Filme: Bacurau, foto 1

Bacurau: chega ao Brasil filme premiado em festivais internacionais

De em setembro 4, 2019

 

Filme: Bacurau, foto 1

Sonia Braga vive a médica do povoado, que sofre uma invasão e todos se revoltam

Depois de percorrer festivais de cinema pelo mundo e ser premiado — recebeu o Prêmio do Júri no Festival de Cannes/19, melhor filme em Munique/Alemanha e três premiações em Lima/Peru — o esperado Bacurau, dos diretores Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, acaba de chegar aos cinemas do país.

 

 

Com roteiro dos próprios diretores, a trama mistura vários gêneros, como faroeste, ficção científica e suspense, para contar a história da invasão de um grupo de norte-americanos a um pequeno povoado do sertão nordestino. O personagem central é o próprio lugarejo, não há protagonistas e todos os moradores assumem a defesa do local. Com Bárbara Colen, Sônia Braga, Silvero Pereira, Wilson Rabelo, Thomas Aquino, Karine Teles e Udo Kier.

 

Filme: Bacurau, foto 2

Os moradores são os protagonistas da trama

 

 

O filme começa com a chegada de Teresa (Bárbara) a Bacurau para o velório de sua avó Carmelita (Lia de Itamaracá). O professor Plínio (Rabelo), pai de Teresa, a recepciona e em seguida faz um discurso enaltecendo os feitos de sua mãe. Ao poucos o espectador vai sendo apresentado tanto aos moradores (o professor e seus alunos, o entregador de água, a médica, o guerrilheiro, a prostituta, os donos do bar e o político corrupto) como ao modo de vida daquele povoado. No entanto tudo começa a se modificar com a chegada de um casal de motoqueiros, que alega estar de passagem; eles questionam o porquê da cidade não constar dos mapas e nem ter sinal de celular na região.

 

 

 

A partir deste momento a trama toma novo rumo: os moradores constatam que Bacurau realmente não está no mapa, acontecem os primeiros assassinatos e todos percebem que estão sendo atacados — há drones sobrevoando o local e as mortes acontecem de forma incontrolável! Corte e a ação se transfere para um grupo de estrangeiros, liderados por Michael (interpretado pelo ator alemão Udo Kier), que com armamentos poderosos invadem o povoado, destruindo tudo o que encontram pela frente. As cenas são tão violentas e macabras que até parece que o filme passou a ser um grande vídeo game. Do outro lado, sem que o espectador saiba, os moradores sobreviventes articulam uma reação e promovem uma guerra contra os invasores. Nova matança, só que desta vez os alvos e os atingidos mudam de lado.

 

 

 

Filme: Bacurau, foto 3

A médica se contrapõe ao forasteiro (Udo Kier)

O que os diretores evidenciam é o fato da população se unir e se organizar para combater o que aflige a vida de cada um dos moradores. Inclusive o político reaparece e a sua verdadeira face é desmascarada em praça pública. Com os prêmios, Bacurau chega ao país com reconhecimento internacional e deve agradar a uma grande parcela do público. Entretanto, a matança é de tal ordem que o espectador tem a impressão que a violência fica banalizada na tela, tudo não passa de uma partida de vídeo game. A crítica a um sistema de poder arcaico, corrupto e submisso à interferência estrangeira perde força, tornando-se inócua.

 

 

 

Mesmo assim, o filme provoca reflexão, causa impacto, tanto que na sessão a que assisti a plateia aplaudiu ao final. Vá conferir para tirar as próprias conclusões. Destaque para as interpretações de Silvero Pereira, Wilson Rabelo, Thomas Aquino, Barbara Colen e Sônia Braga, que mais uma vez tem uma atuação marcante em obra de Kleber Mendonça (foi a grande estrela de Aquarius). Fique com Gal Costa interpretando Não Identificado, de Caetano Veloso, canção que abre o filme:

 

Fotos: divulgação

Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Uba

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: