CD: Virgínia Rosa Canta Clara, foto 1

Virgínia Rosa Canta Clara: CD faz merecido tributo à Clara Nunes

De em novembro 6, 2015

CD: Virgínia Rosa Canta Clara, foto 1

Virgínia Rosa, para este álbum, garimpou 13 canções do eclético repertório de Clara Nunes e outra que a homenageia

Não poderia ser melhor a homenagem que a cantora Virgínia Rosa presta a outra cantora, uma das mais importantes intérpretes da música brasileira, Clara Nunes, que nos deixou há 32 anos, no auge da carreira.
Virgínia Rosa Canta Clara, lançado pelo Selo SESC, traz 14 faixas, sendo 13 canções que Virgínia garimpou do repertório daquela que a inspirou profissionalmente e a última faixa, Um ser de luz, que Paulo César Pinheiro, casado com Clara na época, compôs em parceria com João Nogueira e Mauro Duarte como uma forma de homenagear a cantora, sua amada.
Acompanhada ao piano por Ogair Júnior, que assina a direção musical, Dino Baroni (violão), Robertinho Carvalho (contrabaixo) e Ramon Montagner (bateria/percussão), Virgínia interpreta não só os grandes sucessos de Clara, mas algumas canções que poucos se lembram que foram gravadas por ela:

 

“Clara gravou grandes compositores brasileiros, ela era ousada na escolha de seu repertório, que incluía desde valsa de Vinícius de Morais, chorinho de Ismael Silva até samba paulista de Adoniran Barbosa. Este CD é minha carinhosa homenagem a Clara Nunes. Fiz questão de gravar canções pouco identificadas com seu repertório, mas que comprovam seu versatilidade”, afirma Virgínia Rosa no encarte do CD.

CD: Virgínia Rosa Canta Clara, foto 2

Virgínia, ao lado de Fernando Cardoso, assina a direção artística do trabalho

Como uma forma de pedido de permissão aos guias do candomblé, Virgínia abre o álbum com A deusa dos Orixás (Romildo/Toninho), que conta com a participação especial de Clarianas. Com sua voz doce e envolvente, Virgínia imprime uma interpretação única a cada canção, com o tom e a intenção que a música exige. É o caso de Basta um dia, clássica de Chico Buarque, que pede uma interpretação contida, triste e visceral:

“É só/
O que eu pedia, viu/
Um dia pra aplacar/
Minha agonia.”
 

Neste mesmo tom, Virgínia dá sua versão triste e emocionada para Iracema de Adoniran Barbosa, com a valiosa participação do ator Aílton Graça, que recita os versos chorosos do noivo que acaba de perder a amada, que atravessou a rua na “contramão, paciência, Iracema, paciência”.
Mais conhecida como intérprete de samba, Clara Nunes gravou inúmeros ritmos, como valsa, bolero, choro e até forró. E Virgínia neste tributo revela esta versatilidade, cantando a valsa de Toquinho e Vinícius de Morais Ai quem me dera — que possui ricas rimas internas, valorizadas pela interpretação — e o choro de Ismael Silva, Ninguém tem que achar ruim.
No entanto, o samba não ficou de fora: com graça e muito suingue, Virgínia canta Na linha do mar (Paulinho da Viola) e Tristeza pé no chão (Armando Fernandes Mamão). E um grande sucesso de Clara não podia faltar: O mar serenou (Candeia).

“O mar serenou quando ela pisou na areia/
Quem samba na beira do mar é sereia”

Outra característica de Virgínia Rosa que me chamou muito a atenção neste CD é sua perfeita articulação, nenhuma palavra passa despercebida ao ouvinte, mesmo em canções de dificuldade rítmica e melódica, como Nação (Aldir Blanc/João Bosco/Paulo Emílio).
Com direção artística e idealização da própria cantora e de Fernando Cardoso, o álbum é extremamente delicado, envolvente e provoca muita emoção, não só para aqueles que conheceram Clara Nunes, como também às novas gerações.

 

CD: Virgínia Rosa Canta Clara, foto 3

A cantora está em turnê pelo país divulgando o CD

 
Fechando o disco, a homenagem se intensifica: só piano e voz, Um ser de luz, é entoada como oração de agradecimento ao talento, sensibilidade e grandeza de Clara Nunes.
Além do CD, a cantora montou um show com o repertório de Virgínia Rosa Canta Clara e está em turnê pelo país. No clipe de Um ser de luz, abaixo, fica comprovada a grandiosidade deste trabalho.

Ficha técnica:
Título:
Virgínia Rosa Canta Clara,Virgínia Rosa
Gravadora: Selo SESC
Produção: Mesa2 Fernando Cardoso/Roberto Monteiro
Formato: CD, 14 faixas
Preço: R$ 20,00

 

 


Fotos:
Gal Oppido

 


2 Comentários

Roseli Corrêa

novembro 9, 2015 @ 11:53

Resposta

Concordo com cada palavra, um CD primoroso, muito requintado, como é todo o trabalho de Virgínia Rosa.
Me impressionou muito também a capa do CD que nos remete para o universo de Clara Nunes com muita força e delicadeza.
Parabéns a todos os envolvidos nesse belíssimo trabalho.

Maurício Mellone

novembro 9, 2015 @ 12:38

Resposta

Roseli,
muito obrigado por seu comentário;
tb gostei muito da capa do CD, deveria ter mencionado na resenha.
Beijos e terei o maior prazer em receber sua visita outras vezes aqui
no Favo!

Deixe comentário

Deixe uma sugestão





Deixe uma sugestão

Indique um evento





Indique um evento