Caio, quando o amor não vem: monólogo on line de Antonio Ranieri

De em agosto 6, 2020

Antonio Ranieri fará duas apresentações do solo, em plataforma digital

 

 

O dramaturgo e ator Antonio Ranieri, que completa 40 anos e 22 de carreira, foi pego de surpresa — como todos nós — com a pandemia, mas de uma forma inusitada. Estreou o espetáculo Caio, quando o amor não vem exatamente no final de semana em que todos os teatros foram fechados. Com a interrupção, ele precisou adaptar o texto para um solo e na próxima semana reestreia: fará duas apresentações nos dias 12 e 13 de agosto, às 20h, na plataforma digital,  ZOOM (https://zoom.us/client/latest/ZoomInstaller.exe).

 

A peça presta uma homenagem ao escritor Caio Fernando Abreu por meio do personagem central, Pedro, que ao completar 70 anos sente que não se permitiu viver um grande amor e faz uma retrospectiva de sua vida. Ele resgata suas memórias, relembra os três amores que teve em sua vida e percorre bares e boates da região central de São Paulo voltados para a comunidade LGBTQ+.

 

Monólogo homenageia Cario Fernando Abreu

 

 

 

Tive a chance de estar na estreia da peça, no Espaço Parlapatões, e fui surpreendido com o início do espetáculo. O público foi conduzido ao centro do palco, que parecia uma pista de boate, e logo que a música começou a tocar o ator entra e faz com que todos dancem com ele. A trama só tem início depois que os espectadores deixam o palco e se dirigem para a plateia.

 

 

 

“Eu queria fazer um espetáculo baseado na obra do Caio Fernando Abreu; após muita pesquisa me encantei com a sua história de vida e tudo acabou virando um texto inédito, em homenagem ao escritor. Foram sete anos de pesquisa sobre a vida e obra do Caio, sobre o amor na terceira idade e uma imersão na cultura LGBTQ nos últimos 70 anos. O foco passou a ser a região central de São Paulo, local que há décadas abriga com carinho a comunidade”, afirma Antonio Ranieri.

 

 

A montagem on line segue o esquema do texto original, que se divide em três histórias de amor, seguindo as fases de vida do personagem. Pedro começa a trama com 70 anos, quando sente que está praticamente morto emocionalmente. Aí começa o resgate de sua existência: volta 20 anos de sua vida e a peça termina com Pedro aos 30 anos de idade. Por meio de suas lembranças o personagem constata e avalia o peso das próprias escolhas.
Quem quiser conhecer outro trabalho recente do dramaturgo, basta acompanhar a série Curtas Reciprocidades no canal de Ranieri no You Tube.

 

 

Ranieri atua e assina texto, cenário e trilha

 

Roteiro:
Caio, quando o amor não vem
. Dramaturgia e atuação: Antonio Ranieri. Direção: Elder Sereni e Lucas Sancho. Assistência direção e operação de som: Marina Assis. Desenho de som e mixagem: Cauê Andreassa. Figurino: Márcio Macena. Trilha sonora e cenário: Antonio Ranieri. Iluminação: Reynaldo Thomaz. Coreografia: Glaucia da Fonseca. Fotografia: Roberto Manfrim. Produção executiva: Morena Carvalho. Realização da A.R Produções Artísticas e A Minha Cia de Teatro.
Serviço:
Horários: 12 e 13 de agosto às 20h. Ingressos: vários preços, fique à vontade em colaborar com o que puder. Vendas: www.sympla.com.br/arproducoesartisticas. Duração: 60 min. Classificação: 14 anos. Para assistir ao espetáculo siga os passos abaixo: baixe o aplicativo ZOOM (https://zoom.us/client/latest/ZoomInstaller.exe); faça o seu cadastro no site da Sympla com um e-mail (não use o Facebook para criar seu login). Siga as instruções presentes no e-mail de confirmação da compra. A Sala de espetáculos estará liberada 15 minutos antes do início do espetáculo.

 

28º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
28º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade

4 Comentários

Célia Gambini

agosto 31, 2020 @ 08:55

Resposta

Olá Mauricio,
Obrigada pela dica teatral digital, enquanto esperamos para voltar a frequentar as salas de teatro !

Maurício Mellone

agosto 31, 2020 @ 14:28

Resposta

Célia,, como dizem por aí: “é o q temos para hoje!”
rsrss
Não é teatro, mas o Ranieri adaptou seu monólogo em homenagem ao Caio Fernando Abreu
para uma versão on line e vale a pena conferir!
Bjs e obrigado pela visita; volte sempre!

Dinah Sales de Oliveira

agosto 6, 2020 @ 16:18

Resposta

Oi, Maurício,
Que bacana!
Como sou fã do C.F.A., vou deixar aqui na agenda as datas do espetáculo solo do A. Ranieri.

Depois conversamos sobre a peça-homenagem.

bjs.

Maurício Mellone

agosto 7, 2020 @ 08:18

Resposta

Dinah,
assisti a estreia e infelizmente a temporada foi interrompida
no dia seguinte…. Tb vou conferir a versão on line.
Obrigado pela visita, sempre constante, e pelo incentivo.
Bjs

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: