melhor, sem dúvida esta é uma das mais significativas peças de Mario Viana.

 Fotos: Bel Gomes

 


2 Comentários

Roberto Villalpando Filho

julho 30, 2012 @ 14:43

Resposta

Eu assistia a peça sexta -feira e achei maravilhosa

Maurício Mellone

julho 30, 2012 @ 15:37

Resposta

Roberto:
Que ótimo q vc também gostou da peça do Mario Viana.
É um belo retrato do universo do homem que vive nos dias atuais.
Obrigado pela visita e volte sempre.
abr

Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento