Festival Mix Brasil: até 21/11, maior evento de cultura da diversidade

De em novembro 5, 2021

Serão exibidos 117 filmes de 28 países, além de teatro, música, literatura e palestras

Como ocorre anualmente, em novembro a cidade de São Paulo torna-se o centro da produção cultural voltada à diversidade. Do próximo dia 10 até o dia 21 acontece o 29º Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade, que desta vez será em formato híbrido, ou seja, programas com a presença do público e outros com transmissão online. Os ingressos são gratuitos.

 

 

 

 

Filme: Festival Mix Brasil

Ney Matogrosso: homenageado com troféu Ícone Mix Brasil

 

 

 

 

Considerado o maior evento da América Latina dedicado à diversidade, o Festival Mix Brasil irá exibir 117 filmes de 28 países – do Brasil haverá produções de todas as regiões do país –, além de peças teatrais inéditas, shows musicais, discussões sobre literatura, palestras e workshops sobre temas relevantes para comunidade LGBTQIA+.

 

O cantor Ney Matogrosso, que acaba de completar 80 anos, é o grande homenageado: além de receber o troféu Ícone Mix Brasil , terá uma mostra de cinema dedicada a ele, com a exibição de Ney À Flor da Pele, de Felipe Nepomuceno, Ralé, de Helena Ignez, Depois de Tudo, de Rafael Saar, Caramujo-Flor e Olho Nu, ambos de Joel Pizzini. Acompanhe toda a programação no site oficial: www.mixbrasil.org.br.

 

 

 

 

 

 

 

Benedetta, filme de Paul Verhoeven

 

A abertura do Festival, que conta com a direção geral de André Fischer, direção executiva de Josi Geller e direção de programação de cinema de João Federici, será com o filme Benedetta, escrito e dirigido pelo holandês Paul Verhoeven, que narra a história de uma freira italiana que vive num convento na Toscana desde a infância; perturbada por visões religiosas e eróticas, Benedetta é assistida por uma companheira de quarto. Elas vivem um romance conturbado, que irá ameaçar a permanência delas na instituição religiosa.

 

 

 

 

A Fratura, de Catherine Corsini

 

Dos 117 filmes da programação, destaque ainda para os longas-metragens inéditos A Fratura, drama lésbico de Catherine Corsini, vencedor do Queer Palm no Festival de Cannes, Being BeBe – A História de BeBe Zahara Benet de Emily Branham (EUA, Camarões), documentário sobre a primeira vencedora de RuPaul’s Drag Race, BeBe Zahara Benet.

 

 

 

 

Boy Meets Boy, filme de Daniel Sánchez Lopéz

 

 

Na mostra internacional serão exibidos também os alemães Instruções de Sobrevivência de Yana Ugrekhelidze, ganhador do Prêmio do Júri Teddy em Berlim, Bliss, de Henrika Kull, seleção oficial do Panorama da Berlinale e Boy Meets Boy, de Daniel Sánchez Lopéz, em que dois jovens se encontram num clube em Berlim e passam o dia juntos; os contrastes em suas vidas e valores obrigam cada um a enfrentar suas próprias verdades.

 

 

 

 

 

Deserto Particular, do baiano Aly Muritiba

Produção brasileira

O grande destaque da programação nacional do Festival será a exibição do longa-metragem Deserto Particular, do diretor baiano Aly Muritiba, representante do Brasil na cerimônia do Oscar/22; na trama Daniel (Antônio Saboia) é um policial correto que comete um erro que coloca sua carreira em risco. Sem enxergar perspectivas em Curitiba, ele sai em busca de Sara, a mulher que se apaixonou virtualmente; este encontro irá alterar seu destino.

 

 

 

 

 

 

Deus tem Aids, documentário de Fábio Leal e Gustavo Vinagre

 

Outros filmes nacionais na mostra: A Primeira Morte de Joana, da gaúcha Cristiane Oliveira, o baiano Até o Fim, dos diretores Glenda Nicácio e Ary Rosa, Madalena, de Madiano Marcheti (MS), Máquina do Desejo, dos paulistas Joaquim Castro e Lucas Weglinski, o pernambucano Vênus de Nyke e o documentário Deus Tem Aids, de Fábio Leal e Gustavo Vinagre, uma produção de SP e PE; o filme traz o depoimento de artistas e de um médico sobre os 40 anos de combate ao HIV e do enfrentamento da sorofobia no Brasil.

 

 

 

 

Olho Nu, de Joel Pizzini

 

Além dos filmes que prestam homenagem a Ney Matogrosso, a programação nacional traz ainda a Mostra Competitiva de curtas-metragens, com 12 produções das cinco regiões do país.
Serão exibidos ainda curtas-metragens divididos em programas temáticos, como Climão, Geral Sentiu, Está Tudo na sua Cabeça, F de Fetiche, Meu Corpo, Minhas Regras, Quarenteners, Sexy Boyz e Retratos de Garotas em Chamas.

 

 

 

 

 

 

Ele, peça de de Oliver Olivia

Na seção Dramática, o público do festival terá acesso a cinco espetáculos teatrais inéditos com temas voltados à comunidade LGBTQI+: Ele, de Oliver Olivia, em que dois homens casados na vida real se colocam no palco para realizarem jogos performativos, O que resta?, de Thiago Vilanova e Edson Thiago Rossi, em que dois amantes separados durante a pandemia se reencontram num apartamento após buscarem suas identidades indígena e transexual. O Silêncio Anuncia o Grito ou Voz Bixa, de Marco Antonio Oliveira, com as lembranças da infância de uma criança viada, Sobrevida, de Jaques Machado, homem revive os conflitos de compartilhar seu diagnóstico positivo para HIV e Venganza: pega Homem?, de Laís Efstathiadis e Wini Lippi e direção da cantora Danna Lisboa, denuncia a cultura do estupro estruturada.

 

 

 

 

Show do Gongo, apresentação da atriz Marisa Orth, é sempre um momento muito esperado do festival, com a exibição de vídeos amadores que podem ser inscritos até o horário da apresentação. Dos shows musicais, destaque para o de Ellen Oléria na abertura do festival e a apresentação da cantora Raquel, uma das fundadoras da banda As Bahias, que encerra o evento.

Acompanhe os temas das discussões literárias e de todas as palestras no site do Mix Brasil, além dos horários de todas as sessões dos filmes. Aproveite e divirta-se!

 

 

 

 

 

 

Roteiro:
29° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade. De 10 a 21 de novembro, programação híbrida (presencial e online): cinema, teatro, música, literatura e palestras. Ingressos gratuitos, programação completa: mixbrasil.org.br

 

 

 

 

 

 

Fotos: divulgação

Favo do Mellone
Site Aplauso Brasil, especializado em Teatro
Favo do Mellone

2 Comentários

Dinah Sales de Oliveira

novembro 5, 2021 @ 17:25

Resposta

Uau,
O Mix Brasil agora tem correspondente na Bahia!!
Gostei do seu texto, fiquei curiosa pra ver o filme de abertura Benedetta.
Aproveito pra fazer uma revisão rápida: o cineasta Paul Verhoeven é holandês…

Beijos.

Maurício Mellone

novembro 5, 2021 @ 17:39

Resposta

Querida,
viu q luxo, correspondente do Festival em Itacaré!
Obrigado pela revisão
beijos, saudades

Deixe comentário

Deixe uma sugestão

Deixe uma sugestão

Indique um evento

Indique um evento

Para sabermos que você não é um robô, responda a pergunta abaixo: